Piada do Ano! OAB afirma que a Lava Jato quer “criminalizar” a advocacia brasileira

Presidente da OAB ataca operação: ‘Criminoso é o delator’

Rayssa Motta, Pepita Ortega e Fausto Macedo
Estadão

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) reagiu à operação deflagrada nesta quarta-feira, dia 9, pela força-tarefa da Lava Jato no Rio contra escritórios de advocacia investigados por suposta operacionalização de desvios de recursos do Sistema S fluminense (Sesc-RJ, Senac-RJ e Fecomércio-RJ).

Por meio da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas e Valorização da Advocacia e da Procuradoria Nacional de Defesa das Prerrogativas, a entidade classificou a ação como ‘clara iniciativa de criminalização da advocacia brasileira’ e informou que tomará medidas administrativas e judiciais. “Ao tempo que ansiamos por um Brasil limpo e de combate à corrupção, não apartaremos do devido processo legal, tampouco de seus valiosos instrumentos, dentre eles, as prerrogativas da advocacia”, diz um trecho da nota divulga à imprensa.

ADVOCACIA LIVRE – A manifestação também alerta que o desrespeito à advocacia livre fere princípios da própria democracia. “As prerrogativas da advocacia e persecução penal são elementos jurídicos harmônicos e absolutamente conciliáveis. O processo de criminalização da advocacia, que desrespeita as prerrogativas, é ditatorial e atenta contra o Estado de Direito e à Democracia. Não há estado democrático sem uma advocacia livre”, afirma a Ordem dos Advogados do Brasil.

O presidente da entidade, Felipe Santa Cruz, também se manifestou nas redes sociais. Em sua conta no Twitter, classificou a operação como uma tentativa de intimidação e chamou o ex-presidente da Fecomércio do Rio, Orlando Diniz, que delatou o suposto esquema, de ‘criminoso’. “Quase todos os advogados importantes do meu estado participaram de uma organização criminosa? Criminoso é o delator, não os advogados! Pensam que vão nos intimidar. Não nos conhecem”, escreveu Santa Cruz.

ALVOS – Advogados renomados no meio político foram alvos da Operação E$quema S, deflagrada pela Polícia Federal, Ministério Público Federal e Receita para investigar suposta estrutura irregular de pagamentos milionários a escritórios de advocacia e possíveis desvios das seções fluminenses do Serviço Social do Comércio (Sesc RJ), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac RJ) e Federação do Comércio (Fecomércio RJ).

A ação mira profissionais com currículos relevantes, sobretudo em Brasília, e que carregam no sobrenome suas maiores credenciais, a exemplo de filhos de ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Tribunal de Contas da União (TCU).

Os agentes cumpriram 51 mandados de busca e apreensão. Endereços ligados a Frederick Wassef, ex-advogado da família Bolsonaro, Cristiano Zanin, defensor do ex-presidente Lula, Ana Tereza Basilio, que representa judicialmente o governador afastado do Rio Wilson Witzel, e à procuradora de Justiça de São Paulo Luiza Nagib Eluf foram vasculhados.

8 thoughts on “Piada do Ano! OAB afirma que a Lava Jato quer “criminalizar” a advocacia brasileira

  1. Pois é, pois é …

    Se em outra pagina postei algumas razões pelas quais o Brasil não tem solução, aproveito o artigo em tela para registrar outra questão, que torna o país insolúvel:

    Sabemos que existem advogados famosos, que sempre são contratados pelos políticos quando envolvidos em crimes contra à nação e ao povo.

    Esses profissionais do Direito por terem equipes competentes de pesquisadores que descobrem brechas nas leis criadas pelos próprios envolvidos, cobram caro se contratados, diante da qualidade de serviços prestada, ou seja, a inocência ou penas brandas, cumpridas em liberdade ou detidos em suas mansões.

    Mas, a ironia desse enaltecimento aos advogados que se tornam celebridades porque entrevistados pela mídia, nas suas defesas veementes prestadas no plenário do STF, nas suas imagens vestindo ternos bem cortados, gravatas italianas, sapatos alemães, camisas francesas, cuecas em linho egípcio, meias suíças, cabelos untados com gel vinda da Turquia, pois todo esse rito momesco e fortunas que recebem para suas pantomimas jurídicas, as quantias despendidas para essa festa processual, o dinheiro é nosso!!!!

    Resumo da ópera:
    Nós, os roubados, explorados e manipulados, ainda somos quem patrocina o ladrão pelo crime cometido contra nós mesmos, que tal?
    Ou somos muito estúpidos ou muito burros ou ambos ao mesmo tempo!

    Sugestão:
    os advogados de defesa dessas quadrilhas de partidos políticos, parlamentares, empresários, dirigentes desonestos, terão as suas defesas através da Defensoria Pública!

    Se somos nós que pagamos o bacanal, a orgia, a festa despudorada com o nosso dinheiro, então que patrocinemos a defesa desses ladrões com custos bem menores, advogados públicos.

    Revogam-se as disposições em contrário.

  2. Aliás, se não temos penas mais rigorosas contra a corrupção e seus autores ou beneficiados, pelo contrário, voga a maldita impunidade, que seja pré-requisito para a defesa dos envolvidos em crimes contra o povo e Estado, apenas e tão somente a Defensoria Pública!

    Nenhum outro profissional do Direito que não esteja na lista dos servidores públicos nesse particular, poderá fazer parte sequer da equipe que defenderá o acusado nesse tipo de delito:
    corrupção e suas variáveis, tais como, lavagem de dinheiro, propinas, superpreços, licitações demarcadas …

    Certamente os advogados públicos farão um serviço com muito mais qualidade, eficiência e eficácia, do aqueles profissionais que nos custam fortunas, e que ainda somos quem os patrocina com remunerações milionárias para que inocentem os ladrões que nos roubaram!!!!

    Putz, seria até cômico se não fosse trágico!

  3. A propósito do tema, permito-me reproduzir uma jabuticaba publicada no mês passado e republicada ontem.

    FACULDADES DE DIREITO E ADVOGADOS
    Brasil Faculdades 1.670 Advogados 1.290 mil
    EEUU Faculdades 693
    No resto do mundo, incluindo EEUU, há menos de 1.200 faculdades. No quesito somos imbatíveis, deve ser por isso que somos campeões absolutos em direitos (desrespeitados) e criminosos à solta.

  4. Gosto muito de olhar com atenção as fotos das personagens da ciranda política que, às vezes, acompanham os artigos.
    Olhá-las e cheirá-las, porque não sei se já falei que o que me faltou em beleza e inteligência, Deus o compensou com um olfato sobrenatural para detetar cheiro de bandido, vigarista, mentiroso, dissimulado, traidor e outras pragas desta floresta humana.
    Não vou cheirar, por enquanto, nosso personagem, mas olhem bem a cara dele e me digam, não tem cara de corrupto manso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *