Polícia Federal leva Mantega para depor sobre corrupção na pasta da Fazenda

Juiz autorizou a condução coercitiva de Guido Mantega

Camila Bomfim
Da TV Globo

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega foi alvo de condução coercitiva (quando a pessoa é levada a depor e depois é liberada) na 7ª fase da Operação Zelotes, deflagrada nesta segunda-feira (9) pela Polícia Federal. A condução de Mantega foi autorizada pela Justiça Federal. Investigadores da Zelotes querem apurar a ligação de Mantega com empresa que é suspeita de comprar decisões do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda.

Ainda segundo os investigadores, Mantega foi citado por suspeitos investigados na operação como amigo de um dos alvos da fase deflagrada nesta segunda-feira, Victor Sandri, dono da empresa Cimento Penha, suspeita de comprar decisões do Carf.

AUTORIZAÇÃO JUDICIAL

Inicialmente, o pedido da PF para realizar a condução coercitiva de Mantega havia sido negado pela Justiça. Depois, Ministério Público Federal e a PF reuniram novos elementos para embasar o pedido, que acabou sendo autorizado pela Justiça.

Mantega foi levado à PF em São Paulo, onde prestava depoimento até a última atualização desta reportagem.

Além da condução do ex-ministro, a PF deve cumprir cerca de 30 mandados, de busca e apreensão e de condução coercitiva, na atual fase da Zelotes. Agentes foram às ruas no Distrito Federal e nos estados de Pernambuco e São Paulo.

Nesta 7ª fase da Zelotes também foi alvo de condução coercitiva o ex-conselheiro do Carf José Ricardo da Silva. Ele já foi condenado por participação nas fraudes no conselho e deu depoimento no presídio da Papuda, em Brasília.

OPERAÇÃO ZELOTES

A Zelotes foi deflagrada há um ano, em março de 2015. Inicialmente, o alvo da operação era o esquema de fraudes nos julgamentos do Carf.

Segundo as apurações, conselheiros suspeitos de integrar o esquema criminoso passavam informações privilegiadas de dentro do Carf para escritórios de assessoria, consultoria ou advocacia.

Esses escritórios, de acordo com os investigadores, procuravam empresas multadas pela Receita Federal e prometiam controlar o resultado dos julgamentos de recursos. O esquema teria movimentado R$ 19 bilhões em irregularmente.

A PF diz que ficou “comprovado” que conselheiros e funcionários do órgão “defendiam interesses privados, em detrimento da União”, “valendo-se de informações privilegiadas”.

Segundo a PF, mesmo depois do início da operação, as investigações encontraram indícios de que os crimes continuaram a ser cometidos.

MEDIDAS PROVISÓRIAS

Num segundo momento, a Zelotes passou a apurar também um suposto esquema de venda de medidas provisórias. A PF descobriu que uma das empresas que atuava no órgão recebeu R$ 57 milhões de uma montadora de veículos entre 2009 e 2015 para aprovar emenda à MP 471 de 2009, que rendeu a essa montadora benefícios fiscais de R$ 879,5 milhões. Junto ao Carf, a montadora deixou de pagar R$ 266 milhões.

Em 4 de dezembro, 16 pessoas suspeitas  se tornaram réus na Zelotes depois que a Justiça Federal aceitou denúncia do Ministério Público Federal no Distrito Federal.

(reportagem enviada pelo jornalista e advogado José Carlos Werneck)

24 thoughts on “Polícia Federal leva Mantega para depor sobre corrupção na pasta da Fazenda

  1. Mini-Crônica:

    Meu amigo ateu, fez doutorado em História na Universidade Católica de Louvain, na Bélgica.

    Ponderei na época: “Como um ateu vai estudar com os católicos?” Sorrindo respondeu: “É que eu sou italiano-brasileiro-gaúcho, tchê !”

    Ex-fundador do PT, ex-fundador do PSOL. Quando o muro de Berlim caiu, perguntei a ele: “E agora ?” Meu amigo ateu respondeu: “Agora é barbárie !”

    Em termos de Brasil meu amigo ateu acertou. É um profeta !

    A meu ver, estamos vivendo uma barbárie política.

  2. NUNCA ANTES na história do Brasil, tivemos um bando de bandidos travestido em partido político como o PT!

    Vereadores, deputados estaduais, prefeitos, governadores, deputados federais, senadores e presidentes da República petistas ou já foram condenados e presos ou são acusados de crimes contra o país e povo ou réus em processos que estão em andamento.

    O que me espanta e decepciona ao mesmo tempo, é que os roubos praticados pelo PT e devidamente comprovados não foram alvos de determinação judicial para que a quadrilha petista devolva aos cofres públicos o dinheiro que roubaram do erário, estatais e fundos de pensão!

    A corrupção e a imoralidade se estabeleceram em todas as instituições nacionais, SEM EXCEÇÃO?!

    Podemos afirmar que os Três Poderes viraram PETISTAS?!

    Seremos a única Nação neste mundo ONDE O CRIME COMPENSA?!

  3. QUANTO QUE ESTE DEPUTADO DE MERDA, MARANHÃO, GANHOU PARA TOMAR ESTA DECISÃO, QUE CONTURBA O BRASIL E O PROCESSO DE IMPEACHMENT?!

    Como que este pústula pode ir de encontro à maioria da Câmara, que votou sobre a admissão do impeachment e o enviou para o Senado para julgamento?!

    Quem pensa que é este canalha, que decidiu anular a votação que autorizou a continuidade do processo contra a presidente?!

    Olhem só o que fez esse corrupto e ladrão!!!

  4. Uma irresponsabilidade indizível pois o processo não se encontra mais na Câmara.Cabe recurso à Mesa da Câmara contra a maluquice.

    Como gato escaldado tem medo de água fria , e face a “qualidade” do comedor de bola interino, eu já havia questionado, aqui na TI , por DUAS VEZES, o que segue:

    No final de abril , José Eduardo Cardozo, requereu à Comissão de Impeachment no Senado, que os autos do processo fossem enviados à Câmara e que fosse declarada a nulidade votação dos 511 deputados. E se o novo presidente em exercício da Casa do Povo, o tal do Waldir Maranhão que votou contra a deposição da presidenta , resolve deferir a petição?

    Com certeza o Brasil virou uma pocilga!
    Mais uma vez a decisão será do STF,
    que deverá ser provocado nas próximas horas para trocar as fraldas sujas da Câmara.

    Palhaçada!

  5. Renan pode não receber a anulação pois o processo já é da responsabilidade do Senado.
    A oposição já declarou que, após tentar conversar com sua excrescência Maranhão e tentar anular na Mesa da Casa, irá ao STF. Vejamos o JEC havia questionado conforme o Antagonista:

    – a orientação de voto feita pelos líderes;

    – motivações de voto alheias ao tema em questão;

    – manifestação do relator no dia da votação;

    – não abertura de espaço à defesa após o relator se posicionar;

    – falta de aprovação de resolução confirmando a decisão do plenário.

    Waldir Maranhão levou isso a sério.

  6. Os comunistas não querem entregar o poder nem a pauladas!

    Vão tentar de tudo para se manterem no poder, derrubar nossa democracia e instalar a sua ditadura comunista.

    Não podemos deixar!

    O Brasil não vai ficar refém de Lula e seu Foro de São Paulo!!!

    FORA CANALHAS!

  7. Efraim Filho: “Não querem o bem do Brasil”

    Brasil 09.05.16 12:47
    De Efraim Filho a O Antagonista:

    “Um presidente não pode, de forma monocrática, suspender a decisão soberana do plenário. Essa é uma última cartada desesperada, porém ineficaz do governo Dilma. Eles estão provando, mais uma vez, que estão querendo salvar o PT. Eles não querem o bem do Brasil”.

    Nunca quiseram.

    (Transcrito de O Antagonista)

  8. Fausto Macedo – Estadão
    ——————————————–
    A Ordem dos Advogados do Brasil informou nesta segunda-feira, 9, que vai recorrer no Supremo Tribunal Federal da polêmica decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão (PP-MA) de anular a votação do impeachment na Câmara.

    O presidente do Conselho Federal da OAB Claudio Lamachia disse ver com “extrema preocupação” a medida e afirma que a entidade não aceita que “coloque-se em prática um vale-tudo à margem da Carta”.

    Veja abaixo a íntegra da nota:
    ”A OAB vê com extrema preocupação a decisão tomada pelo presidente interino da Câmara. Esse tipo de ação atende a interesses momentâneos de alguns grupos políticos, mas ignora as decisões legítimas já tomadas. O Brasil está na UTI política, vivendo o ápice de uma crise ética e institucional. A OAB não aceita que, neste momento em que a sociedade brasileira espera que a crise seja superada com respeito a Constituição Federal, coloque-se em prática um vale-tudo à margem da Carta”, afirma Claudio Lamachia

  9. ANULAÇÃO FOI ESCRITA POR JEC
    Antagonista

    A Veja.como publicou que “Waldir Maranhão foi visto na manhã desta segunda-feira na sede da Advocacia-Geral da União. Antes de decidir anular a sessão plenária que aprovou o impeachment e autorizou o Senado a processar e julgar a presidente Dilma Rousseff por crime de responsabilidade, ele não pediu auxílio à consultoria legislativa da Câmara – a Secretaria Geral da Mesa Diretora também não tinha conhecimento dos termos da decisão, divulgada à imprensa por meio de nota”.

    A informação do site da revista complementa a nossa apuração: a anulação do processo de impeachment na Câmara foi escrita por José Eduardo Cardozo e equipe.

    É uma indecência.

  10. Cássio Cunha Lima: “Ato inexistente”
    Brasil 09.05.16 13:25

    De Cássio Cunha Lima, a O Antagonista, ao embarcar para Brasília:

    “É como se um juiz de primeira instância decidisse sobre um processo de segunda. A Câmara dos Deputados não tem sequer instância para deliberar juridicamente. Esse ato (do Waldir Maranhão) é um ato inexistente. Cabe ao Senado, dentro da sua competência, dar continuidade ao processo de impeachment.”

    A leitura do relatório do resultado na comissão especial no Senado, marcada para 14h, está mantida. Por ora.

  11. A Mesa da Câmara nega ter sido consutada sobre a maluquice e o Depto Jurídico da Câmara idem. Como a gente duvida que Maranhão saiba escrever , baseados na lógica , podemos supor que a canetada foi redigida por José Eduardo Cardozo e equipe. Vejam outra opinião
    ———————————————–
    É impossível que decisão de Maranhão não tenha o dedo de Flávio Dino

    por Jorge Bastos Moreno

    Waldir Maranhão passou o fim de semana na companhia do governador Flávio Dino, a quem deu carona, segundo os jornais, para Brasília.

    É impossível essa decisão de anular o impeachment não ter o dedo do governador Flávio Dino. Na disputa de braço pra ver quem mandava mais no Waldir Maranhão, Dino ganhou de Eduardo Cunha, que sentiu na pele, agora, que não adianta comprar apoio. Waldir Maranhão se vendeu para quem pagou mais. André Borges, no Estadão de hoje, já cantava a bola.

    Essa decisão de Maranhão, como o próprio, não se mantém de pé. O presidente interino da Câmara está de cócoras. A matéria é vencida, decidida e aprovada pela maioria da Câmara. Já está no Senado. Um único deputado, por mais poder circunstancial e institucional que tenha, não pode anular um ato transitado e julgado.

    Maranhão só prova que não tem preparo político e psicológico pro cargo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *