Planalto mandou emissário acalmar Cunha, que acusa Moreira e poupa Geddel

Resultado de imagem para cunha cassadoNatuza Nery
Folha

“Eduardo, o governo não pode tudo”, tentou explicar um emissário do Planalto. Mas Cunha não se convenceu. Patrono do impeachment, cobrava lealdade por colocar Michel Temer na Presidência. Acabou expulso do Congresso sob as barbas do governo que ajudou a empossar e pelas mãos do grupo político que ele próprio fortaleceu. Abatido, com olheiras e mais calado do que o normal, confidenciava a amigos horas antes da cassação: “O Michel não fez nada por mim”. Cunha deu pistas do que vem por aí: “Contarei tudo do impeachment”. Ele espera lançar seu livro sobre os bastidores da deposição de Dilma Rousseff em dois meses.

ABANDONADO – Nas poucas palavras que deu durante o dia, Cunha reclamou muito de Moreira Franco, secretário de Temer, e do presidente. O único poupado foi o ministro Geddel Vieira Lima — “esse sempre foi correto comigo”, dizia ele.

Nas últimas horas, Cunha viu-se abandonado por aliados do baixo clero. “Vou votar por sua cassação. Abraços”, escreveu um inexpressivo deputado para o WhatsApp do peemedebista.

Logo após a fatídica votação de 17 de abril — data da abertura do processo contra Dilma na Câmara — aliados foram até Cunha pedir que renunciasse à presidência da instituição. Disseram que PSDB e DEM topavam preservar seu mandato desde que saísse de cena, abrindo mão de ser “vice-presidente de Temer”. Em vão.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
A informação de Cunha estava poupando o ministro Geddel, secretário de Governo, faz sentido. Até pouco antes da votação, o irmão dele, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) não havia registrado presença em plenário, mas no final, acabou votando a favor da aprovação. Já se sabia que Moreira Franco está na alça de mira de Cunha. Quanto ao presidente Michel Temer e outros caciques do PMDB que abandonaram o ex-presidente da Câmara, vamos aguardar a reação dele. De qualquer maneira, nada será como antes, como dizem Milton Nascimento e Ronaldo Bastos.  (C.N)

19 thoughts on “Planalto mandou emissário acalmar Cunha, que acusa Moreira e poupa Geddel

  1. Ontem logo após a cassação, em entrevista ele também acusou o governo e principalmente o Moreira, por ter articulado a eleição de seu genro Rodrigo Maia, o que tirou o Rosso do páreo.
    Depois disse que vai escrever um livro sobre TODOS com quem teve conversas.
    Moreira #tchauQuerido…

  2. “O único poupado foi o ministro Geddel Vieira Lima — “esse sempre foi correto comigo”, dizia ele.”

    ELE DEVE TER OS MOTIVOS DELE:
    “Geddel Vieira Lima – Era apoiado político de João Alves, e foi responsável pela liberação de diversas emendas para o parlamentar, além de ter sido acusado de receber dinheiro de empreiteiras. Foi ministro da Integração Nacional do governo Lula, quando destinou 60% das verbas para seu curral eleitoral no ano em que disputaria eleição.”
    https://noticias.terra.com.br/brasil/politica/lembre-do-escandalo-dos-anoes-do-orcamento-que-completa-20-anos,3f1376212bd42410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

  3. E o Cunha completa a letra…

    Eu já estou com o pé nessa estrada
    Qualquer dia a gente se vê
    Sei que nada será como antes, amanhã
    Que notícias me dão dos amigos?
    Que notícias me dão de você?

    Alvoroço em meu coração
    Amanhã ou depois de amanhã
    Resistindo na boca da noite um gosto de sol
    Num domingo qualquer, qualquer hora
    Ventania em qualquer direção
    Sei que nada será como antes amanhã

  4. Assim como no caso Valério, os esqueletos sempre reaparecem..

    20/01/2016 11h26 – Atualizado em 20/01/2016 20h22

    Mensagens apreendidas pela PF mostram atuação de Geddel para OAS

    Ex-vice da Caixa teria atuado dentro do banco a favor da construtora.
    Presidente do PMDB baiano também pediu doações à direção da empreiteira

    http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2016/01/mensagens-apreendidas-pela-pf-mostram-atuacao-de-geddel-para-oas.html

  5. Vocês me entendam por favor. A decepção que que Eduardo cunha teve com seus amigos – “amigos” de circunstância – me levou a este poema do grande Camilo Castelo Branco, poeta, dramaturgo, historiador português

    OS AMIGOS” – Camilo Castelo Branco

    Amigos cento e dez, e talvez mais,
    eu já contei. Vaidades que eu sentia!
    Pensei que sobre a terra não havia
    mais ditoso mortal entre os mortais.

    Amigos cento e dez, tão serviçais,
    tão zelosos das leis da cortesia,
    que eu, já farto de os ver, me escapulia
    às suas curvaturas vertebraís.

    Um dia adoeci profundamente.
    Ceguei. Dos cento e dez, houve um somente
    que não desfez os laços quase rotos.

    – Que vamos nós (diziam) lá fazer?
    Se ele está cego, não nos pode ver”. .
    – Que cento e nove impávidos marotos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *