PF pede inquérito para investigar Toffoli por suspeita de venda de decisões no Supremo

Na delação premiada, Cabral entregou o esquema de Toffoli

Fabio Serapião e Camila Mattoso
Folha

A Polícia Federal encaminhou ao Supremo Tribunal Federal um pedido de abertura de inquérito para investigar supostos repasses ilegais ao ministro Dias Toffoli. O pedido tem como base o acordo de colaboração premiada de Sérgio Cabral.

Segundo informações obtidas pelo Painel, o ex-governador do Rio afirma que Toffoli recebeu R$ 4 milhões para favorecer dois prefeitos fluminenses em processos no Tribunal Superior Eleitoral.

JUNTO COM A MULHER – Os pagamentos, diz Cabral, teriam sido realizados nos anos de 2014 e 2015 e operacionalizados por Hudson Braga, ex-secretário de Obras do Rio de Janeiro. Os repasses, na versão do delator, teriam envolvido o escritório da mulher de Toffoli, a advogada Roberta Rangel.

Essa é a primeira vez que a Polícia Federal pede ao Supremo apuração que envolve um ministro da própria corte.

O pedido de investigação faz parte de um novo pacote de inquéritos solicitados pela PF a partir da análise da delação do ex-governador, condenado a mais de 300 anos de prisão.

COM O RELATOR – O material foi enviado ao relator do caso, ministro Edson Fachin, que já encaminhou para a PGR (Procuradoria-Geral da República) se manifestar.

Cabral fechou o acordo com a polícia após negativa da PGR e dos procuradores que atuam no Rio de Janeiro. A delação foi homologada em fevereiro de 2020 por Fachin, que autorizou a abertura de diferentes inquéritos e encaminhou para o então presidente, Dias Toffoli, com pedido de distribuição. As investigações miravam ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça), do TCU (Tribunal de Contas da União) e políticos.

ARQUIVAMENTO – Toffoli arquivou – Ainda em 2020, Toffoli desconsiderou a decisão de Fachin pela abertura dos casos, pediu manifestação de Augusto Aras e arquivou as investigações –três delas durante o recesso de julho e as outras pouco antes de deixar a Presidência, em setembro.

Há um recurso pedindo reconsideração dos arquivamentos nas mãos da ministra Rosa Weber, vice-presidente do Supremo. Essa análise seria atribuição do presidente Luiz Fux, que se declarou impedido de atuar nesses processos.

Na nova leva de inquéritos, assim como nos anteriores, a PF fez uma validação prévia das informações, com base em dados de fontes abertas, para checar se há possibilidade mínima para seguir a apuração. Esses relatórios de validação também foram encaminhados ao STF junto aos depoimentos de Cabral.​

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
O ministro Dias Toffoli afirmou, por meio da assessoria, não ter conhecimento dos fatos mencionados e disse que jamais recebeu os supostos valores ilegais. Com a máxima vênia, porém, pode estar aí a explicação da mesada de R$ 100 mil que recebia do escritório de advocacia da mulher. (C.N.)

10 thoughts on “PF pede inquérito para investigar Toffoli por suspeita de venda de decisões no Supremo

  1. Duvido que o STF permita a abertura deste inquérito. Não duvido do envolvimento do ministro em crimes dessa ordem. Não foi ele quem contou a história dos processos roubados?

    • Quando o eleitor vota, ele elege também um “bode expiatório”, a fim de poder contar com um referencial, moralmente, ínfimo no seu eleito, para quando precisar contrapor suas próprias desonestidades, sentir alívio em apontar: “Viu só, aquele lá é pior que eu!”
      Vai faltar lábios incorruptíveis para delatar!

    • Sr. José Pereira Filho,

      Já Já tá na rua!
      É uma injustiça com o cabra!
      Tá todo mundo passeando…
      Só falta ele. rsrs
      Concorda comigo?

      Pior foi a mulher dele, se lambuzou de dinheiro, meteu um par de cornos no preso e ficou livre leve e solta graças ao Bretas.
      Essa é a mulher que sabe demais. Jamais vai presa, se essa biscateira abre a boca, o país vai parar na casa do caral…

      A mesma coisa é com o biscate do ladrão a tal da rosemary noronha.
      Essa mulher também sabe muito e jamais foi chamada pra depor.

      Duas bombas atômicas ambulantes.

      Um abraço.
      JL

    • O triste da história é que o bozo iria ter a chance inimaginável de nomear quatro ministros terrivelmente evanjegues!

      Já imaginou, tremenda desgraça?

      Que dúvida cruel!

      Estaríamos acalentado um verdadeiro ditador.

      Um forte abraço.
      JL

  2. O Cabral fazendo premiada?
    Daqui a pouco estará em casa usufruindo o nosso dimdim, mesmo condenado a mais de trezentos anos.
    Demorou um pouco para alcaguetar.
    Para a extrema direita é de extrema credibilidade qualquer um que ataque o STF.
    Espero que tenha provas, ao menos.

  3. Como diz aquele provérbio popular, corvo não come corvo, então já sabemos como isto vai terminar. Agora só nos resta saber qual vai ser o sabor da pizza.

Deixe um comentário para ímpio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *