Parlamentares do Centrão reforçam cobrança por saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação

Weintraub tem se “embolado” sozinho e se envolvido em polêmicas

Fransciny Alves
O Tempo

Os parlamentares do chamado Centrão, maior grupo do Legislativo, têm enviando recados mais duros ao governo federal de que é preciso trocar o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o quanto antes. O movimento se intensificou após surgir rumores, nesta semana, que o chefe da pasta iria pedir para sair.

Ele é um dos ministros do núcleo ideológico do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com quem o Parlamento tem mais dificuldade de lidar. A avaliação do políticos é de que conseguiram a queda do mais “difícil”, o ex-juiz Sergio Moro que comandava o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

POLÊMICAS –  Por isso, acreditam que a saída de Weintraub pode ser conquistada de forma mais simples, uma vez que ele tem se “embolado” sozinho, por defender a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), ser alvo de inquérito por racismo na Corte e tecnicamente apresentar falhas no comando da pasta.

O ministro nunca teve diálogo com o Congresso por criticar a classe política e constantemente discutir com os parlamentares. Ele só conta com apoio do grupo mais radical, comandado pelos filhos do presidente. E os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), nem mesmo o recebe.

ANTIPATIA – O Centrão avalia que Bolsonaro vai ser acabar acatando a ideia para não ter pautas empacadas no Legislativo e não ver andar o processo de impeachment. Soma-se a isso o fato de que dentro do próprio Palácio do Planalto, o ministro da Educação conseguiu angariar a antipatia de importantes frentes do Executivo, como da área econômica. Ele é visto como uma peça que traz mais problemas do que solução.

Um líder confidenciou ainda que o centrão trabalha para que essa saída de Weintraub ocorra e, depois, os olhos devem se voltar para Damares Alves, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. Também membro do núcleo ideológico, ela tem feito com que líderes percam a paciência com as declarações polêmicas dela e a postura radical.

6 thoughts on “Parlamentares do Centrão reforçam cobrança por saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação

  1. Mapa da mina.
    ” Por isso, acreditam que a saída de Weintraub pode ser conquistada de forma mais simples”
    Para alguns é conquista que representa a derrota do outro lado.
    Depois a nova “conquista” vai ser Damares, depois outro e outros, desidratando o governo até a inanição.
    Nesse faroeste o pistoleiro fulmina uma vítima, assopra o cano do revolver e pergunta, agora vocês querem que eu mate quem?

  2. E como está a educação no país?Ah, não sabe, ministro?

    Entendo, o senhor só quer fazer política para agradar ao seu Jair e esquece do mais importante, que é dirigir a sua pasta.

    Incompetente igual ao chefe, seu Jair.

    Já vai tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *