Por causa das “putarias”, cúmplice de Cabral terá sua pena agravada

Gravação complica a situação de Sérgio Côrtes

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

A força-tarefa da Operação Lava Jato, no Rio, capturou conversa entre Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde do Governo Sérgio Cabral, e o empresário Miguel Iskin, na qual os investigados teriam acertado versões a serem apresentadas ao Ministério Público Federal. Sérgio Côrtes e Miguel Iskin foram presos na Operação Fatura Exposta, desdobramento da Lava Jato, e denunciados por obstrução de Justiça. Na acusação contra o ex-secretário de Cabral e o empresário, a força-tarefa destacou uma mensagem mandada por Côrtes para Iskin “Meu chapa, você pode tentar negociar uma coisa ligada à campanha. Pode salvar seu negócio. Podemos passar pouco tempo na cadeia… Mas nossas putarias têm que continuar”.

Côrtes, Iskin e o administrador Sérgio Vianna Júnior são acusados pela força-tarefa Operação Lava Jato de articulação para influenciar no acordo de colaboração premiada firmado pelo ex-subsecretário executivo da Saúde César Romero.

OBSTRUÇÃO À JUSTIÇA – De acordo com a denúncia, usando Vianna como intermediário, o ex-secretário de saúde e o empresário agiram de forma conjunta para constranger Romero a alterar o conteúdo de sua delação, que se encontrava ainda em fase de negociação com o MPF, oferecendo inclusive dinheiro a ele.

Os acusados tentavam combinar entre si versões a serem apresentadas, buscando dificultar as apurações dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro praticados no Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into) e na Secretaria Estadual de Saúde do Rio.

Durante o período em que negociava os termos de sua colaboração, César Romero foi procurado mais de uma vez pelos acusados, segundo atestam gravações feitas por ele e por registros do circuito fechado de TV de seu escritório.

DENÚNCIA DO MPF – “A preocupação entre os denunciados em estancar as investigações ou pelo menos impedir que chegassem com força às suas condutas era evidente”, defende a denúncia apresentada pelo MPF à 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

A Operação Fatura Exposta investiga as ramificações da organização criminosa chefiada por Sérgio Cabral na área da saúde. Atualmente, além de Sérgio Côrtes, Miguel Iskin e seu sócio Gustavo Estellita estão presos preventivamente suspeitos de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Segundo as apurações, eles teriam comandado um cartel de distribuidoras e fornecedoras de serviços, fraudando licitações do Estado.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Por causa dessa tentativa de passar pouco tempo na cadeia e continuar as “putarias”, Sérgio Côrtes vai ganhar mais alguns anos na condenação, por obstruir a Justiça. Pensou que era malandro, mas na verdade é mais otário do que os outros. (C.N.)

5 thoughts on “Por causa das “putarias”, cúmplice de Cabral terá sua pena agravada

  1. PSOL-PSTU-REDE PRA FRENTE, LEÃO PRESIDENTE. À LUTA (Legião Unida de Trabalhadores Amigos), Companheiros e Companheiras, pra cima delle$, chega dos me$mo$, fora todo$, a nossa missão é divina e hercúlea, vamos ter que rolar pra fora do poder, à moda besouro, o monte de bosta que lá está acumulada há 127 anos, debitada na conta da república 171 do velho continuísmo da mesmice do velho $istema político podre, com prazo de validade vencido há muito tempo, enterrar o velho dito cujo que já morreu e colocar em seu lugar o novo de verdade que urge estabelecer-se, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME. https://www.youtube.com/watch?v=HfUf5IawJ30

    • Putaria está essa justiça brasileira.

      As instituições tem que funcionar !

      O MPF pediu a prisão da Claudia Cruz mês passado e até agora nada !!!

      Por que Moro ainda não prendeu a mulher do Cunha ?!?!

  2. Este sujeito pelo palavriado dele, é um verdadeiro bandido, tem que ser julgado e preso por muito tempo, espero que o MPF seja rigoroso, estava na turma do guardanapo na cabeça, a justiça tem que ser dura e confiscar tudo que tem, fazer o cara trabalhar, deve ter muito dinheiro escondido desta cambada, não acredito que entregaram tudo, não são idiotas de dizer que entregaram tudo, é dinheiro do povo do Rio de Janeiro e da pobre Petrobrás que foi saqueada covardimente pela turma do PT, PMDB,PSDB e outros.

  3. Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde do Governo Sérgio Cabral… Pelo amor do santo guarda, esse cara não tem classe para ser secretário de prostíbulo. Façam alguma coisa para limpar a nossa honra, acabem com esses troços fedorentos em nossa sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *