Polícia Federal vai investigar relações entre PT e Banco Schahin

Bumlai se enrola e Lula vai junto

Mario Cesar Carvalho
Folha

A Polícia Federal pediu ao juiz federal Sergio Moro, que atua nos processos da Operação Lava Jato, autorização para investigar as relações entre o PT e o Banco Schahin. O delegado Filipe Pace, que assina o pedido, diz que o fato de o banco nunca ter cobrado um empréstimo de R$ 12 milhões, que teria beneficiado o partido, guarda semelhanças com o mensalão.

No escândalo do mensalão, os bancos Rural e BMG não cobravam empréstimos feitos pelo PT, segundo a decisão do Supremo Tribunal Federal. Salim Schahin, um dos donos do banco, afirmou em acordo de delação premiada que o empréstimo de R$ 12 milhões, feito em 2004, nunca foi pago. Em troca do perdão da dívida, segundo ele, a Petrobras deu a uma empresa do grupo Schahin um contrato de R$ 1,6 bilhão.

Outro personagem da história, o pecuarista José Carlos Bumlai, que tomou o valor emprestado, confirmou a fraude e afirmou em uma confissão que os R$ 12 milhões foram para o caixa dois do PT. Ele fez a confissão em busca de uma pena menor.

O pecuarista diz que a ideia do empréstimo partiu do banco e que aceitou fazer a operação depois de um pedido do então presidente da instituição financeira, Sandro Tordin.

FATOS OBSCUROS

O delegado diz no pedido que há uma série de fatos obscuros que devem ser apurados. Segundo a delação de Salim Schahin, o empréstimo foi acertado na sede do banco, com a presença de Delúbio Soares, que era tesoureiro do PT em 2004, e do publicitário Marcos Valério, que foi condenado a 40 anos de prisão em 2012 por ter sido considerado um dos mentores do mensalão.

“A presença de Marcos Valério e Delúbio Soares, associada à existência de empréstimos duvidosos concedidos pelo Banco Schahin a pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores, guarda inequívoca semelhança com as práticas criminosas identificadas no escândalo [do] mensalão”, escreve o delegado no pedido.

Outro fato suspeito na visão do delegado é a cobrança feita em 2008 não dos R$ 12 milhões emprestados quatro anos antes, mas de R$ 56 milhões.

Outro delator da Operação Lava Jato, Eduardo Vaz Musa, que foi gerente da Petrobras, disse que ouviu de Sergio Gabrielli, ex-presidente da estatal, que o PT tinha uma dívida de campanha de R$ 60 milhões e que o valor seria pago pelo Schahin em troca de um contrato com a Petrobras para operação de sondas de prospecção de petróleo.

Uma empresa do grupo Schahin ganhou em 2008 um contrato de R$ 1,6 bilhão para fornecer e operar um navio-sonda chamado Vitoria 10.000.

DELAÇÃO EM DÚVIDA

De acordo com o delegado, a cobrança de R$ 56 milhões pelo banco em 2008 e a afirmação de Musa colocam em dúvida a própria delação de Salim Schahin. Para o policial, a cobrança de R$ 56 milhões “é fato novo e que merece ser devidamente apurado”.

O delegado aponta ainda que há indícios de que o Banco Schahin fez um empréstimo de R$ 10,3 milhões que nunca foi pago e tinha como avalistas os produtores de vídeo Giovani Favieri e Armando Peralta Barbosa, que atuaram em campanhas do PT.

Em entrevista à Folha, Favieri confirmou que recebeu recursos de caixa dois de campanha que fez em 2004 em Campinas para o candidato a prefeito Dr. Hélio (PDT), que tinha o apoio do PT.

Em sua confissão, Bumlai diz que metade dos R$ 12 milhões foi para o PT em Campinas e os outros R$ 6 milhões para o diretório do partido em Santo André.

O delegado pede também para desarquivar uma apuração sobre o ex-presidente do banco, Sandro Tordin, por considerar que ele pode ter cometido irregularidades na concessão do empréstimo. Os procuradores da Lava Jato trataram Tordin como testemunha, não suspeito, e defenderam que a apuração sobre ele fosse arquivada porque ele saiu do banco antes de o empréstimo ter sido quitado de maneira fraudulenta.

8 thoughts on “Polícia Federal vai investigar relações entre PT e Banco Schahin

  1. Falando-se em LAVA-JATO (para amenizarmos um pouco nossas frustrações), chegou nessa sexta-feira ao montante de 77,4% o número de assinaturas necessárias para que o “Congresso” seja obrigado a implantara a lei que contemple as “10 Medidas Contra a Corrupção” que foram definidas pela equipe do MPF que está atuando na operação Lava Jato em Curitiba!

    Pelo “andar da carruagem” das assinaturas cadastradas nessa petição durante as duas últimas semanas (cerca de 136.000/semana), e do volume total ter atingido 1.103.000 nessa sexta-feira, a manter-se esse ritmo, a proposta conseguirá emplacar o quantitativo de 1.462.026 assinaturas necessárias para transformar as medidas em lei (1% dos eleitores válidos nas últimas eleições), ao final da primeira semana de 2016!

    Isso, por si só, deve ser motivo para comemorarmos a entrada de 2016 com enorme bem-aventurança! Acredito que, se nenhum percalço ocorrer na sua implantação, que a partir dessa lei, uma nova trajetória de futuro poderá ser traçada para o nosso país!

    Aos interessados, segue o link do movimento do MPF para consulta e acompanhamento:
    http://www.combateacorrupcao.mpf.mp.br/10-medidas

    • Zaratustra, o projeto de lei vai, compreensivelmente, encontrar enorme resistência no Congresso… Vão arranjar toda a sorte de justificativas para não aprová-lo do jeito em que está.
      Mas vejo um problema real no segundo ítem (teste de integridade); no meu entender, vai contra o artigo 286 do Código Penal, podendo ser classificado como “incitação ao crime”. O órgão administrativo ou policial que executá-lo estará induzindo o agente público alvo do teste a cometer um crime, sendo irrelevante o argumento de que se ele for honesto não o cometerá.
      Gostaria de poder contar com a opinião sempre esclarecedora do nosso comentarista Jorge Béja a respeito deste ítem (e, é claro, dos outros também).

  2. Uma questão que causa cada vez mais espanto e indignação, é a contínua revelação através de todas as delações premiadas que se tem notícia até o momento, apontarem que o PT ou seus dirigentes e partidários, encontram-se sempre mencionados “na linha de beneficiamento” das corrupções delatadas!

    Mesmo assim, com todas e tantas evidências e prisões comprovadas dessa massa de delinquentes institucionais, que formaram essa organização criminosa, pertencerem ESSENCIALMENTE a esse MESMO PARTIDO, não tenha ainda sequer sido cogitada a cassação da sua legenda!!!!!!!!!!!!

    O que estaria faltando para, legitimamente, se dar início à cassação desse partido composto um bando de criminosos?

  3. “Abre a rodinha meu amor, abre a rodinha…”, como já cantou Sara Jane, me parece a melhor saída. A patota partidária, fiel a Dilma, há muito, revelou-se insuficiente para a virada histórica espetacular que se faz necessária. Urge agregar várias lideranças de diversas colorações e siglas, e, sobretudo, incluir o conjunto da população como protagonista-mor da nova situação. Nesse sentido, petistas terão que engolir tucanos e tucanos terão que engolir petistas, à moda gente civilizada é o que sois e não animais irracionais, até porque, não obstante tudo, esses dois segmentos, entre outros, ainda tem bons e imprescindíveis quadros a serem aproveitados a bem de uma nova construção política ancorada no idealismo e não mais no fisiologismo que levou o Brasil e a política brasileira ao fundo do poço. Portanto, Tia Dilma tem que decidir como quer terminar o seu segundo mandato de presidente. De três uma: ou termina e passa para a historia como a Mulher que teve a Coragem que todos os seus antecessores não tiveram, agindo no sentido das mudanças de verdade: sérias, estruturais e profundas, desejadas por cerca de 70% da população, ou se termina como aquela mulher que como seus antecessores não teve coragem para arredar pé do velho continuísmo da mesmice das velhas heranças malditas e que, até por isso, acabou entregando o poder para quem tem coragem suficiente para fazer o que tem que ser feito, ou então, na pior das hipóteses, aquela que entregou o poder para o retrocesso ? E a hora da decisão é agora. Portanto, face a esse contexto imposto pela realidade, a que viria Ciro, o valoroso e estrepitoso, nessa função , agora, a esta altura do campeonato, para somar forças ou para afugentar, dividir e enfraquecer ainda mais ? Viria para ser apenas o Serra do Temer, ou o FHC do Itamar, e assim, à base do oportunismo, como querem uns e outros, apenas tentar tomar a vez do Lula outra vez, valendo-se da obra a ser construida por todos ? Sinto informar-lhes mas se for essa a emenda não melhorará em nada o soneto, digo, não resolveremos o impasse histórico, nacional e internacional, nem pela situação e muito menos pela oposição, sendo certo que cada uma de por si , e à base do “quanto pior, melhor”, jamais chegarão a lugar novo algum, porque o momento é , isto sim, da Mega-Solução, que precisa de todos juntos, unidos, situação e oposição, e, sobretudo, à moda mãos à obra pelo sucesso pleno da nação, tendo em vista o sucesso pleno do bem comum da população. Até porque, agora, de fato “não dá mais para esperar”. Chegou a hora da Mega-Solução, digo, do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, que necessita da ajuda da situação e da oposição, o qual, com certeza, pacificará toda a nação, a população, os poderes, a mídia, o mercado, o comércio e a produção, à moda todos juntos pelo sucesso do nosso Brasilzão, sendo esse o melhor presente de Natal que podemos dar ao Brasil e, sobretudo, ao povo brasileiro, a nosso ver. Nenhum de nós, sozinho, conseguirá ser tão bom e tão eficaz para o sucesso pleno do bem comum quanto todos nós juntos operando nessa sintonia, com satisfação, garra, cabeça, corpo e coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *