Piada do ano: ministra Gleisi Hoffmann diz que Lula não é candidato

Carlos Newton

Encastelado no Palácio do Planalto, com uma ou outra base de apoio na Esplanada dos Ministérios, o pequeno grupo que ainda defende a candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição entrou na faixa do desespero. Sem ter como analisar favoravelmente a pesquisa DataFolha, divulgada ontem, mas entregue ao Planalto no sábado, a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, alegou que “o Lula não é candidato”.

A ministra disse que considera natural, num momento de manifestações e protestos, que lideranças tenham redução na aprovação, alegando que, “seguramente”, não foi só a imagem da presidente Dilma Rousseff que sofreu desgaste. Na visão de Gleisi Hoffmann, a queda nas pesquisas não atrapalha a candidatura de Dilma à reeleição.

“O Lula não é candidato. A presidenta é a nossa candidata. Todos estarão na campanha. O que nós precisamos agora é trabalhar cada vez mais. O povo trabalha, sofre no dia a dia para cumprir com compromissos. Cabe a nós honrar o cargo, seja em qualquer esfera de poder. Ficar especulando, fofocando, divulgando mágoas não serve ao país, nem é digno de quem tem responsabilidade de função pública “— disse a ministra ao Globo.

Oficialmente, o Palácio do Planalto não quis comentar a pesquisa Datafolha, mas, reservadamente, um interlocutor da presidente disse que é preciso esperar para tirar conclusões.

LULA, CANDIDATÍSSIMO

Em São Paulo, os dirigentes do Instituto Lula passaram um fim de semana consagrador. Satisfeitos e confiantes, comemoraram a pesquisa DataFolha que mostra a facilidade com que Lula venceria no primeiro turno, embora ainda nem tenha anunciado ser candidato.

Na verdade, Lula é candidatíssimo e já está em campanha. Sua agenda é impressionante, marcando reuniões com as mais diversas entidades de classes, incluindo sindicatos, federações, centrais sindicais e  movimentos sociais.

Quem vai escolher a candidatura de Lula ou Dilma será a convenção nacional do PT, que deve se realizar em junho de 2014. Dilma não tem apoio algum no PT e no próprio governo. Conta apenas a solidariedade do casal Hoffmann, digamos assim, porque quem manda é a ministra Gleisi, e o ministro Paulo Bernardo apenas obedece. Estão apoiando Dilma também os ministros Aloizio Mercandante (Educação), Jorge Hage (Controladoria-Geral da União), Miriam Belchior (Planejamento), Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento).

O restante diz que apoia Dilma, mas ao menor aceno de Lula, já se sabe como irão proceder.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

7 thoughts on “Piada do ano: ministra Gleisi Hoffmann diz que Lula não é candidato

  1. O jornalista Carlos Chagas chama de “açodados” e “ingenuos” aqueles que acham que Dilma não será candidata e que Lula será o candidato do PT. Afinal, qual o “Carlos” está com a razão?…

  2. Quanto vale um “Rola Bosta”?

    Parece que o senhor Carlos Newton só tem um objetivo (basta lê seus comentários de 2013 – todos), tentar fazer a intriga entre o ex-presidente Lula e a atual presidente Dilma, é a estratégia de sempre: dividir para conquistar, não seria nada demais, se o senhor jornalista assumisse o seu papel de oposição (como acontece em vários países do mundo), o diabo é querer enganar todo mundo se fingindo de “IMPARCIAL”.

  3. Finalmente alguém põe os pingos nos iis.

    Os problemas do Brasil são tão grandes e evidentes que mesmo sendo cego é possível enxergar, não percebem os desgovernos, em todos os níveis, que é preciso cuidar da casa toda e não apenas na sala. Educação é a base de tudo, não é dando bolsas de estudos em escolas privadas, ou estabelecendo cotas, de qualquer natureza, que se resolve o problema da educação.

    Precisamos de escolas de nível básico, técnicas e universitárias, públicas de ótima qualidade.

    Foi ótimo aprovarem os royalties do petróleo para a educação, mas pouco vai adiantar se continuarem a insistir burramente em dar bolsas de estudo para alunos pobres estudarem em escolas privadas onde se persegue o lucro, onde o compromisso não é com a qualidade de ensino e a formação de seres humanos o que essas escolas perseguem é o lucro fácil.

    Políticos e governos querem é ganhar dinheiro, manter os pobres na miséria e garantir seus lucros cada vez maiores. Não percebem esses senhores, que cada vez mais a diferença social enterra o desenvolvimento e o progresso de cada brasileiro e cada estado e do País inteiro.

    As elites, de esquerda e de direita, estão cegas, uma pelo poder que falsamente exerce e a outra porque acha que se manterá assim para sempre. A voz das ruas finalmente se faz ouvir e é muito clara, um basta aos privilégios e corrupção, a conivência com o roubo e o desvio de dinheiro público, a aplicação equivocada e dirigida de recursos públicos para os bolsos dos amigos e da iniciativa privada, a criação de dificuldades para vender facilidades, a politicagem ao invés da política e o velho e surrado modelo político que privilegia quem já tem privilégios e cria uma legião de acima da Lei e do bem e do mal.

    É preciso acabar já com todos os guetos de privilégios e privilegiados, de aposentar políticos, por serem políticos, de pagar a esses mesmos políticos salários exorbitantes, aposentadorias privilegiadas para juízes e desembargadores, porque tantas formas de aposentadorias? Porque tantos privilégios, para manterem as castas e classes dominantes e continuarmos sendo escravos, é claro, mudando de tempo em temo os senhores que nos mandam.

    Está na hora desse contrato ser cumprido por ambas as partes e não apenas por quem paga a conta de tudo e de todos, estamos entre os três países no mundo onde o povo paga mais impostos, os outros dois países estão entre os primeiros em qualidade de vida e desenvolvimento social, enquanto isso estamos na lanterninha de tudo, comparáveis somente com alguns países da África, alguns países desse continente estão em melhor situação que o Brasil.

    Então é chegada a hora de realmente exigir um Brasil rico para os brasileiros e não apenas para uma parte já rica desse nosso País, ou as elites entendem de uma vez por todas que o mundo mudou, ou o mundo os muda, em nosso caso, o movimento popular vai mudar a cara do Brasil.

    É preciso apenas ter muito cuidado com o canto das sereias, de esquerda e de direita, político é muito bom em se aproveitar dessas situações e posar de salvador da pátria, senão vejamos o que está sendo aprovadas a toque de caixa em Brasília, algumas coisas boas e outras nem tanto, tudo visa dar a impressão que estão atendendo a voz das ruas, na verdade estão tentando ficar onde estão e manterem as aparências para as próximas eleições, é preciso não se deixar enganar e continuar protestando, pois estamos longe de termos obtido coisas concretas.

    Transporte público, escolas públicas, saúde, habitação, emprego, meio ambiente, etc…não podem ser pautas de um governo e/ou eleitoreiras, precisam ser pautas permanentes de uma política que visa mudar o Brasil para melhor e não apenas para alguns milhares de amigos do poder e dos políticos de plantão, dos amigos do governo e dos poderosos que entre a sai governos e estão sempre ali, financiando as campanhas políticas e depois se beneficiando de todas as formas de corrupção possíveis para tirar proveito e dividir os lucros com os eleitos.

    Até quando continuarão intocáveis os bens e o patrimônio formado em um ou dois mandatos políticos, até quando a corrupção vai beneficiar e garantir aos corruptos e corruptores a continuarem gozando das benesses dessa sujeira toda?

    Vamos torcer, apoiar tudo o que está sendo motivo de passeata e manifestação até o final ou perderemos mais uma vez o rumo da história, do progresso e de um futuro melhor, de mudanças significativas que passam pela modificação do nosso sistema político, social e econômico, os brasileiros e o Brasil merecem.

    Olho vivo, nada de achar que está tudo resolvido ou que as principais demandas estão sendo atendidas, precisamos continuar lutando para que se faça luz, a luz necessária ao nosso desenvolvimento social, político e econômico, para termos um Brasil verdadeiramente mais próximo da justiça social.

  4. Essa conversa de se reunir com sindicatos, federações, centrais sindicais, etc, cheira muito mal.

    Esses pulhas não tiveram tanta chance de mamar no governo de Dilma e agora estão se pegando com o sr Lula, para voltar ao ninho dos “abençoados”.

    O mal cheiro está no ar.

    O povo, o país que se f…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *