Perdidos na crise

Carla Kreefft

Um governo perdido e sem saber o porquê. É assim que caminha o governo federal desde que tiveram início as manifestações populares. A queda da aprovação da presidente Dilma Rousseff comprova a crise, que tem como principal agravante a ausência de uma causa clara e objetiva.

Tudo o que o governo federal sabe sobre as manifestações e a insatisfação popular é o mesmo que todos os cidadãos brasileiros, que, de certa forma, assistiram atônitos aos protestos, sabem. Ou seja, é de domínio público que a juventude não está satisfeita com a corrupção, com a condução das políticas públicas e exige mudanças urgentes. E só.

O governo federal consegue até medir, por meio de pesquisas, o quanto essa onda de manifestações está afetando a sua avaliação, mas ainda não faz a menor ideia do que poderá fazer para reverter o quadro. E, certamente, não tem essa solução porque não sabe exatamente quem está nas ruas e por que lá estão.

Se o governo petista avaliou que, com a reforma política, poderia atender as demandas populares, errou muito. Os manifestantes não estão interessados em respostas de longo prazo, e, por outro lado, os parlamentares não estão interessados em apressar a tramitação de nada, especialmente de algo que poderá dificultar em muito a reeleição deles em 2014. Se o governo acreditou que essa falta de vontade do Congresso seria recriminada pelas ruas, errou novamente. Os manifestantes não compraram a reforma política como uma bandeira deles e a receberam como uma tentativa do governo de apresentar uma solução. Pelo que disseram os poucos líderes do movimento que vieram a público, a iniciativa foi avaliada de forma positiva, mas não conseguiu aderência suficiente para que fosse exercida uma pressão sobre o Congresso.

MAIS UM ERRO

O governo também errou ao apostar que a juventude do PT e de seus aliados conseguiria disputar as ruas com os manifestantes e restabelecer uma hegemonia ideológica que, na última década, garantiu a sustentação ao governo federal. O jovens partidários foram mantidos afastados dos movimentos e não se atreveram a debater essa hegemonia.

A crise parece ter abalado até mesmo a relação entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff. Enquanto o primeiro busca consolidar uma posição de adesão aos movimentos, afirmando compreender que a sociedade brasileira mudou e tem, agora, novas demandas, a segunda parte para a operação abafamento, utilizando artifícios como o plebiscito para a definição dos principais pontos da reforma política. Correndo cada uma para um lado, as duas principais lideranças políticas do PT demonstram que não somente foram surpreendidas como permanecem surpresas e confusas.

Nessa situação, é aconselhável ouvir. Mas é ouvir de verdade, e não somente fazer discurso dizendo que ouve.  (transcrito de O Tempo)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “Perdidos na crise

  1. Eu estou adorando ver a omissão da Tribuna frente ao propinoduto paulista, divulgado há uma semana, pela Isto É. Isto sim, é escandaloso (fala-se em mais de R$400 milhões), não a Mídia Ninja. Mas, pelo visto, escândalo no Brasil é só o PT que faz (e faz mesmo, mas não só ele).

  2. Domingo, 13 horas.
    Neste momento, neste exato momento, estou enxugando as lágrimas que derramei nestes dias, por causa dos discursos do Papa Francisco.
    Muita emoção dos jovens … e dos idosos como eu. Sou católico e identifico-me com as palavras de Jesus Cristo, totalmente.
    Glórias a Deus nas alturas!!!
    Paz na Terra aos homens de Boa Vontade.
    Amém. (sou feliz com Jesus!!!)

  3. Veja como o diabo tem os seus, Caro Valter Martins, a defesa do sr. CN veio de imediato. Parece que o Darcy está faz plantao. Eu tambem ainda nao vi nada a respeito. Pode ate ter excrito. Mas nao tem insistido tanto, como nos casos em que tem ou possa ter alguem petista ou ligado ao caso. A veemencia é caracteristica!!!!! SERVIÇIAS NAO FALTAM …ja havia cobrado isso noutro post comment conforme podeis ver abaixo:

    julho 28, 2013 até 1:17 am · Reply
    Nao vi ainda o sr. CN falar do caso abaixo, ou insistir nele pelo penos por uns 30 dias. Mas se fosse de algum petista???? tendenciosidade tem limites, sr. CN…

    http://www.conversaafiada.com.br/politica/2013/07/22/istoe-tucanos-de-sp-construiram-num-propinoduto/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *