Presente de Natal! Angola antecipa pagamentos e liquida seus empréstimos com o BNDES

Resultado de imagem para bndes charges"

Charge do Iotti (Zero Hora)

Alexandro Martello
G1 — Brasília

O Ministério da Economia informou nesta sexta-feira (6) que a República de Angola antecipou nesta semana a quitação de todos os contratos de financiamento vigentes com o Tesouro Nacional e com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). De acordo com nota divulgada pelo ministério, foram pagos US$ 589 milhões em valores que poderiam ser quitados até 2024.

O governo informou que, entre 2005 e 2017, Brasil e Angola firmaram seis memorandos de entendimento para ampliar o montante de financiamentos às exportações brasileiras por meio do uso de contra-garantias em conta-petróleo abastecidas pelo governo angolano.

LINHA FINAME – O BNDES financiou 84 operações no país africano que somaram US$ 4,4 bilhões, por meio de linha de crédito Finame, em financiamentos garantidos pela União, por meio do Seguro de Crédito à Exportação. O Tesouro Nacional direcionou recursos da linha Proex-Financiamento (que tem o Banco do Brasil como agente financeiro) para um total de 37 operações em Angola.

Em outubro, a ex-presidente Dilma Rousseff negou ter conhecimento de que o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha atuado para favorecer a liberação de uma linha de crédito que teria beneficiado a empreiteira Odebrecht em Angola.

Dilma prestou depoimento como testemunha de defesa em ação na qual são réus Lula, os ex-ministros Paulo Bernardo e Antônio Palocci e o empresário Marcelo Odebrecht. Eles foram acusados pelo Ministério Público de receber propina da construtora Odebrecht em troca de favores políticos.

PROPINA – Segundo a acusação, em 2010 a empreiteira prometeu a Lula R$ 64 milhões para ser favorecida em decisões do governo. De acordo com o Ministério Público Federal, o dinheiro teria sido colocado à disposição do PT.

A denúncia do Ministério Público afirma que uma das contrapartidas solicitadas pela Odebrecht seria interferência política a fim de elevar para US$ 1 bilhão um empréstimo concedido a Angola pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Durante o depoimento, a ex-presidente Dilma também criticou uma suposta tentativa de criminalizar empréstimos do Brasil a outras nações. “Eu acho um absurdo tentar criminalizar os processos de empréstimos do país para outras nações, como eu já vi e sofri. Eu não concordo com isso. Sobre o que eu li da denúncia, eu não concordo com o fato de achar que emprestar dinheiro a um país como Angola comprar do Brasil tenha algo de indevido.”, declarou ela na ocasião.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Foi uma surpresa, não há dúvida, um grande presente de Natal para o BNDES. Mas falta receber o que foi emprestado a outros países, como Venezuela e Cuba, que estão inadimplentes. Ao contrário do que aconteceu com Angola, cujos empréstimos tinham garantia real, nos casos da Venezuela e de Cuba, a garantia foi dada pelo próprio governo brasileiro, através do Tesouro Nacional. Vai ser difícil receber… (C.N.)

7 thoughts on “Presente de Natal! Angola antecipa pagamentos e liquida seus empréstimos com o BNDES

  1. Neste país e no mundo só quem paga empréstimos são os pobres.
    Desafio todas as mídias fazer um levantamento dos “descontos” de 90% dos bancos/serasa, a quem eles estão dando este descontos. É uma falácia. Façam o levantamentos. Juntes os dados para produzir informações. Você vai na CEF (Gerdel-51), eles fazem uma proposta de dividir em 96 parcelas. Uma dívida de R$ 10.000,00 fica em 96 de $ tanto. Você vai pagar no final R$ 98.000,00. Vão para a PQP.

  2. A Dilma ainda insiste que os empréstimos a outros países foi um grande negócio para nós – ela acha absurdo criminalizar a bandaleira de que participou. Absurdo é ela ainda estar livre e com motorista e assessor.

  3. Humm. A imprensa deveria clarear esse assunto. Não há empréstimos diretos para para países.
    Há financiamento de exportações de serviços e equipamentos nacionais para os países.
    Países inadimplentes:

    Moçambique – 184 milhões dólares (muito difícil de receber)
    Cuna – 561 milhões de dólares (de difícil recebimento.Só se a economia cubana mudar´. Garantias duvidosas)
    Venezuela = 764 milhões de dólares.(só se a economia mudar com um novo governo para receber)

    Uma parte das prestações vencidas foi coberto pelo FGE que ainda tem saldo positivo de 1,3 bilhão de dólares (mas seu uso deve ser autorizado,pelo Congresso, já que o saldo vai para o tesouro nacional).

    Pessoalmente, sou favorável a esse incentivo às exportações de serviços e equipamentos (desde que com garantias sólidas). Gera receitas ao Brasil. .

    • Certíssimo, Vidal, a exportação de serviços gera receitas importantes. O problema é a falta de garantias. No caso de Cuba, a garantia é só o Fundo de Apoio às Exportações. Já era, como dizem hoje em dia.

      Abs.

      CN

  4. Se Angola está se mostrando um bom pagador, isso poderá ser levado em consideração em futuros financiamentos que poderão ser concedidos a eles. Já quanto Cuba e Venezuela, caloteiros, esses não deverão ver mais nenhum tostão furado, pelo menos se tiver um governo decente no comando do país. PT NUNCA MAIS! .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *