Pátria e patrão na visão de Lula, o patriota


 
Gilvan Rocha 

Já nos idos anos de 1848, Marx e Engels afirmavam: “O proletariado não tem pátria!”. O antigo proletário, Lula da Silva, destacado militante sindicalista e figura maior do Partido dos Trabalhadores, tem se revelado um abnegado patriota. Porém, o patriotismo do sr. Lula tem um viés faccioso, na medida em que presta os seus serviços a uma facção da burguesia, particularmente das empreiteiras, levando os seus pleitos a vários países.

Entre outros casos, há de se destacar a participação do ex-proletário Lula, no seu afinco em proporcionar bons negócios à empreiteira OAS, em Costa Rica. Nesse episódio, parecem existir alguns lances nebulosos; e tanto é assim que a procuradoria costarriquense denunciou irregularidades nos contratos dessa empreiteira e, em função disso, foi aberta uma rigorosa investigação da qual Lula não será poupado.

Outro caso que merece ser visto deve-se às incursões do ex-metalúrgico no Panamá onde, dessa vez, os seus patrióticos serviços tiveram como “cliente” outra empreiteira, a Odebrecht.

Vários são os casos em que se tem feito presente a participação desse “viajante”. Quando acontece de haver contestações a respeito dessas andanças e intervenções em favor de algumas empresas, tanto o Lula, quanto os petistas dizem: “estamos empenhados em proporcionar bons negócios para o Brasil”.

Mas o Brasil dos petistas é o Brasil dos banqueiros, das empreiteiras, das indústrias, dos exportadores, dos importadores, do agronegócio… Em defesa desses segmentos do capitalismo, Lula tem se prestado a ser um ardoroso defensor. Não é a toa que o grande slogan do governo Lula foi “Brasil, um país de todos”.

Trata-se de uma desavergonhada mentira, pois, como sabemos, as terras do Brasil são deles, dos capitalistas, assim como os bancos, as indústrias, as minas, o grande comércio, as grandes empresas. Ao povo restam migalhas, que, ao final de contas, terminam sendo bem recebidas, como é o caso patente do programa do Bolsa Família, quando há o empenho em promover uma política de assistência à miséria, quando a pretensão justa seria a abolição da miséria e da pobreza, e nunca administrá-las.

Do que foi dito, devemos concluir que pátria e patrão são coisas que se combinam e o que existe de fato, quando se fala em defesa da pátria, é a defesa dos interesses de uma classe, ou seja, os interesses da burguesia.  (artigo enviado por Mário Assis)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “Pátria e patrão na visão de Lula, o patriota

  1. O dia do senhor Lula está chegando. Suas maracutaias serão todas mostradas para a População Brasileira. Uma boa parte que o venera ficará decepcionada com o que vai acabar sabendo. Ninguém consegue esconder os seus erros por muito tempo. Um dia a casa cai. Lula seu dia de prestar contas está chegando. Se por acaso vc não prestar contas aqui pelo mal que causou ao Brasil e a População Brasileira voce terá que prestar contas no Juízo Final. Da Justiça Divina vc, Lulinha Paz e Amor, Não escapa.
    Nem vc nem os cumpanheiros ( com U mesmo ).

  2. Pátria e patrão na visão de Lula, o patriota(Gilvan Rocha):esse repassador de notícias não é a mesma figura q procurava estardalhaço nos primórdios do PT, aqui no Ceará?

  3. EITA QUE RANCOR,POLÍTICO POR POLÍTICO POR SI NENHUM PRESTA,MAS NEGAR O QUE O LULA FEZ PELOS MAIS CARENTES COISA QUE O MUNDO TODO ELOGIA É REMAR CONTRA MARE SE TEM MARACUTAIA NÃO SEI POIS POLÍTICO É POLÍTICO,BANQUEIRO ESSE SIM SE DA BEM SEJA QUEM FOR O GOVERNO E DE QUALQUER PARTIDO É SÓ OLHAR ANTES,ELES TEM O PODER DO DINHEIRO PLANTÃO NOTÍCIAS P/ QUE OS JUROS SUBAM COM A DESCULPA QUE ISSO DIMINUI A INFLAÇÃO ETC.PERGUNTO SÓ EXISTE UM MEIO DE CONTROLAR A INFLAÇÃO AUMENTANDO OS JUROS?COM A RESPOSTA OS GENIOS ECONOMISTAS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *