Piada do Ano! Ganha força a ideia de Bolsonaro “assumir” o Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Imunologia desaconselha cloroquina para ...

Dr. Bolsonaro até agora só aprendeu a receitar a cloroquina

Carlos Newton

No país da piada pronta, de repente surge um movimento para que o presidente Jair Bolsonaro assuma logo o posto de ministro da Saúde. A ideia é interessantíssima, inovadora, mas um pouco redundante e até desnecessária, porque desde o início da pandemia de coronavírus todo mundo logo ficou sabendo que Bolsonaro tinha mesmo assumido o posto, pois não sossegou até afastar o ministro Henrique Mandetta, aquele médico esquisito, que não aceitava seguir as receitas do presidente.

Depois, quando nomeou o Dr. Nelson Teich, a gente percebeu que Bolsonaro estava mesmo sentado na cadeira do novo ministro, porque Teich chegava para trabalhar, encontrava a mesa ocupada, ninguém lhe dava atenção, nem mesmo o rapaz do cafezinho e ele ia embora e nem dava entrevista.

TRIPLA JORNADA – Justiça seja feita, Bolsonaro tem se dedicado muito às atividades de ministro da Saúde e inclusive vem fazendo tripla jornada de trabalho, a tal ponto que, quando ele aparece na TV, onde marca presença de manhã, à tarde e à noite, ninguém sabe mais quem está no ar, se é o presidente da República, o ministro da Saúde ou o propagandista do laboratório que fabrica a cloroquina, que é uma das funções que acumula.

Para disfarçar, Bolsonaro ofereceu o Ministério ao Centrão, mas os deputados perceberam que a receita estava incompleta, porque não falava em dinheiro, e eles preferiram assumir logo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, que maneja cerca de R$ 54 bilhões por ano e administra a merenda escolar, que pode ser vitaminada e cura qualquer doença política.

MINISTRO MILITAR? – Bolsonaro sentiu alguns sintomas, pois a pressão subiu, sentia dor de cabeça, alguns desarranjos e uma crise intestina, porque o lugar não podia continuar vago, o Brasil seria o único país do mundo sem ministro da Saúde em plena pandemia, uma piada internacional.

O presidente então pensou em nomear um militar, mas o Ministério já estava em ordem unida, porque o interino é o general Eduardo Pazuello, especialista em guerra na selva e que tinha aproveitado a ocasião para contratar outros nove militares para o Ministério da Saúde. Agora, já são 18 oficiais do Exército no primeiro escalão da pasta, mas nenhum deles é médico, vejam o grau da patologia reinante.

O fato é que as Forças Armadas imitaram o Centrão e não aceitaram indicar o novo ministro. E assim Bolzonaro vai ficando no cargo,. Já comprou um termômetro, e um aparelho de pressão e um equipamento de raios-X. Está atendendo no Planalto às segundas, quarta e sextas, aceita qualquer plano de saúde e só recebe propagandistas de laboratórios no final do expediente, após encerradas as consultas.

20 thoughts on “Piada do Ano! Ganha força a ideia de Bolsonaro “assumir” o Ministério da Saúde

  1. CN, vc é a própria piada.
    Sua obsessão é o Bolsonaro. Não tece nenhum comentário sobre a ação predatória de governadores, inclusive de seu estado. Como jornalista vc é uma decepção.

  2. Agora vai. Desde o golpe de 2016 estamos esperando o Cavaleiro Negro entrar em ação e derrotar seus oponentes e reestabelecer o progresso. Só mesmo rindo dá para aturar a desgraça em que estamos metidos. Mas vai passar faltam só mais dois anos. Votemos melhor na próxima.

  3. Se até o Trump usou cloroquina preventivamente, qual a razão dos governadores impedirem este protocolo?
    Abrem covas e deixam morrem milhares apenas por serem politicamente opositores ao governo.
    Até um famoso médico infectologista (d.u.) negou a admitir ter sido curado pela cloroquina.

  4. Para que fique esclarecido.
    Os militares que cursam a AMAN se formam em 4
    anos.
    Nos terceiro e quarto anos estudam Administração Pública.
    Assim, a equipe do general Pazuelo, é, na maioria, habilitada para , sobretudo o momento atual, no qual muitos governadores, muitos,’são sem escrúpulos, sem caráter, desonestos mesmo.
    Se aproveitam da situação, por não haver licitações, para desviar, roubar, o dinheiro público.
    Vide Rio de Janeiro, São Paulo, Pará, outros no Nordeste, etc.
    Contudo, todos terão que prestar contas, e para tanto a equipe do General Pazuelo está pronta e sabe muito bem o que terão que fazer.
    Estes ladrões, crápulas, serão responsabilizados.

    • Poupe-nos em dizer que militares da AMAN são capacitados…
      Quer dizer que faz 2 anos de Administração todo militar na AMAN(?)
      Como Bolsonaro, então, não tem nenhuma capacidade de gestão de sua própria equipe?

      O que é fazer 2 anos de administração teórica com um civil formado em faculdade?
      E outra, Administração não é Gestão Pública, inclusive tem pós-graduação específica para essa formação.

  5. Albuquerque Lima,

    A equipe do general Pazuello está pronta para combater a corrupção na Saúde Pública ou não entende nada desse setor, atualmente sofrendo o seu maior desafio nas últimas décadas?!

    Penso que cuidar dos contaminados e nos hospitais é o mais importante.
    Mesmo os oficiais que saem da AMAN complementam o estudo de suas Armas com administração pública, a questão não seria essa, porém, de se dar o devido valor à saúde do povo, hoje deixada de lado pela política insana e deplorável instalada no Planalto.

    A menos que um general de Intendência, que é o caso do atual ministro da Saúde, também tenha cursado alguns anos de Medicina ou sobre saúde do povo, constataremos essas condições em seguida.
    No entanto, se o general conhece saúde pública como eu e tu conhecemos motor de helicóptero, teremos mais um substituto nessa área em questões de dias.

  6. Na P-52; tínhamos um slogan: “fizemos porque não sabíamos que era impossível de ser feito”.
    É interessante que algumas vezes colocar o “de fora” consegue melhores resultados do que os “da área”.
    Médicos, enfermeiros, etc são para tratar os doentes no fim da linha.
    Não vejo porque um bom administrador não possa ser colocado em qualquer ministério para administra-lo.
    Sendo um bom administrador; a primeira providencia será se cercar no segundo e terceiro escalão; de técnicos com capacidade para os trabalhos afim.

    • De acordo com o teu raciocínio, Pedro Meira, um excelente economista poderia pilotar um avião;
      um ótimo médico poderia administrar uma indústria;
      um gari poderia ser um notável comandante de tropas do Exército;
      eu poderia ser um Papa porque sei rezar o Pai Nosso, Ave maria, Salve Rainha …

      Concluo:
      devo acreditar, então, que as demissões de Mandetta e Teich aconteceram por que eram médicos, e especialistas em saúde pública, menos administradores?!

  7. Prezado Bendl,
    Por óbvio a saúde da população em primeira prioridade.
    O General Pazuelo sabe que é interino na função, e não pode ser o ministro da saúde.
    Esperamos que o presidente escolha um médico com gabarito para tanto.
    Há diversos no Brasil.
    Aguardar .
    Abraço.

  8. Carlos Newton, lendo Groucho Marx lembrei-me do “capitão”: “Ele pode parecer um idiota e até agir como um idiota, mas não se deixe enganar: é mesmo um idiota!”

  9. Prezado Albuquerque Lima,

    Obrigado pelo retorno aos meus questionamentos.

    Alegro-me que estás entendendo que minhas dúvidas se referem às melhorias que o Brasil e povo tanto necessitam, e menos politicagens e intrigas palacianas.

    Sempre fui um defensor inconteste das FFAA, até por ter servido à Pátria, nas tropas do Exército Nacional.
    E sempre postei com muito orgulho que vesti a verde-oliva com honra e dignidade.

    Portanto, aprendi que devo esmiuçar certas questões para que a vitória seja natural, e não ocasional;
    que devo preservar a vida dos meus comandados;
    que devo-lhes lealdade e a minha vida, se necessário.

