Poderá o PT afastar Michel Temer?

Carlos Chagas

Mais importante do que a ameaça do governador Sérgio Cabral de apoiar  Aécio Neves se o PT não retirar a candidatura do senador Lindbergh Farias ao governo do Rio de Janeiro é o clima tenso entre o PMDB e o governo. Dificilmente outros governadores do partido de Cabral seguiriam seu exemplo, no caso de precisarem enfrentar candidatos do PT, ano que vem. Mesmo o  governador fluminense pensará duas vezes antes de desligar-se do bloco de apoio à reeleição da presidente Dilma.

O perigo, nesse confronto em gestação, é a tréplica que muitos companheiros poderão organizar. Qual? A ameaça do  afastamento de Michel Temer da chapa vitoriosa em 2010.

A cabeça do Lula é uma ebulição permanente, como oráculo e comandante em chefe do PT. E se  o ex-presidente engajar-se numa operação para apresentar uma chapa pura, quer dizer, outro petista para vice-presidente? Que tal Aloisio Mercadante? Ou, mais contundente ainda, por que não procurar  Eduardo Campos para a dobradinha? Seria a saída ideal para o governador pernambucano, que não vai bem de pesquisas em sua tentativa de candidatar-se ao palácio do Planalto em 2014. Bem que a vice-presidência serviria de trampolim para 2018.

Salta aos olhos, nessa tertúlia por enquanto circunscrita ao Rio de Janeiro, a fragilidade do candidato que Sergio Cabral quer emplacar, o vice Pezão. Haverá medo de uma disputa com Lindbergh? Pretende o governador ganhar no tapetão? Falar de democracia é uma coisa, praticá-la, outra bem diferente.

Do alto de sua experiência, José Sarney recomenda que se dê tempo ao tempo. Não deve ser esquecido que no dia da transmissão do poder, de Lula para Dilma, Sarney foi o único político a abandonar a cerimônia e seguir com o já ex-presidente até São Bernardo. Os dois tocam de ouvido e, mesmo sem alarde, tem se encontrado. A esperança dos cardeais do PMDB repousa no bigode do senador.

COM TODO O RESPEITO À ETIÓPIA

Que a presidente Dilma gosta de viajar, não se duvida. Supera até mesmo os ex-presidentes Fernando Henrique e Lula. Agora, partir para a Etiópia, como fez quinta-feira à noite, fica difícil entender. Apesar do maior respeito devido àquele povo aguerrido que enfrentou por duas vezes os exércitos da Itália, que interesses possui o Brasil para justificar lá  a presença de nossa presidente?  Nem sabemos se a Etiópia votou em Roberto Azevedo para diretor-geral da Organização Mundial do Comércio. Muito menos se há empreiteiras brasileiras construindo estradas naquele país…

ADIAMENTO MISTERIOSO

Alguma razão deve ter tido o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, para informar que só a partir de agosto começarão a ser examinados os embargos apresentados pelos condenados do mensalão. Ele mesmo havia previsto para junho a derradeira fase do processo. Estaria com receio de a maioria dos  ministros da corte aceitarem a tese de Ricardo Lewandowski, sobre dever iniciar-se um novo julgamento? A verdade é que a cada dia mais se frustra a opinião pública ao verificar estarem soltos os mensaleiros condenados a penas de cadeia.

A LEI É A LEI

Fica difícil aceitar a tese de alguns integrantes da Comissão da Verdade a respeito da revisão da Lei da Anistia. Por mais amargo que seja verificar a existência de torturadores em liberdade, é preciso atentar para a solução encontrada nos estertores do regime militar, da anistia para todos. Tanto os agentes do estado quanto os que se insurgiram de armas na mão. Anistia não  é esquecimento, tanto que a Comissão da Verdade vai desvendando os porões da ditadura e revelando nomes e ações dos responsáveis por torturas e assassinatos. Basta isso.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “Poderá o PT afastar Michel Temer?

  1. Este seu comentário é uma meia-verdade “A verdade é que a cada dia mais se frustra a opinião pública ao verificar estarem soltos os mensaleiros condenados a penas de cadeia.”. Estaria correto e honesto se se dissesse, “depois de todos recursos…”, não se admite não respeitar todos os recursos que os réus tem direito. Os jornalistas gostam de jogar para a platéia mesmo forçando a oposição não salutar.

  2. A meu ver, a Presidenta Dilma Rousseff foi a Adis-Abeba (Nova Flor), capital da Etiópia, para a reunião de cúpula da União Africana, que lá se realizou. Os tradicionais Mercados dos EUA, Europa e Japão são importantíssimos para o Brasil, mas não tem muito potencial de crescimento. As maiores oportunidades de negócios para o Brasil estão na América Latina ( do México ao Fim do Mundo – Ushuaia, terra do Papa Francisco, Argentina), na grande África, Oriente Médio e partes da Ásia. É nessa vasta Região que o Brasil deve concentrar esforços e trocar Manufaturados por Matérias-Primas e tudo o mais. Alí, é onde temos o maior potencial de crescimento de nosso Comércio, ainda iniciante, nessas vastas e populosas Regiões. Abrs.

  3. Para evitar hoje um desagradável e constrangedor encontro com o ex-presidente Lula em Quito, na posse do presidente equatoriano Rafael Correa em seu terceiro mandato, a presidente Dilma Rousseff arranjou uma desculpa diplomática e embarcou quarta-feira para Adis Adeba, na Etiópia, a pretexto de participar das comemorações do aniversário de 50 anos da União Africana, este sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *