Piada do Ano: Odebrecht quer fazer delação sem revelar os políticos envolvidos…

Resultado de imagem para listao da odebrecht charges

Fotomontagem sem autoria, reproduzida do Arquivo Google

Bela Megale e Estelita Hass Carazzai
Folha

Deflagrada nesta segunda-feira (26), a 35ª fase da Lava Jato, que foi capitaneada pela Polícia Federal, criou um mal-estar entre a Odebrecht e os procuradores da República que participaram da operação. Eles negociam com a empreiteira acordos de delação e leniência (espécie de delação premiada da pessoa jurídica) há cerca de sete meses. Em fase final de conversas, agora focadas no acerto de multas e penas e com o conteúdo já definido sobre o que os executivos vão revelar, a empreiteira foi surpreendida ao ser o foco de novas acusações juntamente com o ex-ministro Antonio Palocci.

Segundo a Folha apurou, esta fase compromete o ambiente colaborativo entre Odebrecht e procuradores, que chegaram a dar explicações ao grupo sobre o ocorrido. A empresa, porém, não pretende desistir do acordo, visto como sua única alternativa de sobrevivência.

TRANSTORNO – Apesar de não ter sido alvo de buscas, o fato de todas as ações da 35ª fase se concentraram na relação de investigados com a empreiteira incomodou o grupo Odebrecht devido ao transtorno causado junto ao mercado num momento em que a empresa negocia parte de seus ativos para se recompor.

A última fase decorreu de uma investigação da PF a partir de documentos apreendidos em ações anteriores e delações premiadas homologadas, como a da ex-secretária Maria Lúcia Tavares.

As apurações aconteceram paralelamente à negociação da delação, já que a PGR (Procuradoria-Geral de República) proibiu a PF de participar das tratativas com o argumento de evitar vazamentos.

CONTROVÉRSIAS – Segundo a Folha apurou, parte do Ministério Público Federal viu a ação como resposta da PF a esse fato. Porém os policiais negam qualquer tipo de reação e dizem desconhecer mal-estar com a Odebrecht, já que não estão a par da negociação.

A polícia tentou ouvir Marcelo Odebrecht durante a investigação, mas o executivo não quis falar devido à negociação da delação. Os investigadores, então, preferiram deflagrar a operação a esperar o resultado da delação. A PF considera também que a demora na negociação com a Odebrecht pode levar à destruição de provas. Tal risco foi mencionado pelo delegado Filipe Pace no pedido de prisão de Palocci.  “É fato público e notório de que o grupo Odebrecht está em negociação para celebração de acordo de colaboração premiada com a PGR, circunstância que, por si só, deixa em estado de alerta todos os criminosos que se envolveram com o grupo empresarial e poderá ensejar prejuízo a futuras investigações e instruções”, escreveu o delegado.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Se a Odebrecht continuar embromando, sem levar a delação a sério, os dirigentes e executivos vão se dar mal. O listão das propinas da empresa tem mais de 300 codinomes, mas os dirigentes e executivos não querem revelar quem são. A força-tarefa teve de descobrir sozinha que “Italiano” é Palocci e “Pós-Itália” é Guido Mantega. Bem, chamar isso de delação seria um bocado de exagero, uma espécie de Piada do Ano. (C.N.)

9 thoughts on “Piada do Ano: Odebrecht quer fazer delação sem revelar os políticos envolvidos…

  1. Só ‘novatos’… Onde ficaria a ‘ Casa de Doido ” ?

    As obras foram o foco da 31ª fase da Operação Lava Jato, desencadeada em julho deste ano. De acordo com o MPF, o Consórcio Novo Cenpes pagou R$ 20 milhões em propina para conseguir o contrato para execução das obras do Centro de Pesquisa de Petrobras. A irregularidade ocorreu entre 2007 e 2012.A força-tarefa afirma que o dinheiro foi repassado para funcionários do alto escalão da Petrobras e representantes do PT.

    Os réus vão responder por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção e organização criminosa.

    Réus
    Adir Assad – empresário e doleiro
    Agenor Franklin Magalhães Medeiros – OAS
    Alexandre Correa de Oliveira Romano – ex-vereador do Partido dos Trabalhadores (PT)
    Edison Freire Coutinho – Grupo Schahin
    Erasto Messias da Silva Júnior – Construtora Ferreira Guedes
    Genésio Schiavinato Júnior – Construbase
    José Aldemário Pinheiro Filho – (Léo Pinheiro) – ex-presidente da OAS
    José Antônio Marsílio Schwarz – Grupo Schahin
    Paulo Adalberto Alves Ferreira – ex-tesoureiro do PT
    Renato de Souza Duque – ex-diretor de Serviços da Petrobras
    Ricardo Backheuser Pernambuco – Carioca Engenharia
    Rodrigo Morales – operador
    Roberto Ribeiro Capobianco – Construcap
    Roberto Trombeta – contador

  2. Em clima alegre…

    Executivos da Odebrecht trabalham para identificar todos os apelidos dados a beneficiários de caixa dois e propina distribuída pelo grupo. Durante o trabalho para a construção do acordo de colaboração com o MPF, eles se debruçaram sobre o material e chegaram a uma conclusão. Como a seleção de nomes era feita individualmente, não de maneira coordenada, há casos de pessoas diferentes com o mesmo apelido e casos em que um mesmo beneficiário tem mais de um apelido. A Odebrecht tem 14 braços e cada um cuidava de dar os codinomes.

    A revelação dos apelidos numa reunião entre os executivos causou um momento de descontração em meio à tensão da Lava Jato, uma vez que um desconhecia a alcunha dada pelo outro. Em alguns casos, o comentário era: “Como eu não pensei nesse?”.

    Siga a Coluna do Estadão:
    Twitter: @colunadoestadao

  3. Se o MP aceitar, o poder judiciário que já está desacreditado, ficará pior ainda mais, os poderes deste país me causa asco, o corporativismo do judiciário, legislativo e executivo é inacreditável, tinha orgulho de ser brasileiro, hoje sinto vergonha, não é atoa que somos vistos como um país da IMPUNIDADE.

  4. Os politicos moralistas em questão são aqueles que estão atolados até o pescoço na Lava-Jato.?
    Tem vários moralistas, alguns deles usam sempre o mesmo Spray-Ética., ética pra cá, ética pra lá, ética acolá..
    Outros moralistas são recordistas em delações, como o Efeagaécio Nevers, não tem pra nínguem.
    Outro moralista é o Zé Vampiro da Móoca, sempre dizendo que “não sabia de nada” e isso é “trololó petista”, mas os delatores dizem que o trololó é dele, inclusive um trololão bem grandão do Metrô Paulista, um lamaçal de corrupção,
    Outro moralista sem moral é Dona Henriquetta e junto com o filho Playboy Henriquinho Cardoso numa tacada levou do cerveró 3 bilhões de reais., grana boa.
    Outro moralista é o ex-terrorista que roubava bancos, seu nome sempre aparece em listas de corrupções, tanto lá como cá, é uma festa de arromba, que aliás, arromba aos cofres públicos.,
    Aguardamos o Grande Super-Juiz que está cheio de moral com o povão que dê um chega prá lá nesses moralistas sem moral e sem caráter…..
    Vamos aguardar.
    Por falar nisso
    Dona janaina, where are you.:::???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *