PGR denuncia Otoni de Paula ao STF por difamação, injúria e coação contra Alexandre de Moraes

Deputado e pastor, o descontrolado Otoni ameaçou Alexandre de Moraes

Paulo Roberto Netto
Estadão

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou nesta terça-feira, dia 14, o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) por difamação, injúria e coação contra o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. O Ministério Público Federal apurou dois vídeos gravados pelo parlamentar: o primeiro, no dia 16 de junho, quando teve o sigilo bancário quebrado, e o segundo, de 7 de julho, após o ministro determinar a soltura do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio. O caso será analisado pela Corte.

Otoni e Oswaldo são investigados no inquérito que mira o financiamento de atos antidemocráticos em Brasília com objetivo de auferir lucros financeiros e políticos. Na ocasião da soltura do blogueiro, o parlamentar afirmou que Moraes seria um ‘déspota’, proferindo críticas ao ministro.

“ESGOTO DO STF” – “Alexandre de Moraes você é um lixo. Você é o esgoto do STF. É a latrina da sociedade brasileira”, afirmou Otoni, em vídeo divulgado em suas redes sociais. De acordo com a Procuradoria, o deputado teria utilizado ‘violência moral e grave ameaça’ para coagir o ministro para beneficiar a si próprio e a Oswaldo Eustáquio no curso das investigações, além de ofender a dignidade e o decoro de Moraes.

“As expressões intimidatórias utilizadas pelo denunciado escapam à proteção da imunidade parlamentar e atiçam seus seguidores nas redes sociais, de cujo contingente humano já decorreram investidas físicas contra o Congresso e o próprio Supremo”, afirmou o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros.

Além de Otoni, outros nove deputados e um senador da base do presidente Jair Bolsonaro tiveram o sigilo bancário quebrado por ordem do ministro do Supremo. Uma das linhas de investigação mira se os parlamentares articularam o financiamento ou a promoção de manifestações que se enquadram como crime pela Lei de Segurança Nacional.

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA – Em decisão, Alexandre de Moraes apontou a ‘real possibilidade’ de existência de organização criminosa que visa lucrar com atos antidemocráticos. A PGR identificou vários núcleos ligados à associação criminosa, sendo eles ‘organizadores e movimentos’, ‘influenciadores digitais e hashtags’, ‘monetização’ e ‘conexão com parlamentares’.

Na avaliação da Procuradoria, os parlamentares ajudariam na expressão e formulação de mensagens, além de contribuir com sua propagação, visibilidade e financiamento.

“ABUSOS E CRIMES” – “Os frequentes entrelaçamentos dos membros de cada um dos núcleos descritos acima indiciam a potencial existência de uma rede integralmente estruturada de comunicação virtual voltada tanto à sectarização da política quanto à desestabilização do regime democrático para auferir ganhos econômicos diretos e políticos indiretos”, apontou trecho da manifestação da PGR reproduzida por Moraes. A Procuradoria destacou a existência de ‘abusos e crimes que precisam ser apurados’ no caso.

A PGR afirma que foi identificado o funcionamento ‘estruturado e economicamente rentável’ de uma associação que buscava ‘provocar as Forças Armadas’ para a execução de ações contra a ordem constitucional. Mensagens e publicações de teor antidemocrático também eram compartilhadas nas redes para ampliar o alcance e tráfego de usuários, assim obtendo a renda.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – O deputado é mais um que, sem argumentos minimamente razoáveis, se abstém de fazer uma oposição estruturada ao que acredita ser “injusto”, e apela para as ameaças, o discurso de ódio e a criação de polêmicas para tentar criar audiência nas mídias virtuais. A estratégia, porém, já está mais do que desgastada. O eco desse tipo de ação é cada vez menor e a voz do “exército” bolsonarista demonstra evidentes sinais de desencontros e falta de unidade. O berrante tem cada vez menos efeito. (Marcelo Copelli)

6 thoughts on “PGR denuncia Otoni de Paula ao STF por difamação, injúria e coação contra Alexandre de Moraes

  1. Não conhecia o deputado, antes do mandato. Só agora fiquei sabedor que é pastor. Fico imaginando como ele deve tratar suas ovelhas! Os seus eleitores devem estar felizes com sua representação. Deputados assim não contribui com o país. Pelo contrário, o que deveria estar fazendo era trabalhar para mudar a forma de indicação dos ministros. No entanto, não faz isto pois “tirará indicações do seu presidente”.
    E assim, nossa república, continua navegando numa canoa furada e num mar de lama!
    Um dia brigamos contra ministros que se apossaram do STF. No outro temos de pedir-lhe que “enquadre” um representante de deus.
    Nosso maior problema, embora muitos continuem sem enxergar, é o eleitor. Só um eleitor desqualificado, corrupto e omisso para eleger gente assim!
    Fallavena (ADOC)

  2. Apenas para complementar, aqui vai o link onde é possível ver o título.
    O deputado não teve a coragem de colocar o0 adjetivo principal utilizado sobre o ministro. Sutilmente, consta “Alexandre de Moraes é um déspota!!”
    Na verdade medrou. Deveria ter colocado o título de: “Alexandre de Moraes, você é um lixo,lixo, lixo!” O ministro está com a faca na mão.
    Fallavena

  3. Eu digo … que os ministros do stf são intocáveis !!

    São seres mais santo que Jesus o Cristo , pois ele sofreu criticas e com todo poder não usou contra ninguém ..

    Inclusive em certo momento o apóstolo Pedro quis invocar fogo do céu para destruir algumas pessoas ,que não deram credito a pregação . Mas Jesus o repreendeu ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *