Piada do Ano: PT questiona na Comissão do Impeachment as ações de Cunha

Costa, líder do governo, diz que houve “desvio de finalidade”

Isabela Bonfim
Estadão

Após a liminar aceita pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, que afastou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do mandato de deputado federal e também do comando da Casa, governistas vão questionar o vício do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff por desvio de finalidade de Cunha. A tese, já levantada pela defesa, foi rechaçada na quarta-feira, 4, no relatório de Antonio Anastasia (PSDB-MG), favorável ao impeachment.

“Como denunciamos desde o primeiro momento, houve um desvio de finalidade, um desvio de poder no posicionamento dele de aceitar essa denúncia em relação à presidente Dilma. Isso macula o processo desde a sua origem”, afirmou o líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE).

A sessão desta quinta-feira, 5, na comissão do impeachment é dedicada à discussão do relatório de Anastasia e a estratégia dos governistas será questionar, justamente, o vício do processo com base na “falta de credibilidade” de Cunha na aceitação e condução do processo na Câmara.

OUTROS INTERESSES

“Essa decisão do ministro Teori, que deve ser confirmada pelos demais ministros, comprova o fato de que o presidente da Câmara usou do seu poder para atender a interesses que não o do público”, disse Costa.

O líder do governo espera um grande debate hoje na comissão, questionando se a decisão da Câmara dos Deputados, de denunciar a presidente Dilma, deve ser cumprida. Por outro lado, o relatório de Anastasia, além de desconsiderar qualquer desvio de finalidade de Cunha, considera que a decisão não coube apenas ao presidente da Câmara, mas a todos os deputados que votaram em plenário em 17 de abril. Os governistas vão entregar à comissão do impeachment um voto em separado com parecer contrário ao de

ANASTASIA NÃO COMENTA

Ao chegar à comissão do impeachment, o relator do processo Antonio Anastasia (PSDB-MG) se recusou a dar entrevistas e comentar o possível desvio de finalidade de Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O desvio de finalidade de Cunha é um dos aspectos rechaçados pelo relator do impeachment.

“Eu não vou responder isso. Não vou falar”, disse Anastasia sobre a tese do desvio de finalidade de Cunha.

No relatório apresentado ontem à comissão do impeachment, Anastasia rebateu a defesa e desconsiderou as ações de Cunha. Ele argumentou ainda que a decisão de autorizar o processo do impeachment não coube apenas ao presidente da Câmara, mas foi referendada pelos deputados na votação de 17 de abril.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGÉ apenas mais uma candidatura à Piada do Ano. No desespero, em clima de fim de festa, os petistas apelam para qualquer argumento. Querer anular a decisão da Câmara por causa da liminar contra Cunha, sem qualquer dúvida, é piada que merece disputar o cobiçado troféu. (C.N.)

4 thoughts on “Piada do Ano: PT questiona na Comissão do Impeachment as ações de Cunha

  1. NR diz a que ponto chegou o STF, não chega o Barroso, agora o Teori, o Ricardo, considero estupro e vilipendio da Srª Justiça, O Cunha merece cadeia, sim, o Renan idem, o Ricardo idem idem, o impedimento de D.Dilma, foi dado pela maioria absoluta de deputados, portanto queiramos ou não, representam milhares de voto dos Zé Povinho.
    A que ponto chegamos, imoralidade na administração pública, e o povo assiste a este descalabro do stf, em péssimo exemplo para as instâncias inferiores.
    Até DEUS duvida o que se passa neste momento na Terra do Cruzeiro, mas, roguemos a Ele, sua JUSTIÇA, para que o BRASIL cumpra seu destino: Coração do Mundo Pátria do Evangelho.
    Rui Barbosa, estou contigo, “Tenho vergonha de mim em ser honesto.

  2. A defesa da presidente deliberadamente trata o ato de Cunha ao dar prosseguimento à ação de impeachment, como era sua obrigação como presidente da Câmara, e cuja ação não foi iniciada por ele, como se ele tivesse iniciado ele mesmo a ação por vingança. Em nada a aceitação da ação .de impeachment configura desvio de função, e Cardoso sabe muito bem disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *