Piada do Ano! Filha de Jefferson alega que PTB é alvo de ‘ativismo judicial’

Cristiane fez um discurso patético na convenção 

Guilherme Mazui e Gustavo Garcia
G1, Brasília

Investigada pela Operação Registro Espúrio, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) afirmou neste sábado (28), em tom irônico, que o PTB virou “criminoso político”, criticou o que classificou de “ativismo judicial” do Ministério Público e desafiou: “podem bater doído na gente”. Ela é filha do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, que foi condenado e preso por envolvimento no esquema de corrupção do mensalão do PT.

Cristiane Brasil teve que solicitar autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para participar neste sábado da convenção do PTB que oficializou o apoio do partido à pré-candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) ao Palácio do Planalto.

“INOCÊNCIA” – Segundo a parlamentar, a inocência dos dirigentes do PTB, que estão entre os alvos da Operação Registro Espúrio, “prevalecerá”.

A Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal (PF), investiga uma organização criminosa integrada por políticos e servidores públicos que atuou para cometer fraudes na concessão de registros sindicais pelo Ministério do Trabalho, pasta que é comandada pelo PTB desde 2016.

A Registro Espúrio tem entre seus alvos outros deputados do PTB, entre os quais Jovair Arantes (GO). A operação resultou na demissão de Helton Yomura (PTB-RJ) do cargo de ministro do Trabalho. Indicado pelo PTB, ele foi afastado da função por decisão do STF e pediu demissão ao presidente Michel Temer, que nomeou em seu lugar o desembargador aposentado Caio Vieira de Mello.

JUSTIÇA SEJA FEITA – “O PTB agora virou criminoso político. Então, eu digo para vocês, através de nosso presidente, através de nossos movimentos, que podem bater, podem bater doído na gente, porque no final das contas se nós temos uma Constituição, se fazemos prevalecer as leis deste país, a verdade prevalecerá e a inocência dos nossos dirigentes também prevalecerá. Nós vamos cobrar que a Justiça seja feita”, declarou a deputada em discurso durante a convenção.

Ao discursar, Cristiane Brasil também criticou o que chamou de “ativismo judicial” contra o partido. A parlamentar afirmou que promotores, delegados e juízes criaram um “novo dicionário de crimes”.

“Eu acho lindo esse ativismo judicial, só que é proibido. Eu sou contra esse ativismo judicial. Ele não favorece nada ao combate à corrupção”, disse, acrescentando: “Hoje em dia, existe um novo dicionário de crimes, que são inventados por esses promotores, delegados e juízes, porque eles não existem no código penal, não existem”, completou.

“DECOREBA DE DIPLOMA” – A deputada não citou nomes de juízes, delegados ou integrantes do Ministério Público, mas ironizou ao falar que fica “impressionada de ver aqueles santinhos, decoreba de diploma, de código, atrás de suas lindas cadeiras, gravando vídeos”.

Em entrevista a jornalistas ao final da convenção, Cristiane Brasil reforçou as críticas. Ela declarou que promotores gravam vídeos para “ensinar a população a votar” e a “escolher candidato”. “Isso é um exagero”, enfatizou.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Nada do que Cristiane Brasil diz é aproveitável. Entrou na política debaixo da aba do pai, Roberto Jefferson, com quem aprendeu a arte da corrupção. Sua cultura é nenhuma. Se fosse disputar “decoreba de diploma”, não passaria em concurso nem de varredora de rua.  O país deu azar dela não ter assumido o Ministério do Trabalho. Se tivesse assumido, seria inelegível e nos livraríamos dela. (C.N.)

8 thoughts on “Piada do Ano! Filha de Jefferson alega que PTB é alvo de ‘ativismo judicial’

  1. Infelizmente retornará como deputada. Que lástima. Fala-muito na corrida presidencial e esquecem dos deputados estaduais e federais. Esses ferram qualquer um. Mas ninguém quer saber.

  2. “podem bater, podem bater doído na gente, porque no final das contas se nós temos uma Constituição…”

    -E verdade. Ela está certa. A tal Constituição foi feita para os criminosos.

  3. Exatamente Francisco foi feita para proteger estes bandidos.
    Volto a falar: Durante o período militar, eu e meus colegas da UFRJ / engenharia, fazíamos nossa parte que era estudar duro para nos formarmos.
    Nunca fui ou vi alguém perseguido de qualquer forma por quem quer que seja.
    Nossos livros ficavam na sala de aula durante os intervalos sem nunca ter faltado nada.
    Bons tempos.

    • “”” Nossos livros ficavam na sala de aula durante os intervalos sem nunca ter faltado nada.
      Bons tempos. “””
      .
      ora, José,
      é que naqueles bons tempos NÃO HAVIA
      petralhentos, petrahosos, petrapostemas, petramoleques.
      SÓ isto !

  4. A que ponto chega a política. O Bandidão Jefferson dando as boas vindas a Alckmin e sua filha outra gatuna dizendo que é vítima de “ativismo judicial”. A golpista até agora não pagou seus empregados. Lá se vão quatro anos. Só no Brasil. Tem muita gente burra senão isso seria o bastante para tirar Alckmin do páreo. O pior é que disseram que Bolsonaro foi boi por muito tempo e agora na cidade em que nasceu tem muitos pés de laranja. É laranja para todo lado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *