Protestos são um marco, mas devem ter foco

Em São João del Rei, 5.000 pessoas ocuparam as ruas da cidade
Deu no jornal O Tempo
Os protestos que se espalharam pelo país nos últimos dias são a primeira grande manifestação brasileira no século XXI. Mais do que isso, o encontro “presencial” da chamada geração Y – desacostumada a se curvar às lideranças tradicionais – gerou uma nova forma de interação social que surpreendeu os acostumados com mobilizações tradicionais, oriundas de sindicatos, movimentos sociais e partidos.

De outro lado, o maior risco é que as manifestações sem lideranças e sem objetivos definidos caiam no vazio e acabem no ostracismo. De maneira geral, essa é a opinião de especialistas ouvidos, ontem, por O Tempo.

Para o sociólogo Rudá Ricci, o movimento criou uma nova era e, de fato, é um marco da “sociedade da informação”. Porém, para ele, o maior risco é que os jovens e o governo não consigam “falar a mesma língua”. “Se isso acontecer e o movimento da juventude continuar sem líderes, ele pode perder força facilmente”, analisa Rudá.

O coordenador do curso de ciências sociais da PUC Minas, Manoel Neto, já percebe algumas tentativas de partidarização do movimento, o que serviria para enfraquecer o processo. “A esquerda e a direita já tentam se apossar do que está sendo feito por essa nova geração. Mas a questão é que esse processo começou de maneira apartidária”, avalia.

APARTIDARISMO

O apartidarismo da manifestação de base é comprovado por uma pesquisa do Datafolha. O estudo mostra que 84% dos paulistanos que foram para a rua na última segunda-feira não têm preferência por qualquer partido político.

O mesmo levantamento evidencia a falta de foco das manifestações. Dos pesquisados, 56% protestavam contra o aumento das passagens, 40% contra a corrupção, 31% contra a violência/repressão, 27% por transporte de mais qualidade, 24% contra os políticos e 14% pela tarifa zero/passe livre (as respostas às perguntas foram livres e múltiplas).

Na opinião de Rudá Ricci, o movimento precisa definir focos para não ter de pagar o preço da queda de mobilização. “Se eles conseguirem convergir para uma ou duas reivindicações gerais, para os governos, é o pior. Isso porque eles estarão unidos. Mas se forem radicais também, o governo não cederá”, diz.

O cientista político Cristiano Noronha vai na mesma linha e afirma que a continuidade dos movimentos depende das respostas de governo. Para ele, os primeiros frutos das manifestações começam a aparecer agora. “Se os agentes políticos cederem em alguns pontos, a tendência é que, mais cedo ou mais tarde, essas manifestações parem”, afirma.

À luz da psicologia, o maior temor é que a falta de objetivos claros das manifestações gere violência. “Quando há tarefas definidas, temos um grupo. Quando não há, o que existe é um grupamento heterogêneo, acéfalo. Isso pode fazer com que os vândalos atuem com mais força. A consequência disso é a violência”, analisa o psicólogo Douglas Amorim.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “Protestos são um marco, mas devem ter foco

  1. Alguém quer foco maior, do que a luta pela sobrevivência???
    Alguém quer foco maior do que protestar contra O Roubo Institucionalizado??
    O prefeito Fernando Haddad disse na TV Globo que:
    O empresário entra com dez por cento no custo da passagem
    O governo entra com vinte por cento no custo da passagem
    O usuário entra com setenta por cento no custo da passagem
    Portanto … será que é tão difícil assim, entender a revolta do povo?
    Afinal, quem são os vândalos nesta história toda?
    20% + 70% = 90% (noventa por cento).
    É o usuário, o povo!, que banca praticamente TUDO!!!
    Banca NOVENTA POR CENTO (palavras do prefeito Fernando Haddad, o homem que tem os números) desta cirurgia macabra!!! E … como resposta … pode dispor de um serviço com “qualidade” !!!
    As empresas entram com dez por cento … e ficam com quase tudo!!! Mas, em época de eleição … “chegam junto” !!!
    LADRÕES!!! BANDIDOS!!! CANALHAS!!! COVARDAÇOS!!! ROUBAM O POVO, ROUBAM O CIDADÃO!!!

  2. Não entrem nessa! Foco sim, mas líderes NÃO!

    Querem alguém pra culpar! Quando nos colocamos sob um líder, ficamos mais suscetíveis a ataques!

    Agora o foco sim pode ser melhor trabalhado!

    Já conseguimos a redução da passagem – OK

    DIMINUIÇÃO DAS MORDOMIAS E SALÁRIOS DOS POLÍTICOS JÁ!

    Como dizia o esquartejador, vamos por partes…

    Força Brasil!

  3. Fernando Haddad confessou, em horário nobre da Tv, o Crime Institucionalizado.
    Leiam e reflitam;o povo banca NOVENTA POR CENTO DOS CUSTOS DAS PASSAGENS!!!
    Quem é vândalo, então???
    E … só há UM líder, o líder maior e único, O POVO!!! Que é totalmente avacalhado, roubado, explorado e massacrado. Pelos abutres de sempre.

  4. Os protestos realizados nas grandes cidades do Brasil, não tem partido político, isto é muito bom, é a insatisfação da população que paga impostos e recebem em troca péssimos serviços públicos, oferecem aos políticos assistência médica nos melhores hospitais do país, como por exemplo o “SÍRIO E LIBANÊS” e recebem hospitais públicos, onde os contribuintes são atendidos nos corredores e acabam sofrendo e morrendo.
    Estes protestos devem ser amplo, saúde, educação, segurança, transporte, justiça morosa, etc…, mais tudo dentro da lei, sem descambar para a violência e depredação que nada contribuem, tem mais repercussão do que o vandalismo.
    O Brasil é um país excelente e não merece ser manchado por vandalismo, é um povo trabalhador e alegre, então, vamos aproveitar nosso otimismo e vamos mudar pra valer.

  5. Análise perfeita,meu caro Almério Nunes!
    Estão focando o assunto,pelo lado errado! Querem dar mais isenções aos riquíssimos e corruptores donos das empresas de ônibus,enquanto esses canalhas entram com 10% da passagem.Deve ser para sobrar mais para a “caixinha eleitoral”!
    Veja só:Nas três,últimas copas do mundo realizadas,juntas custaram 25 bilhões de dólares.Na copa do mundo do Brasil,até agora já foi gasto 30 bilhões de dólares.
    Abrs,Barão

  6. quero esclarecer aqueles que não entendem a pauta:

    1 – PEC 37
    2 – reforma do judiciário
    3 – reforma do código penal
    4 – reforma política (voto distrital urgente)
    5 – presos devem trabalhar e plantar sua própria comida
    6 -indicação para o supremo e MP e órgãos de fiscalização como CGU e TCU sejam indicações de colegiados e não do executivo para que seus membros sejam livres para fazerem seus trabalhos de forma honesta para aqueles que são seus verdadeiros patrões os contribuintes
    7 – revisão imediata da tabela de imposto renda que não é feita desde 2002
    8 – combate severo a corrupção, a violência e tráfico de drogas
    9 – educação e saúde nem precisa comentar são precaríssimos
    10 – ficha limpa isso tem que ser decidido imediatamente essa discussão é uma vergonha
    11 – Renan e Herinque Alves presidente do seo e da câmara é uma vergonha nacional
    12 – genoíno, joão paulo cunha waldemar da costa neto continuarem na câmara não vale nem a pena comentar
    13 – para completar proíbiram de divulgar os gastos de viagem da presidente e sua comitiva assim como já é feito com o cartão de crédito da presidência, pensam que o nosso dinheiro é capim
    14 – chega de bolsas o povo precisa é de emprego para crescer e pagar suas próprias despesas
    15 – transparência com o dinheiro público por ex BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica como estão sendo feitos os seus empréstimos chega de dar dinheiro a Eike Batista e empreiteiras finaciadoras de campanha
    16 – Opção pelo transporte rodoviário num país continental acabaram com a Rede Ferroviária Federal o governo não investia na rede não subsidiava nada na ferrovia, aliás como é no resto do mundo, no entanto a VALEC empresa fundada por sarney depois de tanto roubar sem ter construído um Km de ferrovia recebe 15 bilhões por medida provisária é mesmo muita covardia desse governo indecente

    17 – chega basta não aguentamos mais tá boa a pauta suas excelências ou querem mais

  7. Acredito que um dos focos ,ou “o foco”,deveria ser:acabar com a reeleição para TODOS os mandatos.Serviu ao País por 4-5 anos,fim!Volta para seu emprego anterior,política não deve “ser meio de vida”,e muito menos para criarem-se “dinastias”políticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *