Presidente e lder do PT no querem depor a favor de Andr Vargas, o amigo do doleiro

Carolina Gonalves Agncia Brasil

Pela segunda vez, as oito testemunhas convidadas pelo Conselho de tica da Cmara, para prestar depoimento sobre o caso do deputado Andr Vargas (sem partido-PR), no compareceram a uma reunio do colegiado que apura o envolvimento do parlamentar com o doleiro Alberto Youssef.

O relator do processo contra Vargas, deputado Jlio Delgado (PSB-MG), decidiu que no ouvir mais o presidente do PT, Rui Falco, e o lder do partido, Vicentinho (PT-SP), que sequer responderam notificao entregue pelo Conselho.

Nos outros casos, em que as testemunhas apresentaram algum tipo de explicao, Delgado estabeleceu uma agenda de depoimentos que comearo a ser tomados na prxima semana.

Cndido Vaccarezza (PT-SP) ser o primeiro a ser inquirido na tarde da prxima tera-feira, 1 de julho. No dia seguinte, o colegiado ouvir os donos do laboratrio Labogen, Leonardo Meireles e Esdras Ferreira, suspeitos de ter conseguido contrato com o Ministrio da Sade, a partir de um pedido de Vargas.

O secretrio de Cincia e Tecnologia do Ministrio da Sade, Carlos Gadelha, suspeito de intermediar as negociaes, novamente, afirmou que no poderia comparecer. Isso fez com que a gente provocasse uma diligncia, requerendo ao Ministrio da Sade todas as audincias celebradas entre as empresas de agosto de 2013 at hoje, disse o relator.

Bernardo Tosto, proprietrio da aeronave usada por Vargas, e fretada pelo doleiro Alberto Youssef, disse que responderia as perguntas por escrito. Jlio Delgado espera receber as informaes na prxima semana.

A ltima testemunha indicada pelo conselho ser o doleiro. Youssef, que est preso em Curitiba, ter que ser ouvido em uma videoconferncia marcada para o incio da tarde do prximo dia 2 de julho.

Logo depois da oitiva de Youssef, que uma testemunha arrolada pela relatoria e pela defesa, vamos comear a ouvir as testemunhas da defesa convocadas para os dias 2 e 3 de julho, explicou.

Jlio Delgado voltou a afirmar que tentar cumprir os prazos e concluir o relatrio sobre o caso antes do incio do recesso parlamentar, marcado para o dia 17 de julho. Muitas vezes a ausncia significa que a pessoa no quer dizer, e no querendo, ela diz muita coisa, e ainda h manobras claramente protelatrias, afirmou Delgado.

Ele se referia a explicao do empresrio Luiz Veloso, do Paran, indicado por Vargas para testemunhar em sua defesa. Ele disse que s poder depor depois da Copa do Mundo. Deixou claro que por mais compromisso e agenda que tenha no h interesse de contribuir com os trabalhos do Conselho de tica.

2 thoughts on “Presidente e lder do PT no querem depor a favor de Andr Vargas, o amigo do doleiro

  1. BOBINHOS!

    Lula orientou Dilma, Ruy Falco e Narizinho a discutir abertamente sobre corrupo. Isto , Roubamos. Porem FHC roubou muito mais. Essa, ser a defesa de Dilma nos debates.

    FHC roubou muito mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.