    Mas não tem sido essa a visão que estou tendo desse governo, lamentavelmente.
    Bolsonaro, como egresso da AMAN, e ter atingido o posto de capitão, mesmo sendo um oficial subalterno, deveria ter em mente prioridades inegociáveis e inafastáveis como ex-militar:
    a preservação da vida, o bem-estar do povo, o bem comum.

    Desde o início, o seu objetivo sempre foi a economia, menos o cidadão, o trabalhador, o ser humano.
    Tivesse tomado a iniciativa de, no dia seguinte à sua posse, deflagrar uma guerra contra o desemprego, mediante as várias vezes que postei como poderia diminuir sensivelmente esse grave problema que temos alguns anos, hoje a nossa situação estaria muito melhor para enfrentarmos a pandemia!

    De nada adiantou a reforma da Previdência, um tempo perdido e desgaste desnecessário indiscutíveis.
    Pois, mais uma vez, agora morrendo mais de mil brasileiros diariamente – MIL -, o presidente desdém dessa tragédia, pensa na economia e retomada das atividades industrias, comerciais e de serviços, menos em se preocupar com a saúde e vida de seus liderados!

    Se compreenderes a minha posição, fico feliz; se entenderes que estou errado, lamento.
    Mas, as minhas convicções, ideias, pensamentos, experiências, por eu ter servido ao lado de brilhantes generais e oficiais superiores, subalternos e excelentes sargentos, cabos e soldados, me impelem para ser mais crítico que apoiador desse governo, auxiliado por militares de alta patente.

    Pelo menos, Albuquerque Lima, quero deixar registrado a minha honestidade de propósito neste blog que é o povo, sempre o povo, em primeiro lugar o povo, menos, mas muito menos, a politica, a ideologia, líderes de barro, militares ou não.

    Foi agindo dessa maneira que durante alguns anos, tanto fui soldado atuando na proteção da residência do Exº Sr.Gen.Comandante do III Exército, quanto depois como Cabo, comandante da guarnição de soldados, do gen. Garrastazú Médici, onde conheci a sua esposa e filho, e depois o gen. Breno Borges Fortes, que tiveram as suas vidas e de suas famílias nas minhas mãos, e na decisão de um guri de 18/19 anos, que portava Carabina M1 e pistola Colt 45!

    Tenho muita moral e comportamento ilibado para criticar, Albuquerque Lima, os militares que hoje não correspondem à altura de seus antecessores, pois com eles aprendi o valor do ser humano, pelo qual existem as FFAA na sua defesa e proteção, e não o contrário!

    Forte abraço.
    Saúde e paz!

  10. Apoiadíssimo, que faça aquilo que nenhum dos outros ministros da Saúde não teve coragem de fazer. Agora sim estou fechado com o boçalnaro, para qual hospício nós vamos mesmo, presidente?

  11. O que Bolsonaro vem fazendo na saúde é um verdadeiro GENOCÍDIO. Não há como usar uma palavra mais branda.

    Desde o início ele zomba da pandemia, propaga desinformações e induz milhões à falta de cuidados preventivos.

    Ele é um verdadeiro GOLPISTA. Não por acaso o mundo inteiro está horrorizado com as atitudes estúpidas do governo brasileiro no enfrentamento ao intenso crescimento das infeções!

    Assim o Brasil já vai se tornando um país vergonhosamente isolado, com homéricas fugas de capitais e descrédito absurdo perante o mundo.

    Mas a piada do título do artigo faz todo o sentido: Bolsonaro se acha um rei e quer controlar tudo, a despeito de sua incapacidade atroz e de sua psicopatia inconteste!

  12. Respeitáveis comentaristas Fernando Luiz de Albuquerque Lima e Francisco Bendl, não devemos esquecer que Bolsonaro assumiu a presidência do Brasil com o país destruído pela farsa, pela corrupção e com a economia destruída.

    Esse foi o teatro da guerra encontrado por Bolsonaro e, no meio dessa guerra surgiu o coronavírus com seus terríveis efeitos com relação à saúde do povo brasileiro.

    Penso que devemos discutir sim, mas uma discussão construtiva, pois dela virá a razão e, certamente, a mais adequada solução.

    Abraços e vamos procurar ajudar nosso Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *