Privatizar os Correios? Que tal experimentar o novo modelo do Reino Unido?

Resultado de imagem para hermes UK

A Hermes faz concorrência à estatal Royal Mail

André Cardoso

LONDRES – Aqui no Reino Unido, o serviço de correios (Royal Mail) vai de mal a pior. A concorrência, que faz um trabalho interessante e competitivo com couriers (entregadores) independentes chama-se Hermes Parcelnet Ltd, um supermodelo que vem funcionando e agradando como agente privado na entrega de mais de 260 milhões de encomendas a cada ano.

No Reino Unido, a Hermes já opera uma rede de mais de 15.000 couriers (entregadores independentes) e mais de 4.500 parcel shops (agências). A taxa de aprovação do serviço de entrega-padrão da Hermes está em 95%, considerando 260 milhões de entregas/ano, é um numero impressionante.

A EMPRESA Hermes em números: 1 escritório principal; 1 centro de contatos; 3 hubs (centros de logística); 26 depósitos; 500 depósitos secundários; mais de 15.000 entregadores independentes. Para atrair novos entregadores independentes, a empresa se apresenta com a seguinte mensagem:

““COURIERS AUTÔNOMOS HERMES.

Entregue pacotes em sua área local com a Hermes.

Ganhe um bom dinheiro, até RS 400,00 por dia trabalhando sua própria agenda (seu próprio calendário) desfrutando de um grande equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. Horas flexíveis.

Todos os nossos couriers têm acesso ao nosso programa de vantagens oferecendo descontos em combustível, cobertura de danos e muito mais.”

PRIVATIZAR? – Esse negócio de ficar dando o que o Brasil tem, entregando para os amigos do Meirelles, os patrocinadores do Doria, o chupa-cabras do Lula, os gringos do Temer etc. é a maior roubada de todas.

Privatizar? Bem, se vai privatizar, que privatize num modelo em que a empresa se torne de muitos, de todos, que enquanto do Estado nunca foi, e enquanto de um ou outro nunca será o que esperamos que seja…

27 thoughts on “Privatizar os Correios? Que tal experimentar o novo modelo do Reino Unido?

  1. O cidadão quer serviços a preços justos com alta eficiência.

    Se os CORREIOS no Brasil pertencerem ao russo, português ou indiano, não interessa, o importante é que funcione.

    Assim, privatizando a porcaria, acaba a roubalheira, cabide de empregos, ineficiência e politicagens.

    Uma encomenda Brasil – EUA, custa 6 vezes, EUA – Brasil.

    Sabiam que o falido CORREIOS, é isento de pagar impostos?

    PRIVATIZAÇÃO E LIVRE MERCADO JÁ!

  2. Nenhuma palavra sobre Roberto Ponciano ter sido intimado pela PF a prestar depoimento na Superintendência do Rio de Janeiro, no próximo dia 11 abril, após críticas ao juiz Sérgio Moro e Lava Jato? Qual acusação mesmo? supostamente cometer os crimes de injúria, ameaça e incitação ao crime, por teoricamente “atentar contra a vida” do juiz da Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, por meio de redes sociais?
    Para Roberto Ponciano, foi denunciado por crime de opinião. Nenhuma palavra? análise? ou vai fazer como a grande mídia, ignorar?

  3. E o mesmo vale para a PTroubrás, Viva, o petróleo é nosso, e o lixo do combustível, mais caro do mundo também.

    PRIVATIZAÇÃO DA PETROBRÁS JÁ!

  4. Piada do Milênio:

    A PETROBRAS, cuja atividade fim é ou deveria ser explorar petróleo, tem em sua acessoria de imprensa, em torno de 1250 jornalistas.

    Viva o petróleo é nosso, vamos agora tocar o hino nacional e chorar!

  5. Atendendo ao pedido formulado, e pela constatação que faltam condições e conhecimentos sobre a privatização dos Correios aos comentaristas acima, afirmo que sou contra, e modelos estrangeiros não serão a solução para os brasileiros.

    O Reino Unido (Inglaterra, Escócia, Pais de Gales e Irlanda do Norte) é trinta e cinco vezes menor que o território brasileiro.

    A logística britânica é uma, enquanto a do Brasil exige várias formas de se levar encomendas e correspondências à Região Amazônica, por exemplo, afora a nossa clara e injustificável dependência de rodovias e carência de aviões para esta finalidade.

    • J. Alenitnes,
      Ser contra ou a favor da privatização é apenas uma disputa de idéias. O governo administra muito mal as empresas públicas porque tem que gerar muitos cargos para os políticos parceiros. E político parceiro ou é uma anta ou um ladrão. Mas tudo bem., que se mantenha as empresas públicas mas que se responsabilize os diretores quando a empresa der prejuízo.
      Por outro lado, porque não criar uma concorrência. Que se abra o mercado para que outras empresas possam também fazer o serviço e que os capazes permaneçam no mercado. Agora, usar dinheiro dos impostos para manter um bando de vagabundos, não está correto.

      • Alguns serviços devem pertencer ao Estado, e Correios é um deles, na minha opinião.

        Não podemos privatizar com a ideia de que os diretores das estatais porque escolhidos pelo Executivo ou decididos pelo Legislativo como contribuição ao apoio político, que a corrupção impedirá o bom funcionamento daquela autarquia.

        A corrupção não pode sair vencedora em hipótese alguma.

        A solução deverá ser que as estatais, autarquias, empresas de economia mistas devem ter suas chefias promovidas pelo plano de carreira, funcionários concursados e antigos, que subiram de posições graças à sua capacidade profissional, e sem qualquer ingerência do partido naquele momento que está no poder.

        Os crimes cometidos contra a Petrobrás e nos Correios foram exatamente pela escolha de diretores que teriam com função roubar, e não administrar as empresas.

        As delações premiadas comprovam esta prática criminosa, e que deve ser extinta em definitivo.

  6. Quer dizer que a TI serve apenas para “brincadeiras”?

    E as opiniões sobre o tema?

    Não foi solicitado o que penso?

    E dos demais ou daquele que exigiu a minha posição, onde está o seu comentário?

  7. pesquisando:

    “A Hermes foi fundada em 1972 empresário Werner Otto, que criou a ideia de oferecer aos clientes da empresa Otto por correspondência um serviço de entrega melhor do que o correio alemão Deutsche Post.

    O Hermes Versand Service forneceu uma alternativa de logística ao monopólio estatal.

    Hoje mais de 10.500 pessoas em onze empresas em todo o mundo trabalham sob a marca Hermes e geram um faturamento de € 1,8 bilhões.

    Só na Alemanha, sete dos dez maiores sites de venda por correspondência confiam o transporte de mercadorias aos seus clientes finais para a Hermes.
    Na Europa, a empresa tornou-se agora o maior fornecedor de serviços de encomendas que efetua entregas a clientes finais privados.

    De um pequeno serviço de encomendas específico com um fundo comercial uma empresa verdadeiramente grande emergiu, tornando-se parte integrante da vida de rua moderna.
    Nos últimos quarenta anos, a Hermes assumiu o papel de um pórtico da moda, estabelecendo mais de 14.000 pontos de drop-off no setor de varejo alemão, que recebem e despacham pacotes para clientes de forma simples e conveniente.

    A expansão internacional da empresa seguiu e desenvolveu empresas nacionais na Áustria, Grã-Bretanha, Itália e Rússia . Hoje a Hermes é um serviço de encomendas para toda a Europa – tanto para empresas como para particulares.

  8. O bom da Hermes é o serviço.

    Quanto o Sedex cobra por um servico de coleta??
    Imagine se o Correio brasileiro pudesse oferecer fazer a coleta do item no seu local a uma taxa de menos de R$2,00 ?! A Hermes cobra 50 centavos por esse servico extra.

    E como consegue isso? Simples, o servico e prestado por um vizinho seu, morador local, que pode estar fazendo um extra trabalhando como courier. Os pontos de drop-off naon sao lojas especificas, mas bancas, lojas de conveniencia, qualquer ponto de venda com uma caixa registradora ou um scanner manual, e pequeno espaço para guardar as encomendas vira uma agencia de correios.

    A impressão de termos um serviço local funcionando com suporte logístico de primeira e preço competitivo faz toda diferença.

    ==========================

    Certa vez solicitei nos Correios que um caixa avançado dos correios com serviços do Banco do Brasil fosse instalado numa comunidade de 200 famílias na Mata Atlantica onde não recebiamos nem mesmo a conta de luz dos correios; queríamos integrar com a sociedade moderna, queríamos ter serviço de correio e exercer o privilegio de poder mercar como os cidadãos urbanos. Ate hoje nada…

    A resposta dos Correios:
    Somente quando a comunidade tiver o potencial de 5 mil habitantes, possíveis clientes, e que poderemos oferecer o serviço …
    Fizemos uma reunião na associação e os Correios ofereceram um mobiliário com 40 caixas postais, que instalamos atrás do posto de Saude, e temos somente serviço de carta e entrega de contas… Nada de Sedex, nada de poder fazer remessa… deplorável… Sobraram chaves das 40 caixinhas para distribuir. Nao era isso que esperávamos… e continuaremos esperando, até o modelo mudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *