Pedido de Dilma ao comando do PT provoca uma crise com a cúpula do PCdoB

“O PCdoB não é um acessório do PT”, diz Orlando Silva

Catia Seabra
Folha

Na expectativa de conquista de votos contrários a seu impeachment no Senado, Dilma pediu que a cúpula do PT interviesse em cinco cidades do Maranhão em atendimento a reivindicações dos senadores maranhenses João Alberto (PMDB) e Roberto Rocha (PSB).

O comando do PT interveio em apenas dois municípios. Em Codó, quinta maior cidade do Estado, determinou que o PT rompesse a aliança com o PCdoB, na qual ocuparia a vice da chapa, para apoiar o candidato do PSDB.

Em Timon, terceiro maior município do Maranhão, a direção petista decidiu que o partido saísse de uma chapa composta por PSB e PC do B em favor do outra integrada por PSD e PMDB. Segundo petistas, a operação também contemplaria o senador Edison Lobão (PMDB-MA).

POUCAS INTERVENÇÕES – A Folha apurou que o presidente do PT, Rui Falcão, atendeu parcialmente as solicitações de Dilma. Em respeito aos pedidos do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), não houve intervenção também em São Luís, Imperatriz e Balsas.

As concessões foram, porém, suficientes para incomodar a cúpula do PCdoB, que procurou o comando do PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A mobilização foi também para evitar novas intervenções.

SEM APOIO – Presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos diz não querer acreditar nas decisões do PT. “Depois de todos gestos que o Flávio [Dino] fez [contra o impeachment], isso não é brincadeira”, reclama Luciana Santos, que é candidata à Prefeitura de Olinda (PE) sem apoio do PT.

Deputado federal pelo PDT do Maranhão, Ewerton Rocha também diz que seu partido terá que dar uma resposta ao PT.

O secretário de Organização do PT, Florisvaldo Souza, minimizou, por sua vez, o impacto das medidas do Diretório Nacional. Ele argumenta que o PT manteve a aliança com o PCdoB nas principais cidades do Maranhão, atendendo às orientações do governador. Florisvaldo diz que foi responsável pelas intervenções. Questionado se esse era um pedido da presidente afastada, limitou-se a dizer: “Eu me reservo o direito de não falar sobre isso. Não vou responder”.

UM “INDECISO” – O senador Roberto Rocha (PSB-MA) nega que tenha exigido alianças no Estado em troca de um voto contrário ao impeachment no Senado Federal. Ele admite ter conversado com Dilma e com o presidente interino, Michel Temer (PMDB). “Quem disse que posso mudar meu voto? Eu ainda não disse qual será. Minha tendência é seguir a decisão do partido, que não tomou decisão”, afirmou o senador.

Esse não é o único atrito recente entre PT e PCdoB. Petistas reclamam, por exemplo, de uma aliança dos comunistas com o DEM em Fortaleza. Integrantes do comando do PT também culpam o PCdoB por sua derrota na eleição para a presidência da Câmara. Afirmam que o candidato apoiado pelo PT, Marcelo Castro (PI), não teria sido derrotado caso o PCdoB o apoiasse. Mas, em vez disso, comunistas lançaram o deputado Orlando Silva (SP), que, mais tarde, apoiou o vencedor Rodrigo Maia (DEM-RJ) para o cargo. Silva, que conversou com Lula antes da decisão, rebate: “O PCdoB não é um acessório do PT”.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Como diria Brizola, o PCdoB parece que já está “costeando o alambrado”. O fato é que o partido (que se diz comunista, mas não é) só consegue sobreviver se estiver pendurado nas tetas do poder. Não importa quem esteja no Planalto, o PCdoB quer logo aderir, para manter os cargos públicos. (C.N.)

13 thoughts on “Pedido de Dilma ao comando do PT provoca uma crise com a cúpula do PCdoB

  1. Estaria este PCdoB fazendo uma espécie de “bordejo político”?
    Quando num barco a vela, um bordo desce o outro sobe, e o velejador vai para o bordo que esta em cima. É para não virar e naufragar.
    Assim fazem os nossos “devotados e patrióticos” políticos, que de ideológicos nada tem, são oportunistas por natureza.
    Este “Mister Tapióca”, a única coisa nele que lembra algo de bom, é o nome, que faz relembrar o grande cantor das multidões.

  2. O Dotô Reitô acabou de ser condenado, pelo TCU ,a devolver R$ 10 milhões, quer mais ?

    Maranhão sugere ao Planalto que pode causar problemas se não nomear vice da Caixa

    Por Painel

    Cuma? Waldir Maranhão (PP) mandou recados ao Planalto. Ou o governo nomeia um indicado seu para uma vice-presidência da Caixa, ou pode causar problemas. Ele voltará a assumir a presidência da Câmara quando Michel Temer estiver no exterior.

    Penso grande A sinecura cobiçada por Maranhão é a vice-presidência de Gestão de Ativos de Terceiros, cargo que mexe com dinheiro de fundos de pensão, por exemplo.

  3. O comunismo “teorico” pregado nas idéias de Marx é muito lindo e fantasioso, só dando certo nos livros de romance. Assim como a resposta decisiva de uma pergunta dad à uma candidata a miss mundo: “Eu desejo a paz mundial “… Lindo, não? Só funciona na teoria! O comunismo “pratico” é o que todos já conhecem, que não deu certo no planeta inteiro em nenhum tempo e se pauta SOMENTE na hipocrisia, falsidade, dissimulação, demagogia barata e muita, muita mentira!! Mas que o comunismo teórico é bonito, isso ele é! !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *