Pela primeira vez, os evangélicos realmente se uniram e elegeram Crivella

Resultado de imagem para silas malafaia

“Chora, Capeta!”, disse Malafaia, comemorando a eleição

Carlos Newton

A união das diversas seitas evangélicas foi fundamental para a vitória do candidato Marcelo Crivella, senador pelo PRB. Os bispos que se multiplicam nessas correntes religiosas esqueceram as rivalidades e caminharam juntos nessa eleição. Aliás, é a primeira vez que isso ocorre nesta proporção. Muitos católicos praticantes também preferiram votar no bispo da Igreja Universal, por não confiarem em Marcelo Freixo, que realmente revela imaturidade política, a ponto de ter defendido que o impeachment da então presidente Dilma Rousseff era um “golpe de estado”.

Paradoxalmente, Crivella é ligado a importantes lideranças da esquerda no Rio de Janeiro, como o economista Carlos Lessa, o consultor Dar Costa, o editor Cesar Benjamin e o professor Luiz Carlos Prestes Filho. Foi consagradora a reunião que Lessa promoveu em defesa do candidato Crivella em seu sofisticado centro cultural no Catete, denominado “Ameno Resedá”, onde atualmente está exposta a impressionante coleção de arte chinesa do renomado economista, que foi reitor da UFRJ e presidente do BNDES. Destacadas personagens da intelectualidade carioca marcaram presença na reunião, no terceiro andar do casarão.

“CHORA CAPETA” – Logo após a eleição de Crivella, o bispo Silas Malafaia comemorou o resultado. Segundo a Agência Estado, o presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo usou sua página oficial no Twitter para exaltar a eleição do rival evangélico.

“Com manifestações que vão desde “Parabéns Cristãos” a “Chora capeta”, “Crivella venceu a intolerância, preconceito, manipulação jornalística, e o melhor, a esquerda comunista”, ele não poupou críticas ao PSOL, do candidato derrotado Marcelo Freixo (PSOL)”, assinalou a matéria da Agência Estado, divulgada com destaque pelo Correio Braziliense.

Desde 2010, Malafaia e Edir Macedo, criador da Igreja Universal,  estavam de lados opostos nas eleições, mas com a disputa contra o PSOL, o presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo não deixou de comemorar a vitória de Crivella.

DONO DA TV RECORD – Sobrinho do bispo Edir Macedo e um dos mais influentes líderes da seita religiosa, Marcello Crivella é o primeiro político do PRB a assumir uma das principais capitais do País.

Sofreu cerrada campanha movida pela Organização Globo, porque Crivella é um dos donos da Rede Record. Pouca gente tem conhecimento de que a emissora do Rio de Janeiro, canal 13, é de propriedade de Marcello Crivella e de sua esposa Silvia Jane, que aparece como sua sócia na concessão outorgada pelo Ministério das Comunicações. Como dizia nosso amigo Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe.

12 thoughts on “Pela primeira vez, os evangélicos realmente se uniram e elegeram Crivella

  1. Entre Crivella e Freixo, venceu o menos pior para o Rio. Agora, noto que o blog está infestado por petistas, ex-petistas e comunistas. Isto é indisfarsável e todos sacam a linha editorial e opinativa.

  2. O que mais me chamou a atenção nas eleições no Rio foi que em 6 dos 8 municípios o número de abstenções, brancos e nulos superou os 50%…
    Um claro aviso aos políticos e o tempo estava ruim…

    • Milicianos-Falsos Pastores-Politicães: a aliança confiscatória e extorsiva perfeita.

      Triste ver uma cidade, um povo, uma cultura tão maravilhosa nas mãos desses mesmos anjos da corrupção, da extorção, e da morte.

  3. Nem lá nem cá!
    Os números de votos em branco, nulos e abstenções, ultrapassaram os votos dos candidatos à prefeitura do Rio, sinal de que o povo não queria eleger Crivella ou Freixo.
    O primeiro pela sua religiosidade contestada por muitos, o segundo pela possibilidade de transformar a Cidade Maravilhosa em palco de protestos e baderna permanentes.
    Crivella venceu porque a população que sobrou decidiu optar pela calma dos templos, mesmo com seus insistentes pedidos de dinheiro, que a intranquilidade urbana, o quebra-quebra, os black-blocs, a violência desmedida e desnecessária!

  4. Caro Carlos Newton,
    Penso, salvo melhor juízo, que os cariocas não votaram no Marcelo Crivella, mas votaram contra TUDO AQUILO que o Marcelo Freixo representa.
    Se não me falha a memóriao número de abstenções, votos brancos e nulos superou os votos que sufragaram nas urnas Marcelo Crivella.
    Induvidosamente um claro aviso a essa corja desclassificada dos políticos que temos nesta pátria mãe gentil.

  5. As máfias milicianas do transporte, do oligopólio da violência, da extorsão…

    …E, claro, da lavagem da grana imunda e manchada de sangue, com dinheiro vivo dos pobres com medo do capeta, mas pastoreados pelo próprio malandro, lavando mais alvo que a neve…

    …A MEDIOCRIDADE, A POLITICAGEM E O DESINTERESSE DE UM POVO DESESPERANÇADO COM UM SISTEMA SEM SAÍDA REPRESENTATIVA, VENCERAM

    Por mais bisonho que seja o Fresco (Frouxo), nenhum miliciano jamais permitiria a sua vitória.

    E viva a tirania e o atraso político e religioso.

  6. Alguns estão dizendo que o Rio de Janeiro virou Rio Jordão. Essas pessoas inteligentes esquecem que o Crivella era ministro da Dilma e que naquele tempo não se queixavam disso. O pastor era ministro da pesca, o que dava para fazer bastante trocadilho. Mas essas pessoas inteligentes, não sabemos por quê, estavam dormindo…

  7. Sem condições de escolher por falta de candidatos com ficha limpa, e propostas de governo, parece que os cariocas escolheram o menos pior.
    Daí, é para esperar para ver como vai rolar o céu para o pastor…
    Quem sabe, o Divino dê um sopro de bondades, já que a herança é coisa do capeta…

  8. Votei nulo, mas não acredito que o Crivella vai misturar política com religião. Para quem tem pretensões maiores, isso seria o fim de sua carreira política.
    Com relação a religiões, o Congresso deveria criar uma lei, para que todas as religiões pagassem impostos. Ninguém deve ficar milionário sem pagar impostos.

  9. Para que ninguém esqueça: Edir Macedo e Crivela descendem de “cristãos novos” (judeus). Vide o Templo de Salomão: O que Salomão tem com o cristianismo. Filho de Davi, Salomão começou a construir o templo no ano de 967 antes de Cristo. O Templo de Salomão foi uma construção para exaltar a religião judaica, possivelmente guardar a “Arca da Aliança”. Crivela e Macedo são “Adoradores do Bezerro de Ouro”. O dinheiro de suas charlatanices fica em Israel. O povo do Rio de Janeiro se manifestou corretamente mostrando que nenhum dos dois candidatos merecia crédito. Pilantras e charlatões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *