Presidente da CPI das Fake News diz que a verdade sobre as milícias digitais está próxima

Charge do Amarildo (amarildo.com.br)

Jorge Vasconcellos
Correio Braziliense

O presidente da CPI Mista das Fake News, senador Angelo Coronel (PSD-BA), comentou os rumores de que o presidente Jair Bolsonaro pretende com a troca de comando da Polícia Federal barrar as investigações sobre o envolvimento de um dos filhos, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), em crimes virtuais.

Segundo o parlamentar, “de nada adiantam as pressões contra as investigações do Congresso e da PF, porque a verdade sobre as milícias digitais está próxima”. Coronel acrescentou que os responsáveis pela divulgação de ataques e notícias falsas, bem como os patrocinadores, “serão devidamente punidos”.

PRESSÃO – A pressão de Bolsonaro para tirar Maurício Valeixo do comando da PF seria o motivo do desejo do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, de deixar o cargo. O ex-juiz é ligado ao delegado desde os tempos da Operação Lava-Jato e foi o responsável por trazê-lo para chefiar a corporação.

Para o senador Angelo Coronel, as interferências no trabalho da PF se juntam a outras pressões contra as investigações sobre os responsáveis pela difusão de notícias falsas. “O governo é contra, mas não vai conseguir frear as investigações da CPI, da Polícia Federal e de especialistas que têm o know-how no combate a esse tipo de crime”, frisou.

ATAQUES – “O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) tenta no Supremo (Tribunal Federal) impedir a prorrogação da nossa CPI, mas o ministro Gilmar Mendes acaba de indeferir o pedido. E, nos últimos dias, o Carlos Bolsonaro tem me atacado fortemente nas redes sociais. São pressões vindas da mesma fonte”, emendou o parlamentar.

Coronel comemorou o fato de o trabalho da CPI ter sido prorrogado por 180 dias. “Em breve, teremos novidades, pois já recebemos do Facebook e do WhatsApp os números dos IPs das máquinas de onde partem as fake news que depreciam os adversários do governo com notícias falsas. Isso não pode continuar”, acrescentou.

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), rompida com o presidente Bolsonaro desde que foi retirada da liderança do governo no Congresso, disse que as pressões sofridas pela PF estão também ligadas às investigações sobre o envolvimento do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) com um esquema de rachadinha quando era deputado estadual. Nessa prática, os funcionários devolvem parte dos salários ao parlamentar.

APROXIMAÇÃO – “Junte as pontas. @jairbolsonaro manda demitir Valeixo, escolhido por Moro depois que: 1- A PF chegou ao centro e aos financiadores das milícias digitais. 2- Bolsonaro negociou o governo com Bob Jefferson e Valdemar. 3 – a corda aperta o pescoço do filho Flávio no caso Queiroz”, tuitou a deputada, referindo-se também à recente aproximação de Bolsonaro com os ex-deputados Roberto Jefferson e Valdemar Costa Neto, presidentes, respectivamente, do PTB e do PL.

Já a deputada Bia Kicis (PSL-DF), aliada de Bolsonaro, contestou nesta quinta-feira, as notícias sobre a intenção de Moro de deixar o governo. “Não há nenhuma confirmação de que o ministro @SF_Moro tenha pedido demissão. Aliás, a informação que tenho é de que isso não ocorreu. Se houver mudanças no comando da PF, o que é possível, esperemos o Presidente @jairbolsonaro e @SF_Moro encontrem um nome de consenso!”, escreveu a parlamentar no Twitter.

O deputado Bibo Nunes (PSL-RS) também usou a rede social para defender o governo. “Moro fica! Mais uma tentativa frustrada dos urubus de plantão em desgastar Bolsonaro. Tudo armação fracassada. Chorem muito, urubus…”, tuitou.

8 thoughts on “Presidente da CPI das Fake News diz que a verdade sobre as milícias digitais está próxima

  1. A carreira do ministro no STF acabou. Bolsonaro fez revelações bombásticas e chocantes. A bola agora esta com o ex-ministro para desmentir o Presidente.

    E Bolsonaro não vai desistir. Quem quer que seja o próximo diretor da PF, o Presidente quer saber: Quem mandou matar Jair Bolsonaro?

    • Que revelações bombásticas?

      Que mandou desligar o aquecimento da piscina do Planalto?

      Que interferiu para beneficiar os taxistas? Muitos dizem que ele fez lobby para um amigo dele do ramo de táxis.

      Sai pra lá.

      Moro já respondeu ao bandido do “mito”:

      Disse que, se ele quisesse fazer barganha por sua nomeação ao STF ele aceitaria a exoneração do Valeixo. Vai ser burro lá na casa do garaio.

      Realmente. O Bolsonaro não deveria era desistir pra saber quem matou Marielle, já que tem gente que acha que ele e/ou seus filhos estão envolvidos.

      Deixa de ser lambe-saco.

      Vimos uma cena deprimente de ministros tendo que estar ao lado de um bandido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *