Pimentel j est com bens bloqueados em processo por fraude e superfaturamento de obras em Belo Horizonte

Carlos Newton

A imprensa aperta o cerco ao ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior). A situao se complica cada vez mais. O comentarista Martim Berto Fuchs nos envia uma reportagem de Marcelo Portela e Eduardo Kattah, do Estado, revelando que a principal financiadora da campanha eleitoral de Pimentel em 2010 est na mira do Ministrio Pblico Estadual de Minas Gerais por suspeita de superfaturamento em contrato firmado com o Executivo municipal durante a gesto dele como prefeito de Belo Horizonte.

A empresa Construes e Comrcio Camargo Corra S/A, que deu R$ 2 milhes para a campanha de Pimentel, formou com a Santa Brbara Engenharia S/A um consrcio para construo de habitaes populares na capital mineira. Pelo contrato, segundo a prefeitura, o consrcio faturou R$ 165,9 milhes entre 2005 e 2010. Aps uma representao feita no fim do ano passado, a Promotoria de Defesa do Patrimnio Pblico do Ministrio Pblico Estadual instaurou inqurito civil para apurar o contrato.

Os trabalhos, parte do programa Vila Viva, uma das principais realizaes do prefeitoPimentel, incluram a construo de unidades habitacionais e outras intervenes, como pavimentao de vias. Segundo a prefeitura, as obras tiveram incio no mesmo ano da assinatura do contrato e foram concludas no ano passado.

O inqurito civil foi aberto em novembro do ano passado aps denncia levada aos promotores pelo ex-vereador Antnio Pinheiro (PSDB). O ex-vereador disse que pediu exonerao do cargo de fiscal da Companhia Urbanizadora da capital (Urbel) quando a prefeitura lhe negou o acesso aos contratos para as obras que fiscalizava in loco.

Conforme a representao, o projeto Vila Viva, executado no morro do Cafezal, tambm teria sido objeto de superfaturamento, com apartamentos que teriam custado mais de R$ 200 mil aos cofres pblicos. “Os preos estavam muito acima do mercado e pedi os contratos para fazer meu trabalho, mas no me deram. Ento, sa”, disse Pinheiro, denunciando: “Uma casa que fica por R$ 25 mil, eles esto pagando R$ 210 mil.”

***
BLOQUEIO DE BENS DE PIMENTEL

Alm do consrcio Camargo Corra-Santa Brbara, o Ministrio Pblico investiga ainda a HAP Engenharia, tambm por causa de suspeita de superfaturamento em obras da Vila Viva, neste caso no Morro das Pedras, na regio oeste da capital.

Conforme a denncia, o contrato com a HAP para a construo de 778 apartamentos teria sido reajustado de R$ 90 milhes para R$ 120 milhes, o que elevou o custo de construo para os cofres pblicos de cada apartamento para R$ 154 mil.

A empresa pertence a Roberto Giannetti Nelson de Senna, que possui estreita relao com Pimentel. Tanto o ministro quanto a empresa e seu proprietrio j so rus em outro processo movido pelo Ministrio Pblico. Na ao, eles so acusados de fraude na construo de casas populares com recursos municipais com dispensa de licitao, superfaturamento e utilizao de uma entidade filantrpica (Ao Social Arquidiocesana ou ASA) para justificar a dispensa indevida de concorrncia pblica.

Segundo o Estado, a Justia j determinou o bloqueio de bens dos acusados no valor de R$ 5 milhes e o processo ainda tramita na 4 Vara da Fazenda Pblica na capital.

***
RELAES COM A EMPREITEIRA

Quando disputou uma vaga no Senado em 2010, Pimentel declarou, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, uma arrecadao de R$ 8,7 milhes para a campanha. Deste total, R$ 2 milhes foram doados pela Camargo Corra. As doaes foram feitas em quatro parcelas de R$ 500 mil, transferidas eletronicamente para a conta da campanha entre 4 de agosto e 22 de setembro. O Consrcio Camargo Corra fez ainda depsito em espcie de R$ 1,8 mil em 1 de outubro.

O grupo Camargo Corra j havia feito doaes campanha de Pimentel Prefeitura de Belo Horizonte em 2004, bem mais modestas que a de 2010: foram R$ 100 mil por meio da empresA Construes e Comrcio Camargo Corra e outros R$ 100 mil pela Camargo Corra Equipamentos e Sistemas S/A.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.