Planalto delira e quer anular provas, mas os ministros do Supremo não concordam

Resultado de imagem para gilma mendes

Gilmar vai ficar falando sozinho no Supremo…

Carlos Newton

Devido à extravagante, excêntrica e explosiva gravação da conversa de bêbados entre o empresário Joesley Batista e seu executivo Ricardo Saud, não há dúvida de que ganhou força e amplitude a chamada “Operação Abafa”, que se destina a inviabilizar a Lava Jato e segue os moldes da bem-sucedida manobra desfechada na Itália para extinguir a Operação Mãos Limpas (“Mani Pulite”). Na versão brasileira, a manipulação é organizada pelo Planalto e pela classe política em geral, com apoio de integrantes do Supremo e de importantes órgãos de comunicação, conforme tem denunciado solitariamente o ministro Luís Roberto Barroso, como se estivesse clamando no deserto de homens e ideias identificado pelo grande brasileiro Oswaldo Aranha.

O certo é que a gravação da dupla caipira Joesley e Saud está provocando um carnaval fora de época que contamina a internet e a imprensa falada, escrita e televisada, como se dizia antigamente. Mas logo virá a quarta-feira de cinzas, a ficha cairá e tudo voltará ao normal.

“GRAVÍSSIMOS FATOS” – Os advogados da JBS deram uma mancada colossal. Entregaram na quinta-feira, dia 31, uma gravação à Procuradoria-Geral da República, sem saber que os trechos apagados poderiam ser reconstituídos. Foi tão fácil recuperá-los que na segunda-feira o procurador-geral Rodrigo Janot convocava a entrevista de surpresa, para denunciar os “gravíssimos” fatos.

Até então, Janot nem tinha ouvido a gravação, não sabia que era uma conversa de dois bêbados irresponsáveis, com barulho do gelo nos copos, conversa sobre mulher e tudo o mais, só faltaram falar em futebol. E no meio do papo, os dois se jactavam do “poder” que julgavam possuir, pareciam os donos do mundo comandando os três Poderes da República.

Sem ter ouvido a gravação, Janot deu um tom de seriedade às afirmações dos pinguços, acabou levando pancadas de todos os lados, foi até repreendido ao vivo e a cores pelo ministro Luiz Fux, na sessão do Supremo desta quarta-feira, e teve de engolir calado.

ÁRVORE PODRE – Os mentores da “Operação Abafa” aproveitaram a deixa para esculhambar a Procuradoria-Geral da República. Reportagem de Leticia Fernandes ( filha de Rodolfo e neta de Helio Fernandes) e Eduardo Barretto, em O Globo, mostra que o Planalto já está falando em “árvore podre” e aposta na anulação de provas contra o presidente Michel Temer e seu assessor Rocha Loures.

“Flechas do Janot amoleceram”, disse um ministro da cúpula do governo (leia-se: Padilha ou Moreira) aos repórteres da Globo, empolgado com os ataques que o ministro Gilmar Mendes desfechou em Paris contra a honra do procurador, ao gravar declarações num celular, para simular uma entrevista coletiva, mas sem nenhum jornalista presente, vejam a que ponto chegamos.

A decepção viria nesta quarta-feira. Nenhum dos outros dez ministros do Supremo seguiu a linha esquizofrênica de Gilmar Mendes, que sonhava em conquistar apoio para anular todas as delações e provas colhidas pela Lava Jato.

PROVAS VÁLIDAS – Além do descontrolado Gilmar Mendes, até agora quatro ministros já se pronunciaram – Marco Aurélio Mello, Cármen Lúcia, Celso de Mello e Luiz Fux. E nenhum deles defendeu a anulação das provas, mesmo que a delação da JBS seja considerada inválida, e assim derrubaram a tese de Mendes, até porque a Lei 12.850, que regula as delações, estabelece que as provas contra terceiros (no caso, Temer e Loures) continuam valendo.

Outro detalhe importante: questionado se Janot sai enfraquecido com essa nova gravação, o ministro Marco Aurélio Mello foi bem claro, levando ao desespero os mentores da “Operação Abafa”. Disse ele: “Não. Ele tem uma bagagem de grandes serviços prestados à sociedade brasileira”.

###
P.S.- Sonhar não é proibido, mas a Lava Jato não será afetada. A inviabilização da Operação Mãos Limpas, na Itália, só aconteceu porque na década de 90 não havia redes sociais. Hoje a situação é diferente, a internet mudou o mundo e a opinião pública não é mais manipulada com a mesma facilidade.

P.S. 2 Gilmar Mendes vai ficar falando sozinho no Supremo, tipo Napoleão de Hospício. O máximo que pode conseguir é o apoio discreto de Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, que ainda não desepertaram do sonho e continuam fazendo o que seu mestre (Lula) mandar. (C.N.)

7 thoughts on “Planalto delira e quer anular provas, mas os ministros do Supremo não concordam

  1. Porque a TI tem membros que conhecem a seara jurídica, gostaria de saber o que podemos fazer para o impeachment do Toffoli, Lewandowsky e Gilmar Mendes. Nós povo pagamos salários e benefícios acima do que esses ministros valem no mercado e esperamos receber um serviço de qualidade. Se eles pensam que são Sócrates ou Einsteins na vida estão enganados – são simples servidores públicos com benefícios garantidos pela curta vida e devem cumprir pelo menos o código de ética exigido pelo cargo.
    O saco do sapo já está cheio com essas Marquises de Pompadour amantes do Inácio XV da Silva.

  2. Esse orangotango deve ter ficado aliviado por não haver na gravação (ou ter sido escondido) que a JBS lhe deu uma grana grossa – mais de 2 milhões – em patrocínios para o tal IDP – talvez um 5 à Sec disfarçado.

  3. Extirpem este senhor do stf, só tem prejudicado o poder judiciário, arrogante, pisa em quem quer que seja, á inacreditável as declarações deste senhor, parece que não está em suas condições psicológicas normais.

  4. Caro CN,
    Em dois parágrafos consecutivos, vc tenta passar a ideia de que o PGR chamou uma coletiva de imprensa e denunciou “fatos gravissimos” sem ter se quer ouvido o que estava gravado ???? Serio ???
    Por que se ele realmente fez isso, (e não fez ! ) deveria ser exonerado sumariamente.
    A instituição da PGR não pode se permitir a isso.
    O PGR nao pode jogar m. no ventilador na imprensa sem sequer ter ouvido e mandado fazer pericia em tais gravações.
    Isso é crime.
    Ainda mais depois de ja haver o ocorrido com a gravação do Temer.
    Ele obviamente sabia o que havia e isso foi uma tentativa de embaralhar com a denuncia do Lula, Dilma e PT.
    A propria Dilma, genia que só ela, no mais clássico comportamento vermelho, jogou isso na imprensa.
    Serio ? O “acuso os outros do que eu faço” até hoje ? Assim sem nenhuma dissimulação ?
    A Dilma é sem sofisticação nenhuma, nunca houve uma quinta coluna como a Dilma.
    Alias, o Brasil tinha que erguer uma estatua para aquela a_ta. Foi ela que salvou o Brasil de virar uma Venezuela. Um viva para a mulher sapiens !!!
    O Gilmar Mendes sera a Dilma do STF se continuar no mesmo caminho.

    • Caramba, amigo, quanta incompreensão… Se liga, amigo. O procurador recebe a degravação, ou seja, a transcrição do que está gravado, não aparece a voz de bêbado nem o barulho do gelo nos copos.

      CN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *