Para receber propina, Cabral e Pezão “compraram” mais de 4 mil postes inúteis

Resultado de imagem para postes no arco metropolitana

Técnicos do Dnit denunciam que os 4,3 mil postes são inúteis

Marina Navarro Lins
Jornal Extra

Para instalar os 4.310 postes com placas de energia solar ao longo dos 72 quilômetros do Arco Metropolitano, o governo do estado desembolsou R$ 96,7 milhões, mais de R$ 22 mil por unidade. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), porém, as rodovias federais — como é o caso do Arco — não precisam de iluminação. Como o Extra mostrou nesta quarta-feira, a empresa contratada para fornecer as estruturas foi o consórcio Kyocera-Soter, cujo sócio Sérgio Benincá é um dos donos do helicóptero usado pelo ex-secretário estadual de Obras Hudson Braga, preso pela Operação Calicute.

De acordo com o Dnit, as sinalizações das rodovias federais usam uma técnica específica para serem vistas apenas com a luz dos faróis. Em nota, o departamento deixa claro que, quando a via tem um “grande desenvolvimento urbano e populacional” em suas margens, a responsabilidade de iluminar o local é da prefeitura, que pode cobrar uma contribuição dos moradores.

A proximidade dos postes de luz também chama a atenção de quem cruza o Arco. Em média, a rodovia tem uma unidade a cada 16,7 metros. A título de comparação, as vias de grande circulação do Rio, como a Avenida Brasil, têm um poste a cada 40 ou 50 metros, segundo a prefeitura.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A reportagem enviada por Robert Silva é estarrecedora. Demonstra que a voracidade, a desfaçatez e a ousadia da dupla Cabral e Pezão realmente são inacreditáveis. Instalaram caríssimos postes de iluminação sem utilidade numa rodovia federal, somente para receber propina, enquanto há enorme escassez de iluminação em áreas urbanas. Sinceramente, esses pseudos governantes realmente merecem apodrecer na cadeia. (C.N.)

29 thoughts on “Para receber propina, Cabral e Pezão “compraram” mais de 4 mil postes inúteis

  1. É pouco apodrecer…..tem que tirar os pedacinhos,aos pouquinhos,até não sobrar mais nada.
    Foi isso que fizeram com os doentes nos hospitais,e ainda fazem,alguém já entrou em algum do Rio? Eu já,no M.Cou…vc entra com uma bobagem,, e sai no cai……

  2. No Face do filhinho deputado,sabe-se lá como,ops,e como sabemos,tem um monte de defensores, de criminosos quadrilheiros,é de estarrecer.Não deixem de ver Marco Antonio cabral,filho de peixe……….E por falar na quadrilha,
    onde estão as vigas da perimetral? Alô paespalhão,o próximo a tre…muito em Bangu, é vc seu canalha,soldado do pústula.Quero meu Rio de volta,prendam todos!!

  3. PF . Olho no Galeão !!!

    Sem esconder os primeiros sintomas de depressão por ter de deixar a Prefeitura do Rio, Eduardo Paes (PMDB) prepara a mudança, com a família a tiracolo, para Nova York, onde dará aulas na Universidade Columbia em 2017.

    O plano do prefeito era ir como bolsista, mas recebeu convite da instituição para ministrar cursos e palestras sobre o papel das cidades no desenvolvimento de um país — pelo que receberá salário.

    Ele e a mulher já procuram colégio para os filhos na Big Apple.

  4. Na republiqueta de banana a farra irá continuar sempre ! Um dos maiores focos de sonegação, venda de produtos piratas, programas piratas, que é o Mercado Livre, continua livre , leve e solto, com a colaboração dos Correios, que não exigem o Danf acompanhando a mercadoria. Pior é que o ML e o MP/SP já fizeram um Termo de Ajustamento de Conduta…

    Brasil, um país de Tolos…

    http://www.conjur.com.br/2015-set-18/mercado-livre-nao-responsavel-lesoes-consumidores-site

    • A maioria é contrabando, pirataria, descaminho, etc…. Só garantem a devolução se a compra for feita através do Mercado Pago, mais um ‘banco, assim como a maquininha da UOL, clandestino..,
      Pergunte se as mercadorias vem com nota fiscal….
      As nossas ‘ortoridades’ nada ‘enxergam ‘ de irregular.

  5. Os senhores se lembram quando o PT e as ONGs”cantavam de galo” com os parques de energia eólica implantados no Nordeste, principalmente?
    -Alguém duvida que tenha sido diferente a transação?

    “O principal financiador de energia em geral e eólica em particular no Brasil é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que este ano prevê aplicar – direta e indiretamente – R$ 8 bilhões no setor, valor 33% superior ao aplicado em 2015.”
    -Empresário não joga dinheiro no lixo.
    -Mas o BNDES pode jogar… o dinheiro não é dele mesmo!!!

    • Não é bem assim, veja quem é o dono dos terrenos onde ficam o maior parque eólico do Brasil, em Osório / RS… Ele recebe mensalmente R$ 2.500,00 de aluguel em cada torre instalada.
      Começa com P e termina com lha…

  6. Gosto muito das minhas compras,principalmente da linha Pet.Tem muita porcaria também,mas sabendo escolher,va”le a pena,sai bem barato,quanto as “otoridades,pergunte a eles,rsrs
    Nossa,quero ver o cabracriminoso manda aí,kkk

    • O Brasil é o paraíso da cafajestada a céu aberto.
      Vejam algumas ‘atividades’ comerciais normais, onde os empresários ‘liberais’ são os piores parasitas do Estrado.
      1) Transporte terrestre… Apesar do Brasil tem mais de 8.500 Kms. de costas marítimas não temos navegação de cabotagem, um carro feito em SP, vai até São Luis em cegonhas.
      2) Intermediários da alimentação : Os Ceasas da vida e os cerealistas, nada fazem, nada produzem, é muito comum se ver um caminhão no Ceasa, esperar mais de 4 horas para apenas ‘ trocar’ a nota fiscal, nem descarregam.
      3 ) Seguro DPVAT, oligopólio de algumas seguradoras ligadas ao poder, só elas podem fazer.
      4) Formuladores de combustíveis, que sonegam abertamente na mistura do etanol a gasolina.
      5 ) Frotistas, que compram veículos com 25% de abatimento dos impostos e não pagam quase nada de IPVA. Um Ford K no valor de R$ 40.000,00 paga exatos R$ 57,00 e na maioria das vezes são licenciados em Belo Horizonte.
      Nossas ‘ortoridades’ não sabem de nada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *