Parlamentares não esperavam a reação da Lava Jato contra a “operação Abafa”

Resultado de imagem para lAVA jATO CHARGES

Charge do Tacho, reproduzida do Jornal NH

Vera Magalhães
Estadão

Talvez uma das coisas mais positivas da convulsão política pela qual o Brasil passa desde 2013, com a eclosão das jornadas de protestos de junho, seja o fim da passividade de cidadãos e de instituições como Ministério Público e Poder Judiciário. O sucesso da Lava Jato e o impeachment de Dilma Rousseff são os resultados mais palpáveis dessa nova institucionalidade. O que parece alentador é que, mesmo passado o momento agudo da crise, ela parece se manter sólida para reagir a movimentos regressivos como o colocado em curso pelo Congresso desde a troca da guarda no Palácio do Planalto.

O roteiro do impeachment previa, como bem disse o delator Sérgio Machado, uma certa acomodação posterior à posse de Michel Temer: viriam medidas no Congresso e um certo suporte no STF para tentar circunscrever a Lava Jato ao que já se sabia e seguir o jogo.

VÁRIAS FRENTES – Foram abertas inúmeras frentes de ação nesse sentido. As mais visíveis são as reiteradas tentativas de anistiar o caixa 2 eleitoral, sob a “ingênua” justificativa de que ele passará a ser considerado crime e, portanto, o que foi praticado anteriormente não pode ser punido, a proposta do Senado de apertar a Lei de Abuso de Autoridade para intimidar juízes e procuradores e, agora, a ideia de tornar mais lenientes os acordos de leniência de empresas pegas em corrupção.

O que não estava no radar dos políticos, que repetem o movimento que cerceou a Operação Mãos Limpas, na Itália, é que viria uma reação imediata, clara e em bom som dos procuradores da Lava Jato. Ao denunciar e chamar pelo nome que têm as manobras para coibir as investigações, o juiz Sérgio Moro e os procuradores jogam um holofote gigante onde deputados e senadores gostariam de operar no escuro.

Resta saber se os movimentos de combate à corrupção, que foram às ruas e bateram panelas pelo impeachment, estão suficientemente atentos e mobilizados para se juntar aos agentes da Lava Jato na outra “perna” fundamental para impedir que a operação Abafa prospere: a gritaria nas ruas.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA análise da jornalista Vera Magalhães segue a linha do artigo publicado quinta-feira aqui na Tribuna da Internet, sob o título “Mais do que confirmado: Governo Temer quer mesmo abafar a Lava Jato”.  Nesta matéria lembramos que a denúncia original foi feita na Veja, no início de setembro, pelo ex-ministro Medina Osório, da Advocacia-Geral da União. O fato concreto é que não há mais dúvidas: a operação para abafar a Lava Jato realmente está em curso. E a jornalista Vera Magalhães tem toda razão ao dizer que é preciso que as pessoas saiam à ruas para conter a operação Abafa. (C.N.) 

14 thoughts on “Parlamentares não esperavam a reação da Lava Jato contra a “operação Abafa”

  1. Acho interessante o país está este caos. Temer conseguiu 170 bi + 50 bi da repatriação dos corruptos e não tem dinheiro. Abre o olho Brasil, tiramos o PT, mas o PMDB vai destruir mais rápido o país como fez no Rio de Janeiro. O Cabral deve estar nos EUA curtindo suas férias eternas. O Temer vai fazer o pé de meia no tempo que for possível. Ele, o gato angorá e o Padilha estão nadando no dinheiro público.

  2. Pois é, fico me perguntando onde o Temer e sua gangue está colocando o dinheiro. Infelizmente, Temer não é Itamar, Temer é Sarney e o país vai para o brejo com esta criatura que no máximo conseguiu ser deputado através do voto. Deveriam antecipar as eleições, pois com Temer a vaca vai para o brejo, só não é pior que Dilma.

  3. Caro Antonio, PT e PMDB, foram sócios majoritários, chefiando a quadrilha, PMDB deu uma “pernada no PT”, e agora comanda a corrupção, com o novo sócio, o PSDB, os penduricalhos, ficaram com as sobras.
    Comparando Dilma com Temer, fica dificil dizer quem é o pior, creio que é Temer pmdb, pois, são hienas, comendo a carne do trabalhador que rala na sobrevivência, se estiver empregado, e rindo.
    Gilmar Mendes, conivente, abençoando no TSE, a dupla Dilma/Temer.
    Que Deus nos ajude.
    Pergunta: onde estão os sindicatos e Centrais, ??, na omissão, coniventes, o movimento pacifico na Rua, é o caminho para redenção do País, torno a perguntar, Sindicatos e Federações, que recebem a milionária, de uma diária do trabalhador, conivente com as barbaridades do Temer/PMDB???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *