PDT deixa a base aliada e lança candidatura de Ciro Gomes

Ciro Gomes enfim assinou a ficha de filiação ao PDt

Luciana Lima
iG Brasília

O presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Carlos Lupi (RJ), afirmou nesta quarta-feira (16) que o partido já se prepara para deixar os cargos que ocupa no governo da presidente Dilma Rousseff. O político também já acerta a saída do ministro do Trabalho, Manoel Dias, na reforma, que deverá ser anunciada nos próximos dias.

Durante a filiação do ex-ministro Ciro Gomes ao PDT nesta quarta, Lupi disse que a sigla “sairá pela porta da frente do governo”, sem, no entanto, deixar a base de Dilma no Congresso. Ele ainda acrescentou que o partido é radicalmente contrário às iniciativas pelo impeachment da presidente.

Segundo Lupi, o partido terá candidato próprio nas eleições de 2018. Esse seria um dos motivos para o PDT deixar o governo agora, já que se sabe que o PT também pretende lançar sua candidatura. O político admitiu que Ciro Gomes é uma grande aposta da sigla para ser candidato à Presidência da República.

O ministro Manoel Dias, também presente na afiliação, evitou especular sobre a reforma administrativa, mas reafirmou seu “apoio incondicional” a Dilma Rousseff. “O PDT não pode rasgar sua biografia. Nós tivemos Getúlio Vargas, João Goulart e Leonel Brizola. Não há como defender um processo que não seja democrático”, declarou. Dias ainda fez crítica às investidas da oposição para derrubar a presidente: “somos legalistas.”

CIRO É O CANDIDATO

Ao fazer o discurso de boas vindas para-o ex-ministro Ciro Gomes ao PDT, o prefeito de Natal, Carlos  Eduardo,  acabou se empolgando e convocando os pedetistas a se envolverem na candidatura de Ciro, à Presidência da Republica, em 2018.

“A partir de agora temos uma liderança nacional. Vamos fazer de Ciro Gomes presidente da Republica em 2018″, disse o prefeito arrancando palmas empolgadas da plateia. em seguida, o prefeito se arrependeu do anúncio.

“Acho que estou falando um pouco demais”, disse o prefeito, diante dos olhares de reprovação do presidente da legenda, Carlos Lupi, que tinha combinado não falar em candidatura.

Lupi o repreendeu ao pé do ouvido: “Não era para falar agora”, disse Lupi.

25 thoughts on “PDT deixa a base aliada e lança candidatura de Ciro Gomes

  1. Coitado do valoroso Brizola. Nem no além sua alma descansa com tantas atrocidades perpetradas por Lupi e seus miquinhos amestrados.
    Os bons quadros do PDT estão indo embora. Pedro Taques já foi. Reguffe também irá. Paulo Ramos nos deixou. Miro Teixeira é outro. Nilo Batista, Saturnino, enfim os melhores.
    Hoje, no PDT, apenas Cristóvão Buarque reúne história, formação e discurso para ser o candidato do Partido.
    Esse Ciro e seu abestado irmão são uns trânsfugas. Começaram na Arena e já circularam por meia dúzia de Partidos sem assumir compromissos com qualquer um deles

  2. Se Brizola estivesse vivo, duvido que apoiaria, mas hoje o PDT está com Carlos Lupi, não aprendeu nada com Brizola, está cada vez mais enterrando o projeto do Brizola, Darcy Ribeiro e outros leais, assim como fizeram Marcelo Alencar, César Maia e outros, fizeram escada nas costas de Brizola, são uns mercenários.

  3. Cid e Ciro Gomes são acusados de desviar R$ 300 milhões, diz revista

    POR ISABELA MARTIN / / /
    20/09/2010 0:00 / ATUALIZADO 23/05/2012 19:32

    FORTALEZA. A caminho da reeleição em primeiro turno, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), é citado em denúncia da revista “Veja” sobre um esquema que, entre 2003 e 2009, teria desviado R$ 300 milhões de prefeituras cearenses. A denúncia envolveria ainda o irmão do governador, o deputado federal Ciro Gomes, do mesmo partido, durante período em que foi ministro da Integração Nacional (2003 a 2006). Parte do dinheiro teria ido para um “caixa dois” e ajudado a financiar as campanhas de Cid, ao governo do estado, e de Ciro, para deputado federal, em 2006.

    Segundo a revista, as provas estão em documentos apreendidos pela Polícia Federal e na memória de um computador do empresário Raimundo Morais Filho. Em 79 mil arquivos, Morais Filho, cujo paradeiro é desconhecido, descreveria a atuação da quadrilha.

    Na primeira fase, o dinheiro desviado teria saído do Ministério da Integração, na gestão de Ciro Gomes. As prefeituras que participavam dos esquema fariam licitações dirigidas, beneficiando sempre uma das 17 empresas de Morais Filho. O empresário ficava com 4% do valor do contrato e repassava o restante para Zezinho Albuquerque, através da assessora parlamentar Maria Lúcia Martins, presa pela PF em junho passado.

    Os recursos eram repassados às prefeituras, que executavam obras com qualidade inferior à prevista. A sobra do dinheiro teria ajudado na eleição de Cid e Ciro, em 2006. De 2007 a 2009, segundo a “Veja”, o dinheiro repassado ao “caixa dois” teria saído dos cofres do governo do estado.

    Em nota, Cid Gomes se disse “indignado” e rebateu as acusações. Afirmou que jamais teve relacionamento com Morais Filho e que vai acionar a Polícia Federal, para saber se existe inquérito no qual seu nome seja citado. O deputado Ciro Gomes negou as acusações e disse que processará os responsáveis.

    Nota do Ednei: Apesar da promessa acima, Ciro Gomes nunca processou a revista “Veja” – Por que será ?

      • segunda-feira, 22 de novembro de 2010

        POLÍCIA FEDERAL PRENDE EMPRESÁRIO ACUSADO DE ENVOLVIMENTO EM ESQUEMA DE CORRUPÇÃO COM O GOVERNADOR DO CEARÁ

        O empresário Raimundo Morais Filho, o “Moraizinho” (foto acima), foi preso nesta segunda-feira (22/11), pela Polícia Federal, em Fortaleza – CE. Ele é acusado de comandar esquema de fraude em licitações com prefeituras cearenses. Uma edição da revista Veja, no mês de setembro último, denunciou um esquema de corrupção descoberto pela Polícia Federal em 2009, desdobramento das Operações “Gárgula”, “Província” e “Goliath”. A publicação fez ligações entre Moraizinho, o governador Cid Gomes (PSB), o deputado federal Ciro Gomes (PSB) e o deputado estadual Zezinho Albuquerque (PSB).

        A revista Veja também publicou na matéria o fato de que o empresário relacionava o esquema a formação de caixa dois já para a campanha do então candidato Cid Gomes em 2006.

        O Deputado Zezinho Albuquerque, ligado politicamente e amigo pessoal dos “Ferreira Gomes”, ocupa atualmente a 1ª Secretária da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa do Ceará. No último dia 23 de junho de 2010, ele teve o seu Gabinete naquela Assembleia objeto de cumprimento de Mandado de Busca e Apreensão pela Polícia Federal, quando na oportunidade a sua Chefe de Gabinete, Maria Lúcia Ramos Martins, foi presa por envolvimento no super esquema milionário. Zezinho Albuquerque está pleiteando ser o futuro presidente da Assembleia Legislativa, haja vista que o atual Presidente, Deputado Domingos Filho, foi eleito vice-governador de Cid Gomes para a legislatura 2011-2014.

        Naquele dia 23 de junho, também foi preso outro servidor da Assembleia Legislativa do Ceará, Jânio Falcão do Carmo. Já na cidade de Trairi – CE, foi preso o empresário Mirgon de Oliveira Oiteral.

        Processo corre em segredo de Justiça

        A Polícia Federal no Ceará confirmou a informação, pela assessora de comunicação, Fábia Rocha, que o empresário está preso por ordem judicial. Nenhum detalhe a mais sobre a prisão foi passado pela PF. O processo corre em segredo de justiça.

        Desdobramento do Processo pode chegar ao STJ e STF

        Reportagens, dentre elas a publicada pela revista Veja em 23 de setembro do corrente ano, em seu portal online, dá conta de que todo o esquema criminoso de cerca de 300 milhões de reais terá desdobramento. Ressalta que o atual Processo leva o número 2009.81.00.014040 e tramita na 10ª Vara da Justiça Federal do Ceará, podendo entretanto, ter desdobramento perante o Supremo Tribunal Federal – STF (já que Ciro Gomes é Deputado Federal) e Superior Tribunal de Justiça – STJ (fôro competente para julgar Cid Gomes).

        Na amplitude da Justiça Estadual do Ceará

        O Ministério Público Estadual começou a atuar e já pediu, através da Procuradoria de Crimes Contra a Administração Pública (PROCAP) e dos Promotores de Justiça da Comarca de Nova Russas, através de ação civil pública de improbidade administrativa resultante da “Operação Província”, o afastamento do prefeito de Nova Russas, Marcos Alberto Martins Torres.

        A organização criminosa constituiu as empresas Pratika Incorporações Ltda., Daruma Construções e Empreendimentos Ltda., Êxito Construções e Empreendimentos Ltda., Construtora Leandro dos Santos, e Master Assessoria e Engenharia Ltda., que servem de fachada para a atuação da empresa Falcon Construtora e Serviços Ltda., de propriedade de Raimundo Morais Filho.

        De acordo com o MP, a constituição de tais empresas tinha como objetivo fraudar licitações para assegurar o desvio de recursos públicos. Ainda segundo o MP, em algumas oportunidades Raimundo Morais Filho usava nome e dados de pessoas humildes para constituir as empresas pagando, para tanto, algo em torno de R$ 150,00 por mês.

        O grupo agiu em mais de cinquenta municípios do Ceará, perpetrando crimes de formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva, que renderam para os envolvidos, nos anos de 2008 e 2009, quantia superior a R$ 30.000.000,00.

        (Fonte: Com informações de SGNotícias, Jangadeiro online, O Povo, Ceará é Notícia, Extra online, CNews e Veja)

        • Ora, não quero defender os Gomes e tenho até antipatia por eles.
          Já se passaram cinco anos e o processo ainda está em segredo Justiça?! Não me convence.
          A Veja às vezes comete lá seus factoides, como por exemplo: uma reportagem em que a revista acusa que Leonel Brizola teria ficado rico as custas de roubo.Brizola entrou na justiça. Não sei no que deu, não me cuidei de acompanhar o desfecho judicial.

  4. Com a morte do Brizola, morreu também o PDT. Vejam bem: o PDT sai do governo, mas continua apoiando a Presidente Dilma. Ainda no governo Lula, Brizola disse: o Lula traiu os trabalhadores. É óbvio que não apoiaria este governo, ainda mais agora que se descobriu que a corrupção é institucionalizada e começou no início do governo Lula.

  5. Parabéns ao comentarista Mario Assis, pela acuidade e pleno conhecimento que demonstra do PDT de Brizola ; aquele outro, não este que nada tem a ver com o Trabalhismo. Carlos Lupi, coitado, é esforçado, mas nada aprendeu, limitado que é, do grande Comandante e líder brasileiro. O PDT, esse que aí está, o de Carlos Lupi, não existe mais, teve o próprio Lupi como coveiro, e de modo algum representa o Trabalhismo. Precisamos de uma verdadeira liderança que aglutine os verdadeiros Trabalhistas em outra sigla, mais oxigenada e com verdadeiros propósitos e, quem sabe, o nome seria o do honrado Cristovam Buarque???

  6. Ciro Gomes — “Eu não entro no PDT para uma festa. Não entro no PDT para ser candidato a rigorosamente nada. Mas eu venho para o PDT pensando nos valores que o partido representa, desde seus primórdios, desde as figuras extraordinários que jamais podem ser esquecidas, como Brizola”.

    A aproximação entre Ciro e o PDT de Leonel Brizola vem da formação do atual governo de Dilma Rousseff e visa abrir alternativas melhores para o país, como tenho divulgado desde 2014: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=1548313422051590&set=t.100006188403089&type=3&theater

    As grandes preocupações de Ciro Gomes reveladas em entrevista no mês de julho, pouco antes de seu ingresso no PDT Nacional: 1. O enfrentamento aos endinheirados do setor financeiro que jamais darão trégua mesmo tendo colocado um interventor no governo; 2. A contestação a golpismos pouco importando suas tendências se vinculados à ‘direita paraguaia’ ou ‘esquerda bolivariana’; 3. Garantia da Legalidade Constitucional pressionando o governo Dilma Rousseff para que se reconcilie com a sociedade: http://www.youtube.com/watch?v=8kDP-nboIo4

    ATO HISTÓRICO — A acolhida calorosa e a consistência do discurso de Ciro Gomes refletem o bom momento da sigla. Avante PDT, pelo Brasil! http://www.youtube.com/watch?v=2EAxIXimknA

    MANCHETES VENENOSAS — Como escrevi outras vezes, reitero que é imperioso adotar os devidos cuidados com determinadas manchetes, sejam de jornalões ou ‘analistas políticos’ ancorados em outros interesses menos nos fatos. Essa aí, por exemplo, é desprovida de qualquer sentido e não é opinião nem notícia: http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/pdt-entrega-ministerio-do-trabalho-para-lancar-ciro/

    Senão, vamos fatos: 1. O PDT Nacional continua com o ministro Manoel Dias no Ministério do Trabalho atendendo à reiteração de convite feito pela presidente Dilma Rousseff há um mês e ancorado numa resolução partidária aprovada em 15 de maio; 2. Não há condicionante na filiação de Ciro Gomes com a antecipação de candidatura ou campanha presidencial para 2018 porque a sigla e ele enfatizam que isto é contra a regularidade do processo político configurando crime eleitoral; 3. A aliança que a sigla brizolista mantém com o governo Dilma é fruto das eleições de 2014 e seu prazo legal de validade é para o atual mandato, até deliberação em contrário da presidente ou do partido (instituição).

  7. Aguardei o comentário de Stédile, na condição de partidário do PDT, de modo a ler a sua ideia a respeito de Ciro Gomes ser lançado à presidência pela sua sigla.
    Não tenho nada contra Ciro Gomes.
    Sequer eu o vejo como antipático, portanto e, em caráter pessoal, corroboro nada haver de mim que possa criticar o ex-ministro em seu novo estágio político, agora no Trabalhismo.
    Stédile não me trouxe maior animação com o seu candidato, assim como o meu amigo Cazé, que defende o nome do ex-governador do Ceará à presidência da República em 2018.
    Lembro-me de já ter comentado que, dificilmente, um nome egrégio da política atual ou mesmo do passado, conseguirá reunir em torno de si uma quantidade de eleitores animada, diante dos fracassos anteriores e recentes de uma classe absolutamente desmoralizada, sem autoridade moral, corrupta e desonesta até a medula.
    Ciro, a meu ver, terá de enfrentar esta rejeição, que não é só minha, não, mas de milhões de decepcionados eleitores, além de se mostrar um trabalhista – mesmo que de primeira viagem – em total sintonia com discursos de pedetistas históricos, personagens cada vez mais raros neste partido que foi de Brizola, um líder autêntico, valente, único.
    Certamente em face desta escassez, o PDT tenha optado pelo Ciro ser conhecido nacionalmente, de falar fácil e incisivamente quando percebe a ocasião oportuna ou porque o assunto exige.
    O Brasil desconhece Ciro quanto à sua capacidade de liderança, de arregimentar políticos, de fazer crescer o PDT e tornar a sua aventura ao Planalto viável, e não apenas um sonho de verão, dificuldades que o candidato terá de sobrepujar através de palavras que se enquadrem no projeto de Brizola quanto à educação, segmento abandonado pelo PT e um de nossos pontos frágeis, que ajudará Ciro se este apresentar uma plataforma que contemple o Ensino Integral em nível nacional e acarretar à União que esta pague o Piso aos Magistérios Estaduais, aliviando o orçamento dos Estados e demonstrando de forma inequívoca que será esta área a sua preocupação maior e base às demais propostas.
    Ciro não pode é querer se fazer maior que o PDT, que os trabalhistas vencerão as eleições por causa de seu nome.
    Cometerá erros grosseiros e perderá as eleições solenemente, pois a sua verve de orador e articulador de frases jamais irão outorgar-lhe a dimensão do líder que foi Brizola, que não era um orador por excelência, mas um observador, que pronunciava as palavras certas em horários também pontuais.
    Ciro deve se preparar para contrapor o candidato da situação – quem sucederá Dilma? Lula, Mercadante … quem será o petista que enfrentará o povo brasileiro depois de falido, explorado e roubado pelos petistas?! – e demais opositores de outros partidos, que terão de prestar muitas explicações e justificativas ao eleitorado sobre as razões pelas quais apoiaram o PT e contribuíram para a situação ter se deteriorado da forma como estará o País em 2018.
    E deverá se cuidar com nomes que poderão surgir fora do quadro político, estes, sim, que terão a preferência dos eleitores, pois descomprometidos com esta forma abjeta e deletéria que a política brasileiras se transformou!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *