Por que votei em Trump em 2016 e votarei nele de novo, em repúdio ao New York Times

No ano de Trump, as melhores caretas do futuro presidente dos EUA | VEJA

Trump está enfrentando a grande mídia dos Estados Unidos

Michael Goodwin
New York Post

Em março de 2016, escrevi que provavelmente apoiaria Donald Trump porque ele era o único candidato presidencial falando pelos americanos da classe trabalhadora. Também vi o desprezo por Trump pela mídia e pela elite de ambos os partidos como um desprezo por seus partidários também.

À medida que a campanha avançava, esse desprezo se tornou uma forma aceitável de fanatismo, conforme refletido na “cesta de deploráveis” de Hillary Clinton em um evento para arrecadação de fundos.

MINHA ESPERANÇA – No dia da eleição, coloquei de lado as preocupações sobre se Trump estava pronto e votei nele. Minha esperança era que um número suficiente de pessoas concordasse que a nação precisava desesperadamente de uma correção de curso sobre políticas e liderança, e que Trump, apesar de sua formação e falta de experiência, poderia estar à altura da ocasião .

Quatro anos depois, tudo mudou, nem tudo para melhor. Trump abalou Washington até o âmago e refez o Partido Republicano , mas as falhas do país fazem com que as divisões de quatro anos atrás pareçam quase estranhas.

Uma coisa que não mudará é meu voto. Na verdade, a escolha de 2020 é muito mais fácil. Existem duas razões principais pelas quais estou persistindo com Trump.

OS MOTIVOS – Um é por causa do que ele fez e o outro é por causa do que seus oponentes fizeram para sabotá-lo e derrubá-lo. Primeiro, o principal parâmetro de um presidente é se ele produz paz e prosperidade. Trump alcançou ambos até que a pandemia colocou a economia em recessão. Felizmente, a recuperação está acontecendo e uma vacina deve fornecer combustível para foguetes .

A característica mais admirável de Trump é que ele cumpriu suas promessas importantes. Isso é notável apenas porque os eleitores por muito tempo toleraram políticos que vendem uma coisa e entregam outra. Apesar de todas as suas falhas, o presidente cumpriu amplamente o que prometeu.

Desde o início, ele foi um presidente de empregos e sua política beneficiou trabalhadores de todas as raças e níveis de renda. Seu compromisso inflexível com a criação de empregos foi ilustrado no debate da semana passada , onde fortes contrastes com Joe Biden se concentraram na promessa do democrata de aumentar os impostos e “abandonar” o petróleo e o gás. Trump chamou corretamente os dois assassinos de empregos.

COISAS IMPORTANTES – Cortar impostos e regulamentações, controlar a imigração , apoiar a escolha de escolas e nomear juízes conservadores e juízes da Suprema Corte são outras coisas importantes que Trump disse que faria, e fez. Biden faria o oposto.

Na política externa, ele cumpriu sua palavra de encerrar as guerras mais longas e manter os Estados Unidos fora de novas guerras, ao mesmo tempo em que fortalecia os militares. Ele está estabelecendo uma paz histórica entre Israel e os países árabes, enquanto deixa claro ao Irã que deve desistir de suas ambições nucleares e terroristas ou cair de joelhos .

É verdade que alguns aliados europeus se sentem negligenciados, mas também é verdade que eles desprezaram a agenda de Trump para a América em Primeiro Lugar. Embora eles preferissem as viagens de desculpas e o internacionalismo brando de Barack Obama, eles concordaram com a exigência de Trump de pagar mais pela Otan.

CONFRONTO COM A CHINA – A iniciativa de Trump mais importante e difícil é seu confronto com a China sobre acordos comerciais desequilibrados e sua agressão regional. Nenhum outro presidente sequer tentou isso. Enquanto o progresso real está sendo feito, uma longa luta será necessária para reverter as três décadas em que a China usou subterfúgios e roubos para construir sua economia, muitas vezes às custas dos empregos americanos .

Muitos eleitores acreditam que o presidente não estava focado o suficiente no coronavírus, uma crença cimentada por alguns quando ele e a primeira-dama foram infectados .

Esses eleitores têm razão – até certo ponto. O vírus era um fenômeno que acontecia uma vez em um século e, apesar das apresentações erráticas e comentários estranhos, Trump comandou uma enorme mobilização de recursos do governo e da indústria e os distribuiu imediatamente aos estados. O rápido progresso no desenvolvimento de vacinas não tem precedentes.

CULPA DOS GOVERNADORES – Qualquer cartão de pontuação honesto também deve incluir as disparidades no desempenho dos estados, com governadores em Nova York , Nova Jersey e outros lugares emitindo ordens fatalmente erradas que levaram a milhares de mortes desnecessárias em asilos.

Além disso, os estados democratas que permanecem sob restrições rígidas têm taxas de desemprego quase duas vezes maiores do que os estados onde os governadores republicanos agiram mais rapidamente para reabrir escolas e empresas.

Apesar dos sucessos de Trump, ou por causa deles, as muitas forças que se opõem a ele em 2016 se recusaram a aceitar sua presidência. Eles fizeram tudo que podiam para acabar com isso, e esse desafio além do pálido é a segunda razão pela qual vou votar nele. O outro lado não deve ser recompensado por seus esforços para sabotar e destituir um presidente devidamente eleito.

RELAÇÕES COM  RÚSSIA – Rússia, Rússia, Rússia foi um golpe que arruinou vidas e colocou uma nuvem sobre a Casa Branca por quase três anos. A sequência foi o impeachment partidário, uma tentativa de golpe desajeitada orquestrada pela porta-voz Nancy Pelosi e os odiadores de Trump no Congresso, no estado profundo e na mídia.

O preconceito da imprensa em 2016 se transformou em partidarismo completo diariamente na mídia impressa, digital e de transmissão. Facebook , Twitter e outras plataformas usam abertamente seu poder para censurar notícias e opiniões pró-Trump, enquanto promovem qualquer coisa que faça o presidente ficar mal.

Não são os algoritmos; são as pessoas por trás deles. A decisão deles de bloquear os relatórios inovadores do The Post sobre os negócios de Hunter Biden e o envolvimento de Joe Biden deve assustar qualquer um que preze a Primeira Emenda. Para os censores, o pesadelo de Orwell é o sonho deles.

FRENESI ANTITRUMP – Toda justiça foi abandonada em um frenesi para destruir Trump e tudo que ele representa. Essa guerra cultural também se estende para trás.

A destruição de obras de arte que celebram Cristóvão Colombo , George Washington , Abraham Lincoln e abolicionistas preto e branco revela a determinação de apagar os ideais fundadores da América e substituir a liberdade individual por socialismo e política de identidade .

A mídia prometeu fazer melhor após a vitória de Trump em 2016 – em vez disso, piorou. O Projeto 1619 , cheio de erros, do New York Times , apesar do repúdio dos historiadores , está sendo adotado por muitas escolas. Biden, na vida pública por quase 50 anos, alinha-se com a ala radical de seu partido ao insistir que o “racismo sistêmico” mancha a nação, especialmente a polícia .

VIOLÊNCIA POLÍTICA –  Enquanto isso, a disseminação da violência política e a recusa de muitos na esquerda em condenar a Antifa e aqueles que queimam e saqueiam encoraja uma nova classe criminosa de anarquistas.

Vergonhosamente, democratas, o Times, The Washington Post, CNN e redes de transmissão defendem a injustificada operação de espionagem de 2016 contra Trump liderada por Jim Comey no FBI e aprovada pela Casa Branca de Obama-Biden . Embora os principais líderes da famosa agência tenham sido removidos em desgraça, apenas um agente foi acusado de um crime relacionado ao mais sujo truque político da história.

O endosso ultrajante pela mídia da corrupção da aplicação da lei e inteligência para fins partidários é razão suficiente para votar em Trump.

EFEITO CASCATA – Acredito que grande parte da discórdia nacional pode ser atribuída à decisão do Times de se tornar uma folha de propaganda ativista para derrotar Trump. O mais poderoso influenciador do país, tem um efeito cascata em quase todas as instituições de mídia.

Se a Dama Cinzenta (apelido do NYT) voltasse a ser uma fonte confiável de notícias, outros o seguiriam e o país poderia retornar a debates mais civilizados sobre nossas diferenças.

Portanto, a eleição não é apenas Trump vs. Biden. É também América vs. The New York Times.

 

Vote na América.

18 thoughts on “Por que votei em Trump em 2016 e votarei nele de novo, em repúdio ao New York Times

  1. Para quem tem um mínimo de acuidade política-governamental,Michel Goodwin,dá uma aula de sociologia no seu correto,honesto e realista artigo.

    PS-Somente os ingênuos não percebem que há uma diferença abismal entre Trump e Biden (leia-se socialismo).

    PS2-O que está em jogo na eleição americana,é
    o progresso (Trump) ou a destruição dos EUA por (Biden-partido “democrata” (socialista) e a consolidação da insana e satânica Nova Ordem Mundial (governo único ditatorial e totalitário mundial-leia-se China).

    PS3-A grande imprensa e mídia em geral,MENTE
    de forma criminosa sobre a verdadeira realidade
    da campanha eleitoral americana.

    Vejam a diferença entre a de Trump,que por onde vai é aclamado por multidões,quando a de Biden,
    que fica escondido no porão e quando sai,faz comício para meia dúzia de partidários.

    PS4-A vitória de Trump (importantíssima para os EUA e ao mundo) será o resultado final.
    Quem viver verá!

  2. Eleições nos EUA: quem está por trás do escândalo sexual de Hunter Biden?

    Uma reportagem do New York Post que mostra supostas negociações corruptas da família Biden causou repercussão entre o público norte-americano quase duas semanas antes da votação de novembro.

    O conteúdo do texto é baseado em e-mails que teriam sido encontrados em um laptop abandonado de Hunter Biden, empresário e filho do ex-vice-presidente.

    O GTV Media Group, grupo cofundado pelo ex-conselheiro da Casa Branca, Steve Bannon, está revelando um novo conteúdo supostamente copiado do disco rígido de Hunter Biden que mostram imagens pornográficas de uma pessoa supostamente parecida com o empresário.

    https://br.sputniknews.com/americas/2020102816288167-eleicoes-nos-eua-quem-esta-por-tras-do-escandalo-sexual-de-hunter-biden/

  3. Para os empregos que exigem menos qualificação, Trump realmente fez coisas boas, embora não conseguisse aumentar a renda dos trabalhadores. Foi um nacionalista, colocando em prática uma agenda antiglobalização, por exemplo elevando tarifas de importação.

    Seu governo também protegeu as camadas mais ricas.

    Porém, ao querer revisar o plano de saúde que beneficia as camadas mais baixas, o Obamacare, demonstra que os benefícios sociais não são sua predileção.

    A pandemia demonstrou o quão fraca é a proteção social nos EUA. Os que perderam os empregos sofrem muito.

    Portanto, a opinião do colunista do NY Post, rival do NY Times, exprime bastante o pensamento republicano e o liberalismo.

    Os EUA também aumentaram em muito o seu deficit e isso pode não ser sustentável em longo tempo.

    Então veremos o que vai pesar mais, se os prós ou contras, nas eleições próximas.

  4. “OS MOTIVOS – Um é por causa do que ele fez e o outro é por causa do que seus oponentes fizeram para sabotá-lo e derrubá-lo”.

    E eles não têm “Centrão” !!!

    Like a rolling stone.

  5. A sorte já está lançada: queira o seu Michael Goodwin ou não, Biden será o novo presidente.
    1. Trump tentou extorquir a Ucrânia em busca de acusações contra o Biden – falhou e foi impeached;
    2. Trump se envolveu com duas mulheres pornô e utilizou dinheiro de campanha para um cala boca (150 mil cada).
    3. Trump não tem respeito pelas mullheres (é até chamado de pussy graber);
    4.Trump desmoraliza gratuitamente os adversários e respectivas famílias;
    5. Trump chamou os heróis americanos mortos em combate de suckers e loosers;
    6. Trump desprezou a aliança com os europeus (OTAN);
    7. Trump é mentiroso patológico;
    8. Trump é unfitted para o cargo que ocupa.
    E tem mais!

  6. Duas péssimas opções para os EEUU.
    Trump é um Jonh Wayne louco e muito piorado.
    Um cowboy obstinado.
    Biden já morreu…
    Só falta enterrar.
    Um lunático que jamais se ajustaria à liturgia de um cargo de tamanha envergadura.
    Muito fraco de idéias e ideais…
    Não me lembro de ter visto nas eleições americanas candidatos tão medíocres e despreparados.
    Se pudessem, elegeriam o Obama novamente…
    Este sim, uma grande personalidade…
    Um exemplo de como se governa um País, como os EEUU.

  7. Monroe, há algum tempo: “A América para os americanos”. So, f@#k them !

    Cá pra nós: se Trump e Bolsonaro fossem inimigos, a macacada torceria por Trump. Como disse antes, é problema deles, que se danem.

    A intromissão em negócios alheios faz as pessoas esquecerem de que, se faltar algo vital para os EUA e se isso existir no Brasil em enorme quantidade, eles invadiriam militarmente nosso país, qualquer que fosse o partido no poder e levariam na marra, se não cedêssemos.

  8. Trump ou Biden! Praticamente tanto faz, o resultado principal se aproxima a cada dia e é o inevitável declinio dos EUA como uma unica superpotencia!

    De um ponto de vista de um brasileiro e ocidental, sinceramente não sei dizer se isso é bom ou é ruim! Fica naquela classica resposta: depende!

    O ideal é que a queda do poderio americano significasse um aumento de um multilaterismo cooperativo. Mas infelizmente isso não é muito provável, dependeria muito mais de uma atitude dos EUA concordando com isso. Com Trump isso não parece provável, com Biden é uma incógnita , dependeria muito mais do complexo industrial militar aceitar, mas isso é altamente improvável.
    Cresceria então a possibilidade de confrontos, principalmente EUA x China. Com certeza seria um novo periodo de guerra fria, com a diferença de que hoje é mais provável que o Ocidente dependa mais da China do que o inverso. Na guerra fria EUA x URSS o Ocidente não dependia em nada da URSS o inverso é que era verdadeiro. Outra hipotese que não seja a cooperação ou uma nova guerra fria é impensável, seria a guerra quente, muito quente de milhares de graus celsius(o inferno na terra), a guerra nuclear, com certeza a destruição da vida humana e de mihares de outras vidas(Só sobrariam os ratos, as baratas, os vermes e os virus)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *