Pronunciamentos de Temer estão reforçando as acusações contra ele

Charge do Kacio (kacio.art.br)

Silvia Zanolla

Assisti novamente ao último pronunciamento de Temer e cheguei à seguinte conclusão: quanto mais ele fala e se expõe, mais perde a credibilidade. Os argumentos, a postura, a fisionomia, nada ajuda. Parece que não é opinião única. Basta ler os comentários de quem assiste para perceber isso. Talvez ele ganhasse mais não se expondo neste momento. A população está totalmente avessa à sua imagem. Mas, como tenho dito, parece que Temer vive uma realidade paralela. Cercou-se de assessores suspeitos, que não realizam uma leitura concreta da realidade.

Soa um “dejá vu” do período final de Dilma Rousseff no poder, quando do desgaste máximo de sua imagem. Quem diria que o grande político e jurista Michel Temer terminaria sua carreira desta maneira.

ALÉM DOS “CORTES” – Quanto à gravação comprometedora, é preciso analisar amplamente a situação para além dos chamados “cortes” na gravação.

Perguntas que não querem calar:

1) Por que Temer, um presidente da República, receberia um empresário envolvido em investigações sobre desvio de dinheiro público de modo “clandestino” altas horas da noite?

2) Por que em nenhum momento da gravação Temer adverte Joesley acerca de seus atos arbitrários referentes à confissão da compra de políticos, ministros e promotores?

3) Por que Joesley iria se deslocar até o Palácio para contar “vantagens e lorotas” a um presidente da República – sendo bem recebido – se não tivesse alguma intenção vantajosa para ambos?

Estas e outras perguntas não foram respondidas nos dois pronunciamentos do presidente Temer. Temer sabe que não há alternativa que não seja a renúncia, para o bem do país, de sua família e dele mesmo.

25 thoughts on “Pronunciamentos de Temer estão reforçando as acusações contra ele

  1. Se não fosse ridículo seria digno do Tiririca (ele que me perdoe mas ele faz parte do folclore). Primeiro que a missivista cai no lugar comum e fala sobre aquilo que ela não conhece e que ouviu falar ouvindo a Globo. Mas vou responder as perguntas dela: Se o Temer soubesse que o empresário estava ou estaria envolvido em investigações pela PGR não o teria recebido. Nem ele, nem a Dilma e nem eu.
    A segunda pergunta então, é a mais ridícula de todas e tem sido repetida sistematicamente pela mídia petista. Se cada político brasileiro fosse advertir alguém por atos arbitrários, o Brasil seria um partido livre de bandidos. Se mandassem prender como vi alguns falando na TV, todos os políticos estariam presos.
    O Joesley foi ao palácio e o Temer o recebeu porque ele era o segundo maior empresário do país e tinha relações muito estreitas com o poder. Tanto que doou 300 milhões para a dupla Lulla/Dilma.
    A questão não está naquilo que o Temer deixou de fazer e sim no esquema montado para tirá-lo do poder pela dupla Fachin/Janot sabendo que ele não iria ser cassado pelo TSE. Como se dizia antigamente, o furo é muito mais embaixo. E como as gravações foram fraudadas só vamos nos ver livre do PMDB em 2018. Se a dupla Fachin/Janot tivesse trabalhado contra o Mendes para que o Temer fosse cassado pelo TSE teriam sido bem mais honestos e teriam feito um grande serviço ao país e, ainda vão ser tratados como os dois patetas, pois os três patetas fazem parte de uma outra facção criminosa do STF.

    • Ufa! Finalmente alguém concorda comigo…Venho, sutilmente, “batendo nesta tecla” há 2 dias…Pergunta: o poste pode mijar no cachorro? Ainda não entendi por que a mídia “protege” o epicentro…

    • O cara recebeu um empresário fora de expediente e ainda perguntou: alguém viu você entrar? Ainda deixou claro que ele sabia da safadeza do Cunha, que o empresário havia comprado um procurador e um juiz.
      Duvido que com todos esses pecados Temer possa continuar no poder até 2018.
      Mais uma sentença: precisam prender o Lula imediatamente, antes que ele fuja para o exterior.

    • Prezado Paulo,
      agradeço pela menção de “missivista”, mas na verdade, esta não é denominação adequada neste caso; aqui não passo de uma comentarista da TI. Inclusive este texto que generosamente foi republicado pelo querido e respeitado CN é parte de comentários meus realizados sobre matérias aqui publicadas.
      As indagações apresentadas são minhas mesmo, não costumo me basear somente na mídia para raciocinar sobre os acontecimentos políticos (por isso não me preocupo com grandes jornais ou comentaristas famosos, tampouco preocupo-me em provar minha independência). De fato noto que algumas dessas questões emergem da mídia em geral e é muito bom saber que o senhor “sai do lugar comum” o qual me colocou e as responde com propriedade. Afinal, em momentos que prevalecem dúvidas, alguém assim como o senhor ilumina as sombras que assolam o caos político do nosso país. São tantas as incertezas que é um privilégio encontrar alguém tão bem informado.
      Por fim, para alguém que “não sabe de nada”, fui deveras honrada pela vossa atenção em dispender de seu precioso tempo respondendo minhas indagações comuns, o que me sensibiliza a agradecê-lo.
      Boa noite!

  2. Entregar, em uma eleição indireta, a Presidência do país a Henrique Meirelles, representante histórico dos interesses do capital financeiro internacional e ex-executivo da própria J&F?

    Essa parece ser a aposta por trás da guinada súbita do noticiário da Globo, acometido de uma inusitada indignação republicana.

    O fato de o atual ministro da Fazenda e potencial candidato à sucessão de Temer ter sido, até a queda de Dilma, executivo de ponta do grupo corruptor não mereceu destaque. Henrique Meirelles foi presidente do conselho de administração da J&F, de 2012 a 2016, e presidente do banco Original, controlado pela J&F, entre 2015-2016.

    Tirar um presidente por seu comprometimento com um grupo empresarial e substituí-lo por um ex-funcionário e estrategista direto do mesmo grupo não pode ter motivação republicana.

    (Meirelles) Já foi do PSDB, do PMBD, e agora é filiado ao PSD, partido de Gilberto Kassab. Nenhuma sigla, contudo, reflete o compromisso fundamental de sua biografia: o setor financeiro internacional e as empresas transnacionais atreladas a ele, para os quais pretende entregar o Brasil. E já começou a fazê-lo, ao congelar os gastos públicos por um período de 20 anos, ao propor medidas que inviabilizam a aposentadoria e fomentam o mercado de previdência privada, ao atacar direitos dos trabalhadores…

    … é preciso restabelecer legitimidade ao governo e desfazer as medidas recentes que não contam com nenhum respaldo popular: eleições gerais diretas. Já.

    Movimento SOS Brasil Soberano / Engenharia, Soberania e Desenvolvimento

    https://goo.gl/Xn9Jok

  3. Jamais cliquem no link do mortadela ex comentarista -comediante expulso da TI! É link virulento que rouba dados do seu computador!!!!!

    • Quem nao gosta de clicar em links reduzidos, não precisa clicar, basta copiar e colar o texto no google para achar a fonte da informação.

  4. Governo Temer reduz equipe da Lava Jato e corta verba da PF. Número de delegados destacados para força-tarefa, em Curitiba, caiu de 9 para 4 e previsão de contingenciamento de 44% do orçamento de custeio previsto para 2017 atingem diretamente investigações do escândalo Petrobrás. É o primeiro corte expressivo no efetivo de investigadores, nos três anos do escândalo Petrobrás.

    Ricardo Brandt, Julia Affonso, Fausto Macedo, Luiz Vassallo e Fábio Serapião

    Estadão

    https://goo.gl/wm6VcW

      • Experimente sair do Brasil e viver em um outro país, onde a sua palavra tenha valia maior que qualquer documento timbrado governamental possa valer…
        Onde respeito e ética no cumprimento das leis é norma.
        Aí entenderá!

        • Perdoe-me, mas o Sr. vê com bons olhos o Meirelles (4 anos na JBC)? De repente, Carmem Lúcia &Bial-Globo? Rodrigo Maia, que não faz nada sem consultar o pai? E o Nelson Jobim ( “Lula preso elege qualquer um, principalmente o Ciro Gomes”)? Ninguém vale rigorosamente “porra nenhuma”! Um “congresso viciado, com propina enterrada até no olho do … Faça as suas apostas…Não esqueça: Macunaíma era um herói sem caráter…

    • Mas se há um Moro com liberdade para julgar e uma força-tarefa capaz e eficiente, a lei enjaula o bandido.
      Atenção: é preciso prender o Lula para ele não fugir.

  5. “Pronunciamentos de Temer estão reforçando as acusações contra ele”

    O problema não e esse, o problema e a atitude dele enquanto governo…Já começou a desmontagem da equipe Lava Jato, deu no estadão de hoje…

    Quanto mais poderá fazer enquanto estiver ‘entronado’ ?

    http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/governo-reduz-equipe-da-lava-jato-e-corta-verba-da-pf/

    Que imagem medíocre assistir ao merreca do Temer querendo dar uma de estadista na frente das câmeras… ja era uma pandeguice total, mas agora…. sem palavras…

  6. Matéria da Carta Capital, acredito pois não é de hoje que Brizola sempre falou, um meio de comunicação pode fazer um estrago enorme num país, veja abaixo:

    Poder

    Três correntes políticas, dois projetos

    por João Sicsú — publicado 21/05/2017 00h30, última modificação 21/05/2017 00h14
    O partido dos fisiológicos e patrimonialistas é acéfalo, não tem projeto próprio, aderiu implacavelmente ao projeto do partido da Globo

    inShare

    José Cruz/ABr | Antonio Cruz/ABr | Marcos Corrêa/PR
    Meirelles, Cármen Lúcia e Temer
    As marionetes ressurgirão quando úteis ao partido da Globo. Mas não deixarão de ser marionetes

    Leia também
    Guilherme Boulos: “A gravidade da crise não admite arranjos”
    “Congresso não tem credibilidade para eleger próximo presidente”
    Os principais pontos da explosiva delação da JBS contra Temer
    A crise política e o enigma da Globo
    Nos últimos anos se conformaram três correntes políticas no Brasil, que fazem articulações, propaganda, agitação e tentam formar bases sociais. Mas só há dois projetos. Primeiro, existe o partido da Globo e dos maiores bancos privados com parte do Judiciário, Ministério Público e Polícia Federal. Segundo, o partido integrado pelos políticos fisiológicos e patrimonialistas filiados ao PMDB, PSDB, DEM e a outros penduricalhos menores. E, por último, há a corrente dos partidos políticos de esquerda, centrais sindicais e movimentos sociais.

    Embora tenhamos três correntes, temos apenas dois projetos. O partido dirigido pela Globo defende os interesses das multinacionais, dos banqueiros e dos rentistas. A frente de esquerda, sindical e de movimentos sociais defende um projeto de crescimento econômico, com geração de empregos, distribuição de renda e inclusão social. Tal projeto é nítido quando está na oposição e impreciso quando é governo. O partido dos políticos fisiológicos e patrimonialistas é acéfalo, não tem projeto próprio, aderiu implacavelmente ao projeto do partido da Globo.

    O PSDB fisiológico dos dias de hoje é muito diferente do PSDB pensante dos anos 1990. E o PMDB fisiológico de hoje é mais diferente ainda do que era o autêntico PMDB dos anos 1980. O partido dirigido pela Globo tem caminhado junto com os políticos fisiológicos e patrimonialistas. Sempre estarão unidos para combater a esquerda através de tentativas de cooptação, perseguição, criminalização ou prisão de seus quadros, líderes e movimentos. E sempre estarão unidos para dar golpes chamados de impeachment (em 2016) ou de revolução (em 1964).

    O projeto do partido da Globo tem sido bem-sucedido nos últimos anos. Conseguiram disseminar a ideia de que sempre é preciso conter gastos públicos (o objetivo é que sobrem recursos para serem transferidos aos bancos e aos rentistas). Essa ideia parecia adormecida ao final do ano de 2010. Mas voltou com força a partir do ano seguinte. Ao longo dos anos posteriores foi ganhando mais força, até que começou a derrubar os investimentos públicos e a reduzir direitos sociais.

    O partido da Globo fez grandes jogadas políticas especialmente desde 2013, passando pelo o golpe de 2016, até os dias de hoje. Ampliou ao máximo o leque de alianças e constituiu bases sociais. Todos cabiam dentro do projeto do golpe: Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Aécio Neves, os patos da Fiesp, classe média com camisa da CBF, evangélicos e muito mais. Todos unidos contra o modelo do governo Dilma que até podia entregar parte do que era requerido (e que não era pouco), mas sempre deixava a porta aberta para o projeto da esquerda, das centrais sindicais e dos movimentos sociais.

    “Quem dirige o golpe é o partido da Globo. O seu projeto é antinacional e antidesenvolvimentista”
    O partido da Globo apostou no golpe e venceu. Quem dirige o golpe é o partido da Globo. O seu projeto é antinacional, antissocial e antidesenvolvimentista. Cunha, Temer, Aécio, Maia, os patos da Fiesp e tantos outros são marionetes acéfalas. Manda quem comanda o judiciário, o Ministério Público, a Polícia Federal e o maior veículo de comunicação do País.

    O partido da Globo apostava em Temer, mas sempre com desconfiança. Afinal, o presidente ilegítimo pertence a um agrupamento que tem interesses considerados menores e é reconhecidamente frágil pelo passado que lhe é inerente. Embora funcione como um partido, a Globo desmoralizou os partidos políticos que têm formato tradicional e achincalhou a política porque uma organização antidemocrática não pode conviver com a política que somente é exercida, em sua plenitude, na democracia.

    No mundo real nem todas as variáveis estão sob pleno controle. Um movimento do partido da Globo, embora controlado, atingiu Temer. A gravação de Temer com o dono da JBS é arrasadora, fere, possivelmente, de morte o presidente ilegítimo. Cada passo desse processo foi elaborado e organizado pelo partido da Globo. Dentro do mesmo processo, o PSDB foi desmoralizado. Desnorteado, tentou deixar Temer sozinho no governo, mas percebeu que ficaria sozinho também. O partido da Globo não lhe acolheria, pelo menos agora.

    Abriu-se, então, o caminho para que o projeto do partido da Globo atingisse o seu auge colocando na cadeira da presidência um tecnocrata, um dos seus. O partido da Globo não emplacaria um tecnocrata defendendo o seu projeto em eleições diretas. O voto popular rejeitaria as reformas e a limitação de gastos reais nas áreas da saúde e educação, por exemplo. O caminho do partido da Globo é o colégio eleitoral e a retomada da votação das reformas por parte das marionetes.

    No momento, o partido da Globo quer alguém do seu agrupamento para sentar na cadeira da presidência da República – piloto e carro, ambos, da mesma equipe. Henrique Meirelles é o grande operador do projeto do partido da Globo dentro do governo. Atualmente, está na cadeira de ministro. Mas poderá ocupar um superministério ou, até mesmo, a presidência da República. A outra opção da Globo é Cármen Lúcia, que é do braço do judiciário do partido. Devidamente autorizado, Meirelles já anunciou ao mercado financeiro que continuará neste ou no próximo governo.

    O partido da Globo já aprovou o congelamento real de gastos públicos pelos próximos 20 anos. Já aprovou a terceirização irrestrita. E avançava nas reformas da Previdência e trabalhista. Entretanto, o projeto do partido da Globo sofre fortes resistências da esquerda. Portanto, continuarão os enfrentamentos e ataques contundes à esquerda, às centrais sindicais e aos movimentos sociais.

    Nas próximas semanas e meses, ficará ainda nítido que só existem, de fato, dois agrupamentos sólidos, dois projetos e um bando de marionetes desnorteadas. E os embates serão: eleições diretas versus colégio eleitoral, condenação de Lula versus defesa de Lula, reformas engavetadas versus retomada das votações. As marionetes voltarão a sobreviver tão logo sejam úteis ao partido da Globo.

    Não deixarão, porém, de ser apenas marionetes.

  7. Interessante é que ninguém está dando bola para a situação do Aécio. Aliás, ainda não o ouvi falar que a gravação é falsa ou foi adulterada. Impressionante !

  8. Roberto:
    Vc citou diversas sugestões de leituras inúteis e fúteis.!
    Ler Carta Capital. ..!!!???
    Me poupe desse desgosto.
    Outra….ler quem!?
    Guilherme Boulos…!???
    Aí vc se superou no absurdo da sugestão!
    Boulos não escreve até porque é um descerebrado!
    É um platelminto!
    Tente outras sugestões mais palatáveis. …mais lógicas.
    Acorda do sono!

  9. Mais outra: como é que Henrique Meirelles, que foi presidente de 2012 a 2016 do Conselho de Administração da holding J&F, controladora do frigorífico JBF, NÃO sabia que o controlado distribuía dinheiro a rodo para os políticos, ahn ? Estranho. MUITO estranho.

  10. Pingback: Pronunciamentos de Temer estão reforçando as acusações contra ele – Debates Culturais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *