Para reforçar suas estatais, China vai privatizar ou reformar 345 subsidiárias

Consumo interno é alavanca da economia chinesa

Deu no Xinhuanet

Fechar “empresas-zumbis”, resolver os problemas que se criem para os trabalhadores afetados e podar as empresas laterais que invadam as competências das empresas estatais de administração centralizada, são algumas das medidas que o governo chinês introduzirá nos próximos dois a três anos, para aprofundar a reforma daquelas importantes organizações. A decisão foi revelada durante uma reunião executiva do Comitê do Estado presidida pelo premiê Li Keqiang.

“Empresas estatais de administração centralizada desempenharam papel indispensável para o desenvolvimento social e econômico da China e temos de lhes garantir todo o mérito quanto a isso” – disse Li. – “Mas essas empresas também enfrentam problemas cruciais. Agora temos de enfrentá-los passo a passo, o que significa, em essência, aprofundar a reforma das empresas estatais chinesas.”

SETORES CRUCIAIS

A maioria das 106 estatais chinesas operam em setores cruciais para o desenvolvimento social e econômico do país, como telecomunicações e energia.

Os principais problemas dessas empresas de administração centralizada incluem fragilidades no exercício da atividade-fim, excesso de empresas paralelas concorrentes, baixa eficiência e escalões de administração e gerência em número excessivo.

O excesso de escalões hierárquicos e a redundância que persiste nas estatais chinesas são também parte dos motivos pelos quais nunca foi fácil fazer avançar as reformas, sempre adiadas ao longo dos anos.

Apesar das dificuldades, Li reiterou já em várias ocasiões a disposição do governo para levar a cabo as reformas necessárias, falando da determinação em termos de “um bravo guerreiro, que corta a própria mão, para salvar o corpo” – porque não há dúvidas de que as reformas afetaram interesses de alguns.

EMPRESAS-ZUMBIS”

Na reunião ficou decidido que 345 “empresas zumbis”, todas subsidiárias das 106 estatais, serão reorganizadas ou entregues ao mercado dentro dos próximos três anos.

Das estatais, espera-se que reduzam os escalões de gerência para menos de 3 ou 4, dos 5 a 9 que há hoje, e que cortem 20% das suas entidades legais subsidiárias no prazo de três anos.

O governo também planeja reduzir as perdas que se verificaram nas subsidiárias das estatais em cerca de 30%, e aumentar os lucros das estatais em mais de 100 bilhões de yuan (15,3 bilhões de dólares norte-americanos) até o final de 2017.

Enquanto isso, o governo cortará em 10%, em 2016, a capacidade de carvão e aço destinada às estatais; e outros 10% de redução, em 2017. Carvão, ferro e aço estão entre os setores chaves, no esforço para reduzir o excesso de oferta.

ENTRAR EM FORMA

Na reunião da 4ª-feira, Li mais uma vez destacou que as estatais chinesas precisam “perder peso e entrar em forma”, ideia que o premiê chinês apresentou no plano de trabalho do governo para esse ano.

A reforma das gigantes estatais em geral é a maior tarefa prevista para ser executada pelo governo no planejamento desse ano, que o premiê distribuiu em março. Destacou que o governo se empenhará muito para alcançar pleno sucesso na reforma e aprimoramento das estatais, garantindo que o ajuste estrutural será feito de modo a promover a inovação, a reorganização e a reforma na gestão de pessoal das mesmas estatais.

“Promover melhor governança é vitalmente importante para as empresas estatais chinesas. É indispensável que se concentrem na atividade-fim e que melhorem a qualidade do que produzem. Essa será tratada como a principal missão das empresas estatais chinesas” – disse Li durante a reunião de 4ª-feira, acrescentando que não devem ser alocados muitos recursos nos negócios derivados da operação das estatais, nos quais o setor privado tem em geral maior presença.

REESTRUTURAÇÃO

O novo plano estimula a reorganização interna das estatais chinesas e a otimização da alocação de recursos. Capitais sociais são estimulados a participar e a apoiar a reestruturação das estatais.

O novo plano também convoca as estatais a “crescerem e fortalecerem-se mediante a inovação” e a investirem mais em pesquisa e desenvolvimento.

(artigo enviado pelo jornalista Sergio Caldieri)

3 thoughts on “Para reforçar suas estatais, China vai privatizar ou reformar 345 subsidiárias

  1. O Brasil deveria copiar. Funcionalismo público já era, saiu de moda, não tem como manter este gigantesco cabide de empregos. E justamente por ter se tornado tanto sinônimo de garantias sem fim como de péssimo atendimento, tem que acabar.

  2. O grande problema não é o Servidor Público somente, o que vem por dentro disso é um “cancer administrativo” chamado “terceirização” que conflita Organizacionalmente na Gestão e nos Salários, e, geralmente vem com contratos mal assombrados e gente desqualificada para gestar os bens públicos, lavando o dinheiro público entre “empresas fantasmas” , basta Auditar para ver isso, também, no Brasil. Para piorar no Brasil foram criados além da Terceirização essa Máquina Criminosa de Concursos Públicos que incharam a máquina e nada de bom trouxeram para a Gestão Pública, trouxeram somente uma dívida colossal e conflitante. Na União, Estados e Municípios, se existir Gestor sério e competente, faz uma devassa nesses males e de uma canetada só resolve um grande e colossal Passivo Financeiro, Organizacional e Administrativo . Esse negócio de manter o Minc vocês acham que é por causa de nossa Cultura ???? Nunca, são os Cargos Comissionados, Terceirizados e até Quarteirizados em cima de Contratos Criminosos que sustentam uma “canalha cleptômana corrupta e intelectual malandros” que se fartam com o dinheiro público sem nada produzirem, não aguentam 5 minutos de Auditoria Especial, esse país tremeria ! O mal que o “lulodilmopetralhismo” fez ao Brasil e na Gestão Pública vão ser preciso mais de 20 anos para serem corrigidos, claro que além de Gestão tem que haver prisão, pois eles vão tentar atacar fisicamente e moralmente pessoas, prédios públicos e privados, fazerem a baderna e o terrorismo que sempre fizeram e onde são professores do caos urbano e rural para sustentar intelectuais malandros e corruptos no comando de nossa Cultura com a intenção de ficarem ricos pessoalmente e familiarmente, basta ler alguns Contratos dessa obras culturais mal assombradas !!! A China é aqui, ou Privatizamos ou Falimos todos !!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *