Piada do Ano! Bolsonaro diz que não é Jesus do Flamengo, mas o “Messias do Executivo”

Agora, Bolsonaro diz que quer tirar o Rio da situação em que se encontra

Ingrid Soares
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro participou na tarde desta quinta-feira, dia 24, da cerimônia de inauguração de estruturas e entregas de equipamentos à Superintendência da Polícia Rodoviária Federal no Rio de Janeiro. Durante o discurso, o chefe do Executivo brincou se referindo ao ex-técnico do Flamengo e afirmou não ser o “Jesus do Flamengo, mas o Messias do Executivo”.

Na solenidade, Bolsonaro elogiou o trabalho da PRF. “Costumo dizer que não sou Jesus do Flamengo, mas sou o Messias do Executivo. Mas quem entra em campo são vocês. A gente orienta, de vez em quando dá opiniões para que o serviço seja melhor cumprido. A vida, depois da liberdade, é o bem mais sagrado que nós temos”, declarou.

QUADRO TÉCNICO – Bolsonaro disse ainda estar feliz em retornar ao local que o projetou para a vida política. Segundo o presidente, o maior compromisso de campanha conseguiu cumprir, se referindo ao time de ministros que caracterizou com um “quadro técnico”.

“O maior compromisso que tive durante a pré-campanha e campanha, estou cumprindo. Montar um gabinete perfeitamente técnico com ministros comprometidos com o futuro do país. Obviamente se muda um pouquinho o escalão. Nós temos as diretorias, as secretaria e aqui o diretor-geral da PRF [Aggio] escolhido pelo mesmo critério e confesso que é difícil escolher por esse critério a nossa PRF tendo em vista a quantidade de pessoas habilitadas, competentes e comprometidas com a sua instituição e com o seu país”, emendou.

O presidente completou que a escolha técnica possibilitou melhorias na PRF e que em seu governo “o critério político deixou de existir”. “A PRF vem nos orgulhando a todos desde algum tempo. Isso obviamente foi potencializado porque o critério político deixou de existir, o jeitinho, o quebra galho, o favor não só nessa instituição como em outras, deixou de existir e o Brasil passou a funcionar melhor”, alegou.

PANDEMIA – Bolsonaro repetiu que o Supremo Tribunal Federal (STF) deu a governadores e prefeitos a escolha de decidir em relação ao isolamento social e outras questões da pandemia. “Lamentavelmente a pandemia influi negativamente na política econômica do mundo todo. No Brasil o tratamento dessa questão coube exclusivamente aos governadores por decisão do STF, mas desde o primeiro momento eu não fugi da minha responsabilidade”, disse.

O mandatário também voltou a defender a cloroquina no tratamento contra o covid-19. “Quem decide qual medicamento deve ser aplicado no final da linha é o médico, é o responsável por tomar essas decisões. Trabalhamos muito para que os médicos conseguissem ao longo do tempo ter liberdade para administrar o melhor para sua população e temos comprovação de que isso vem dando certo”, justificou.

CONCURSO – Bolsonaro disse que um novo concurso da PRF está previsto para o final do ano ou início do próximo. Ele teceu elogios ao diretor-geral da PRF, Eduardo Aggio e à corporação.

“A nossa PRF realmente nos orgulha a todos. Suas operações são minuciosamente preparadas e os meios aos poucos vão chegando de modo que o próprio PRF se orgulha de ter uma polícia preparada desta maneira. O  primeiro ato do senhor Aggio em Brasília, foi o reaproveitamento de 600 concursados que serão formados agora em novembro. Bem como o Aggio trouxe para nós a necessidade de mais PRF’s e já está bastante avançada a conversa com a economia de modo que 2000 novas vagas possam ser abertas no final desse ano, começo do ano que vem. Isso é sangue-novo na PRF, isso é meios para que vocês possam ajudar no tocante a segurança pública do nosso país”, comentou.

WITZEL –  Durante o discurso, referindo-se ao governador Wilson Witzel, que enfrenta um processo de impeachment, o chefe do Executivo disse que buscará, em conjunto com a Assembleia do estado, uma maneira de tirar o Rio de Janeiro da difícil situação em que se encontra e deixar certos personagens de política “para trás”.

“Acredito que podemos sim vencer obstáculos e transformar o Brasil em um país que realmente seja colocado entre os primeiros do mundo, porque nós temos potencial. Obrigado a quem votou em mim e para quem não votou também, não tem problema. Juntamente com a Assembleia Legislativa e o nosso jovem governador (Cláudio Castro, que assumiu no lugar de Witzel), vamos buscar uma maneira de tirar o Rio de Janeiro da situação difícil que se encontra. Nós somos o estado maravilhoso e, se Deus quiser, essa política será deixada para trás e uma nova política, aos poucos surgindo de modo que possamos todos nos orgulhar desse estado maravilhoso chamado RJ”, concluiu.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Bolsonaro, de fato, acredita ser o capitão desta seleção, ou melhor, o técnico da equipe tupiniquim. Mas, pelo andar da carruagem, talvez nem para gandula se qualifique. É muita bola fora, seu Jair. (Marcelo Copelli)

12 thoughts on “Piada do Ano! Bolsonaro diz que não é Jesus do Flamengo, mas o “Messias do Executivo”

  1. Os comentários de bolsonaro são mesmos bolsonaristas, pois não acrescentam nada de nada.
    Frases feitas, recheadas de inconsistências, e fica sempre claro que ao tentar ser simpático aos bajuladores de sempre, não consegue esconder a arrogância do ego que está na cara do personagem.
    Buscará sempre, mas em vão, suas aspirações de ser o “cara”, e através de comparações idiotas fica, cada vez mais longe, desse desejo de imbecil.
    Bolsonaro não tem jeito, nasceu para enganar os tolos, ser bajulado pelos aspirantes às suas promessas e, o mais certo de tudo, dará com os burros. na água logo que quiser voltar à realidade.
    Pena é vermos generais, que deveriam estar cuidando da defesa di Brasil, estarem prestando serviços irrelevantes a quem não presta.

  2. O Ministro-chefe da CGU (Controladoria-Geral da União), Wagner Rosário, anuncia que “o Brasil completa o 20º mês consecutivo sem nenhum esquema protagonizado pelos agentes que formam o Executivo federal”. Com base nos dados da CGU coletados em todo o País, o ministro avalia que “estamos há 20 meses sem nenhum caso de corrupção no governo”.
    https://www.osul.com.br/controladoria-geral-da-uniao-20-meses-sem-nenhum-caso-de-corrupcao-no-governo-federal/

    O cacheiro “nove dedos” vendeu a Amazônia mas Bolsonaro não vai entregar.

  3. É, não se vê, por enquanto, corrupção no governo do seu Jair.

    Assim como não sabíamos das maracutaias dele quando deputado federal, empregando funcionários fantasmas; fazendo rachadinhas; recebendo, por intermédio de sua mulher, dinheiro do Queiroz. Idem para os filhos. Todos estudaram na cartilha do seu Jair, ou seja, todos igualmente são bandidos ladrões tal qual o pai, o seu Jair.

    A família sempre combateu a corrupção, corrupção essa que eles faziam caladinhos; corrupção essa que tornou o clã bolsonaro uma família rica.

    As movimentações vultuosas em “dinheiro vivo”, para os abestados, pode ser porque seu Jair e seus filhos “não acreditam no sistema financeiro brasileiro”, mas para o homem médio, isso é corrupção.

    Deixe está, pois a hora desse filhos da p – – a vái chegar. Sempre chega.

  4. É incrível a capacidade deste Presidente abobalhado de falar abobrinhas…
    Não se aproveita nada que este sujeito fala…
    Tantos assuntos importantes, que exigem seriedade e comprometimento, são simplesmente ignorados ou, talvez, ele nem os conheça, por falta de capacidade mesmo…
    Falta bagagem e muitas outras qualidades á ele para ocupar um cargo de tamanha envergadura…
    E o povo vai pagando o pato até aprender a votar.
    E não creio que aprenda nos próximos 150 anos…
    Desolador…
    Credo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *