Piada do Ano: Campanha de Haddad tenta atrair partidos do “Centrão”

Resultado de imagem para centrao charges

Charge do Nani (nanihumor.com)

Deu na Coluna do Estadão

Interlocutores do presidenciável Fernando Haddad (PT) procuraram partidos do Centrão para pedir apoio neste 2.° turno. A proposta não é de uma aliança nacional, mas para que lideranças desses partidos peçam votos para o petista nos seus redutos eleitorais, sem aparecer nacionalmente ao lado dele. Dessa forma, avaliam que Haddad seria poupado de ter de explicar ao eleitor o que faz ao lado da “velha política”. Em troca, o PT estaria aberto a negociar espaços num eventual governo. Para o PP, o partido quer oferecer as pastas de Agricultura e Cidades.

AMIGO SECRETO – A ideia de ajudar a campanha de Haddad sem aparecer partiu de um cacique do próprio Centrão. Numa conversa com interlocutores do candidato, avisou: “A melhor maneira que eu posso ajudar é não aparecer”.

É pouco. Para atrair o apoio do DEM nos mesmos moldes, interlocutores de Haddad acenam com a presidência da Câmara para Rodrigo Maia. O presidente nacional da sigla, ACM Neto, vota em Jair Bolsonaro.

SALGADO –  Petistas graúdos dizem que, para apoiar Haddad, o PDT, de Ciro Gomes, pediu a Casa Civil, o Ministério do Planejamento, o comando do BNB, um ministério para Carlos Lupi, além da presidência do Senado para Cid Gomes. Deve levar só dois cargos.

Mas a campanha nega que esteja negociando cargos e Fernando Haddad ainda não estabeleceu pontes diretas com interlocutores do mercado. No entanto, integrantes do seu núcleo de campanha afirmam que não haverá surpresas. Argumentam que ele tem sido transparente até com suas propostas mais amargas, como tributar lucros e dividendos.

LICENÇA –  Bolsonaro vai pedir licença do mandato de deputado federal até o final da campanha. E o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) procurou colegas do MDB. Quer engordar o número de apoiadores de Bolsonaro cercando os principais puxadores de votos nos Estados.

O presidente licenciado do PSL, Luciano Bivar, abriu diálogo com deputados que se elegeram em partidos barrados na cláusula de desempenho e que não terão dinheiro do fundo partidário. Ele diz acreditar que a bancada crescerá de 52 para pelo menos 60 deputados até janeiro.

Entre os 14 partidos políticos que vão perder acesso ao fundo partidário, está o PHS, cujo líder, deputado Marcelo Aro (MG), admite ter conversado com outros partidos para uma fusão, mas não revela quais.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
– Caramba! Essa coluna está repleta de informações “plantadas”. Não é verdade que o PDT tenha pedido aqueles cargos para apoiar Haddad. Também não é verdade que o Centrão vá reforçar Haddad, até porque o Centrão só apoia quem vai ganhar. Além disso, Rodrigo Maia não necessita de Haddad para voltar à presidência da Câmara, porque já está mais do que eleito, até pela falta de concorrentes. Essa informação sobre Maia, passada a vários jornais, é Piada do Ano, com toda certeza. (C.N.)  

6 thoughts on “Piada do Ano: Campanha de Haddad tenta atrair partidos do “Centrão”

  1. Precisa-se discutir esse tópicos:

    -Pesquisas forjadas e urnas fraudadas.

    -Com a delação e as provas de Palocci que a campanha dos vermelhos foram pagas com dinheiro de ditaduras do exterior tem que cassar imediatamente o registro do Partido dos Trambiques !!!

    – 39 processos de justiça contra Malddad.

    – Dívida gigantesca referente à uma propriedade de luxo de Malddad para com o estado de São Paulo.

  2. O que se vê é que o lulopetismo não tem jeito mesmo. Mais uma vez abrindo seu balcão de negócios por baixo dos panos, barganhando com o que tem de pior na política, tentando voltar ao poder a qualquer custo.

    Mas já não tem muito a oferecer, a não ser o dinheiro acumulado pela corrupção, que espero sejam forçados a devolver tostão por tostão pelo poder judiciário.

    O método lulista de fazer política tomou conta das facções: não podendo tomar de assalto a máquina pública, agora poderão exercer a sua outra habilidade, bater tambor na oposição, tentando inviabilizar o próximo governo.

  3. “A proposta não é de uma aliança nacional, mas para que lideranças desses partidos peçam votos para o petista nos seus redutos eleitorais, sem aparecer nacionalmente ao lado dele. Dessa forma, avaliam que Haddad seria poupado de ter de explicar ao eleitor o que faz ao lado da “velha política”.”

    -A velha prostituta quer continuar na zona, quer lucrar na zona… mas sem que ninguém saiba ou desconfie.

  4. 1) Prezado CN, sobre a “Nota do Editor”:

    2) Li alhures, não sei se é fake, que o jovem Kim Kataguri, do MBL, quarto mais votado em SP para Deputado Federal, pelo PSL, está pleiteando a Presidência da Câmara.

    3) Não será tão fácil, a possível vitória do Maia.

    4) O Centrão vai estar dividido…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *