Paulinho da Força é alvo de operação da PF por caixa dois e lavagem de dinheiro

Paulinho da Força, que apoiou o golpe de 2016, é alvo de nova fase ...

Federais fazem buscas  e apreensão na casa e no gabinete do deputado

Deu em O Tempo
(Estadão Conteúdo)

A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Eleitoral deflagraram na manhã desta terça-feira, 14, a operação Dark Side, que tem como alvo o deputado federal Paulinho da Força (Solidariedade). Agentes fazem buscas no gabinete do parlamentar, em seu apartamento e ainda na sede da Força Sindical. Trata-se da primeira fase da operação Lava Jato junto à Justiça Eleitoral de São Paulo, que, segundo a PF, mira em suposto caixa 2 de R$ 1,7 milhão e lavagem de dinheiro.

Ao todo, os agentes cumprem sete mandados de busca e apreensão em São Paulo e Brasília. As ordens foram expedidas pela 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, que determinou ainda o bloqueio judicial de contas bancárias e imóveis dos investigados.

DOAÇÕES ELEITORAIS – Segundo a PF, o inquérito foi remetido à Justiça Eleitoral de São Paulo em 2019, com a colaboração premiada de integrantes da J&F.

“Por meio da quebra dos sigilos bancários, intercâmbio de informações com o Coaf, testemunhos de pessoas relacionadas aos fatos, dentre outras medidas investigativas, foi constatada a existência de fundados indícios do recebimento por parlamentar federal de doações eleitorais não contabilizadas, de maneira dissimulada, durante as campanhas eleitorais dos anos de 2010 e 2012, no valor total de R$ 1.700.000,00”, afirmou a corporação em nota.

Os pagamentos teriam ocorrido por meio da “simulação da prestação de serviços advocatícios e também mediante o pagamento de valores em espécie, contando para isso com doleiros”, indicou a PF.

GENRO DE PAULINHO – A corporação apontou ainda que o escritório de advocacia supostamente envolvido na simulação da prestação de serviços tinha como um dos seus sócios o genro do parlamentar.

Com a quebra do sigilo bancário do escritório, os investigadores identificaram a transferência de valores próximos à eleição de 2012, supostamente oriundas da Força Sindical e não declarada na campanha do deputado.

“Além disso, foi constatada a existência de diversas operações financeiras, relativamente atuais, que se enquadram em tipologias da lavagem de dinheiro, em especial o fracionamento de operações financeiras. Essas movimentações, não relacionadas ao parlamentar, indicam a possibilidade da prática de outros atos de lavagem de dinheiro autônomos e conexos, o que será objeto de aprofundamento na fase ostensiva das investigações”, afirmou a PF em nota.

PENAS DE PRISÃO – A corporação informou que os investigados podem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro, com penas de 3 a 10 anos de prisão.

A reportagem entrou em contato com o gabinete do deputado e com a Força Sindical. O espaço está aberto para manifestações.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Sem prisão após segunda instância, a impunidade de Paulinho está mais dos que garantida. Depois dessa decisão do Supremo, a PF trabalha à toa, porque nenhum corrupto é punido. Apenas isso. (C.N.)

8 thoughts on “Paulinho da Força é alvo de operação da PF por caixa dois e lavagem de dinheiro

  1. Carlos Newton, concordo com teu comentário.

    Aliás, a parte do texto “foi constatada a existência de fundados indícios do recebimento por parlamentar federal de doações eleitorais não contabilizadas, de maneira dissimulada,…” é rotina no Brasil e todos os “beneficiários” da falcatrua sempre ficaram impunes, em razão da decisão do STF sobre a condenação em segunda instância, que equivale a um habeas corpus preventivo pleno.

    Impunidade garantida com o carimbo do STF.

  2. Guilherme Almeida, bom dia.
    $$$$; este nunquinha mais.
    Veja bem: Os ‘pés de chinelo’, continuarão indo para a cadeia mesmo sem julgamento.
    O corrupto tem que se preocupar em desviar o $ suficiente para pagar uma banca de advogados e suas ostentações; o resto fica por conta de “nossas leis”.

  3. A prisão a partir da condenação em segunda instância nunca foi compulsória. O STF abriu a possibilidade, mas muitos juízes entenderam a decisão como uma licenciosidade geral para tal, em flagrante contradição com a CF.

    Também acho que o número de recursos para impedir ou protelar uma decisão é demasiada. Por mim, isso deveria mudar em todas as áreas jurídicas, não só a penal. Será que todos concordariam? Aqueles que querem a prisão a partir da segunda instância, também apoiariam a condenação em casos de decisões trabalhistas ou tributárias? Ou é aquela historia: para mim e amigos a lei, aos demais os rigores da lei.

    Os causídicos que ganham muito defendendo clientes privilegiados concordariam? O sistema judiciário que é inchado por causa dessas instâncias, concordaria com mudanças?

    Para por fim a essas discussões e enxugar o sistema judiciário, altere-se a Constituição ou os códigos penais, tributários e trabalhistas. Mas isso é uma ilusão.

  4. Este Páis não tem mais jeito.
    A única opção é a saida pelos Aeroportos., e se piquem, como dizia o saudoso Galeão-Cumbica.

    E lá nave vá….

    Vive La France.!!!

    PS. Por falar em impunidade, uma das maiores impunidades jjamais vista neste Páis, , é aquela Mansão na Avenue Foch, que por sinal, o silêncio da Mídia Nefasta corrupta é de fazer vergonha ao mais comunista vermelhinho deste planeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *