PF incrimina Teotônio Vilela e Renan (pai e filho) por desviar verbas da seca

Teotônio mancha o nome de seu pai, o lendário senador

Deu em  O Globo

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta quinta-feira 11 mandados de busca e apreensão, sendo alvos da operação o ex-governador de Alagoas Teotônio Vilela (PSDB) e o ex-secretário de Infraestrutura Marco Fireman — atualmente secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde. Os agentes passaram mais de duas horas na casa de Teotônio e deixaram o local com um malote. Ele foi senador, governador eleito e reeleito, além de presidente tucano de 1996 a 2001. As informações são do “Bom Dia, Brasil”, da TV Globo.

A ação acontece em quatro estados: Maceió (AL), Salvador (BA), Limeira (SP) e Brasília (DF). A PF investiga irregularidades nas obras do Canal do Sertão, entre os anos de 2009 e 2015. A operação, batizada de “Caríbdis”, faz referência a uma criatura da mitologia grega que deixa as águas turbulentas.

PROPINAS – Em abril, o Globo mostrou que o dinheiro de obras contra a seca foi usado para pagar propina ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL), o atual governador de Alagoas Renan Filho e o ex-governador daquele estado Teotônio Vilela.

Os três são acusados de receber R$ 13,3 milhões da Odebrecht. Para Teotônio, os delatores da empreiteira disseram ter pago R$ 2.8 milhões, só no período em que ele era governador e um dos responsáveis diretos pelo Canal.

As fraudes nas obras destinadas a mitigar os efeitos da seca em Alagoas foram denunciadas pelos ex-executivos João Antônio Pacífico, ex-diretor da Odebrecht no Nordeste, Airel Parente e Alexandre Biselli, entre outros ex-dirigentes da empreiteira. Segundo eles, num primeiro momento, houve um acerto coM ex-auxiliares de Teotônio Vilela para direcionar os lotes 3 e 4 do Canal para a Odebrecht e a OAS.

NO CRONOGRAMA – Pelo acordo, as empreiteiras teriam que pagar uma propina equivalente a 2,25% do valor da obra. O pagamento da propina ocorreria de acordo com o cronograma de desembolso do governo para o custeio das obras.

O Canal do Sertão tem por objetivo levar água para mais de um milhão de pessoas numa das regiões mais secas e pobres da América Latina. A escassez de água é uma das principais causas do subdesenvolvimento econômico da região. Pelo projeto original, o canal teria 250 quilômetros de extensão ao custo de R$ 1,5 bilhão. O governo gastou R$ 2 bilhões e, até agora, só 107 quilômetros foram concluídos.

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que “os policiais estiveram no gabinete do secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Marco Fireman, então secretário de Infraestrutura do Estado. Não foram levados documentos ao final da busca e o secretário está à disposição da PF para prestar todos os esclarecimentos.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Em Minas Gerais, Aécio Neves manchou o nome de seu avô, apenas por ganância, porque já nasceu rico. Agora, em Alagoas, a cena se repete com Teotônio Vilela Filho, que também nasceu rico e joga no lixo o nome de seu pai, o lendário “Menestrel das Alagoas”, homenageado pela canção de Milton Nascimento e Fernando Brant. Quanto à família Calheiros, é um caso perdido de desvio genético de caráter. (C.N.)

10 thoughts on “PF incrimina Teotônio Vilela e Renan (pai e filho) por desviar verbas da seca

  1. Porque a PF parou o caso da MP do Porto de Santos em que Temer novamente aparece como chefe do quadrilhão do PMDB ???

    Mas como evitar isso se a PF e a PGR foram “domadas” por Temer com as indicações de Fernando Segovia e Raquel Dodge respectivamente ???

  2. Tá tranquilo, tá favorável…
    Nada vai acontecer com ladravazes!
    O STF segura as pontas.
    Tem é que roubar mais!
    Acabar com tudo! Saquear tudo! Deixar a terra brasileira arrasada, totalmente devastada!
    Só assim o povo acordará!
    Pensando bem… nem assim!
    Atenciosamente.

  3. Ladrão não honra o nome de ninguém!

    A lamentar, que alguns legitimamente imbecis e idiotas denominam a cleptocracia brasileira de … democracia!

    E ainda querem Lula, o chefe da quadrilha petista, o maior ladrão deste país, de volta ao Planalto.

    Se tampouco o povo colabora consigo mesmo, então tem mesmo é que chafurdar na merda!

    Quantos aos milicos, esses foram rebaixados, não merecendo mais ser chamados de militares, uma palavra que deixaram de honrar, em face de suas omissões e irresponsabilidades com a situação da população e país!

      • Espectro,

        Devo fazer mesmo a diferença, pois sou mais um em reclamar deste governo e da omissão das FFAA.

        Portanto, eu, tu, mais uma meia dúzia de comentaristas, que pedem pela intervenção militar, temos a pretensão de fazer a diferença pela coragem de nossas posições, pelo patriotismo que nos embala, pelo amor a esta terra!

        Reitero que tenho escrito guardar comigo a solução para esta crise sem precedentes, que nos aniquila de várias formas.

        Caso os milicos continuarem a brincar de roda, ciranda, cirandinha, fazer comidinhas e de médico, encastelados em seus quartéis e absolutamente divorciados das necessidades do país e do povo, que estão sendo roubados e explorados de forma sádica, cruel e desumana, repito:
        A minha SOLUÇÃO é rápida, célere, e resolve esse caos político, social e econômico em TRINTA DIAS!

        Preciso de 50/60 pessoas verdadeiramente patriotas, legitimamente brasileira, e que queiram fundamentalmente tirar o Brasil desse atoleiro que se encontra, além de falido ética e moralmente.

        Aposto que, em seguida, os parlamentares colocarão seus rabos entre as pernas e começarão a trabalhar para o povo, deixando de lado a corrupção, o roubo e a exploração, que hoje em dia é a essência do “trabalho” que dizem desenvolver.

        Um abraço.
        Saúde e paz.

  4. Estes delinquentes contam com a tutela do ( stf ) para a delinquir . Tendo a certeza da impunidade., bandidos engravatados , perpetuam a pratica de crimes cometidos contra a nação , sabendo que nesta pérfida corte serão inocentados ou liberados . Judiciário, Executivo e Legislativo deste pais , tudo não passa de uma grande quadrilha organizada .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *