Por que a China também não fez uma perestroika?

Welinton Naveira e Silva

Perestroika significa reconstrução. Visava a reestruturação da antiga União Soviética, liderada por Mickhail Gorbachev (a serviço da CIA) em 1985, aparentemente objetivando reformas, mas na verdade tratou-se da súbita abertura da economia pró-socialista da ex-URSS ao capital externo, sem qualquer planejamento, sem cuidados e sem critérios nacionalistas, destroçando em pouco tempo todo o antigo sistema russo industrial, científico, tecnológico e militar, construídos a custas de gigantesco sacrifícios de seu povo e décadas de muito trabalho.

 Gorbachev e Reagan, grandes amigos

Em meio ao caos implantado, milhares de pessoas perderam seus empregos, instalou-se a fome, surgiram as máfias junto com a prostituição e o tráfico de drogas, em meio a uma incontida corrupção, notadamente, nas privatizações de bilionárias e estratégicas empresas estatais russas, vendidas a preço de banana ao capital externo. Inclusive, tomaram o cuidado de instalar no poder um bêbado, o ex-presidente Boris Yeltsin. Sucesso total dos EUA e da CIA.

Como não poderia deixar de ser, a perestroika foi um fracasso geral para a Rússia e para seu povo. E o país só conseguiu se erguer, graças as suas fantásticas reservas de combustíveis fósseis e aos altos preços mundiais a que chegaram. Graças também, é claro, a seu formidável nível tecnológico e científico, construídos na ex-URSS e não destruídos pela mortal arapuca da CIA. Não fosse a existência desse formidável binário de forças, tecnologia x combustível, a Rússia de hoje estaria no atraso da África. Sem as menor dúvida.

OS PROTESTOS NA CHINA

Os protestos na Praça da Paz Celestial, em Pequim, em 1989, aparentemente conduzidos por intelectuais e estudantes chineses descontentes com a política do governo, foram exemplarmente reprimidos pela força. Claro. Afinal, a China não é idiota. Já tinha visto tudo de camarote – todo o desmantelamento da ex-URSS. Caso os chineses tivessem caído em semelhante embuste, por certo que não existiria a poderosa China de hoje. Dessa vez, os EUA amargaram imensa derrota.

O BLOQUEIO DE CUBA

O covarde embargo comercial e financeiro de Cuba, imposto pelos EUA em 1962, causou siderais e irreparáveis danos a toda a economia cubana e ao seu povo durante todos esses anos. Apesar de alguma abertura recentemente conquistada nos últimos anos, o criminoso embargo continua em vigor até aos dias de hoje, para a alegria e satisfação dos EUA. Tivesse o Brasil sido submetido a semelhante bloqueio econômico e financeiro, por certo que nosso país seria uma imensa favela, de norte a sul.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *