PSDB começa a achar que a culpa é do marqueteiro de Aécio

Deu no Estadão

Com dificuldades em avançar na disputa presidencial, a condução do marketing de campanha de Aécio Neves (PSDB) pelo marqueteiro Paulo Vasconcelos passou a ser alvo de críticas de setores do próprio partido. Um dos poucos a falar abertamente sobre os contratempos enfrentados até então, o presidente estadual do PSDB mineiro, deputado federal Marcus Pestana, admitiu a ocorrência de erros no reduto eleitoral de Aécio.

“A campanha estadual não defendeu o legado do Aécio. E nós tivemos uma passividade. A nossa campanha não foi na linha correta de se ancorar no legado, o que permitiu o surgimento de mentiras e inverdades. O Fernando Pimentel (candidato do PT ao governo de Minas) está prometendo o que já existe, o que já fizemos e a campanha não está tendo uma ação firme de ataque e defesa. Foi um erro aqui da nossa campanha que está sendo corrigido”, disse Pestana.

A avaliação é de que a equipe de comunicação da campanha nacional erra ao apresentar propostas de forma genérica, esquecendo-se de regionalizá-las. Uma das consequências seria um distanciamento dos eleitores com o discurso de Aécio.

DIRETAMENTE…

As reclamações já começam a chegar ao candidato. De acordo com um integrante da cúpula do PSDB, nos últimos dias alguns governadores do partido passaram a ligar diretamente para Vasconcelos para sugerir alterações na propaganda nacional. Aécio também tem sido procurado pessoalmente com pedidos de mudanças.

Há demandas, em especial dos diretórios regionais, para que Aécio grave vídeos específicos para o eleitorado de cada Estado. Seria uma forma de aproximá-lo da realidade de cada local. Reclama-se também da falta de integração do discurso entre as campanhas estadual e nacional.

A busca por uma reação do PSDB em Minas também tem como finalidade evitar uma dupla derrota de Aécio no Estado. As últimas pesquisas colocam o tucano em empate técnico com a presidente Dilma Rousseff (PT) nas intenções de votos na região. Além disso, o seu candidato ao governo local, Pimenta da Veiga (PSDB), está em segundo lugar na corrida eleitoral com 23%, atrás de Fernando Pimentel, que tem hoje 37% das intenções de votos.

POLARIZAÇÃO

Na análise de Marcus Pestana, a campanha no âmbito nacional deve deixar de fazer a apresentação de Aécio e iniciar uma nova etapa de “polarização”. Para o dirigente, é necessário que se tenha uma “pegada” igual à usada pelos marqueteiros de outros países.

“Essa fórmula do marketing brasileiro está esgotada. Tenho amigo publicitário que é argentino que disse que, na Argentina, é pancadaria para todo lado e ganha quem ficar de pé. Nos Estados Unidos também, lá não há uma agenda propositiva, proposta de governo, é para falar mal do adversário, ou seja, polarização. A desconstrução não tem a ver com baixaria, com mentira, mas tem a ver com politização, oferecer o melhor argumento”, ressaltou.

A polarização pretendida deve ser feita com Dilma e Marina Silva (PSB), que hoje aparecem na liderança da corrida presidencial, empatadas com 34% das intenções de votos.

“Não estamos mais na fase do ‘bem-vindos’ ou do ‘venha discutir o Brasil'”, disse em referência ao mote apresentado nos programas de rádio e TV da campanha presidencial do PSDB. “Vamos polarizar e oferecer argumentos. Você tem uma candidata que é a continuidade do que está dando errado, que está levando o País para o abismo, que é a Dilma. Por outro lado, mais de 70% acham que têm que mudar. Aí há duas opções: Marina e Aécio. Marina é o sonho que pode virar pesadelo.”

20 thoughts on “PSDB começa a achar que a culpa é do marqueteiro de Aécio

  1. Não adianta.

    A propaganda negativa feita pela turma do Lula corroborada pela mídia e pela falta de informação verídica a respeito do governo de FHC, está fazendo lenha.

    O povo brasileiro está muito mal informado e decidindo as coisas pela emoção.

    Pobre povo brasileiro. Refém da mentira.

    Além do mais, somos um povo que, pelo próprio sofrimento ocasionado pela elite burra desse país, durante tantos anos, refuga qualquer sacrifício pelo país.

    Somos um povo iludido e vamos cair nas mãos do primeiro idiota ou idiota que aparece como “melhor” alternativa de governo.

    Na minha opinião, o Brasil perde, e muito rechaçando a melhor equipe de governo que é a do Senador Aécio Neves.

    Paciência!

  2. O maior erro de Aécio Neves foi se aproximar demais de FHC, uma assombração que só ele e os iguais a ele não percebem. E assombração dispersa até os mais corajosos. E Marina que abra o olho, pois já disse que quer o tal do homem em seu governo.

  3. A tática do PSDB de detonar com o governo do PT não deu certo, o tiro saiu pela culatra porque o povo se perguntava quem são Aécio, FHC, Agripino, Armínio, para jogar pedra no PT, se o PSDB comprou o congresso para se perpetuar no poder, quando esteve no poder não trouxe prosperidade, a arrogância do FHC virou a marca do PSDB, os Estados que governa não se encontram em boa situação administrativa. Depreciaram a capacidade de análise do povo, não foi difícil para o povo perceber que Aécio não tinha proposta, só ódio. O ódio cega, perde o bom senso. O PSDB para tirar o PT jogou sujo, acusou o tempo todo, desconstruiu, atrasou o país. Qualquer um sabe que o capital detesta insegurança, o PSDB gerou insegurança política, afetou até a economia do país. E o que adiantou ? N A D A ! Não seria melhor se apresentasse alternativa inteligente ao invés de usar a hipocrisia, cobrar da Presidente Dilma aquilo que tem para dar acreditando que o povo não iria questionar a posição do Aécio Torquemada, o inquisidor. Agora vai lamber as feridas. Porque Dilma e Marina têm história de luta. O povo sabe que são duas mulheres de valor.

    Responder

    • Prezado Rocha, foi a elite burra deste país que nos empurrou para este estado de coisas. Não há nada melhor para atestar o que eu digo do que a presente corrida eleitoral.

      Grande abraço!

  4. O PSDB e o seu candidato Aécio já tiveram a sua oportunidade.
    Com o Dr. Fernando foram um desastre. Depois dele não fizeram oposição. É um partido de arrogantes e mornos políticos. O candidato Aécio se mostrou frágil nos debates fato que lhe custou caro. Tem uma bela imagem, a melhor de todos os candidatos, porém se mostrou vazio. Acabou o tempo do PSDB nesta corrida.
    Para tirar o PT do governo, e o povo ignaro já entendeu isso, é votar na D. Marina.
    E a nave vá!

  5. O povo tem o governo que merece.

    No Brasil é assim: QUEM PODE MAIS, CHORA MENOS.

    E vamos continuar assim.

    Eu só espero que aqueles que corroboram para que o país continue nas mãos de gente como a Dilma permaneça por baixo, sofrendo as consequências de uma decisão imbecil. E que aqueles que ajudam a imbecilizar o povo, sofram, ainda mais, com o povo.

  6. O eleitor dependente e emotivo, está jogando fora a melhor oportunidade de eleger aquela pessoa capaz de minorar as dificuldades que o país experimenta no momento.
    Votar na Dilmona pelo bolsa-família ou na Marina pelo lado emotivo é simplesmente imperdoável. Depois não vá chorar o leite derramado.Tenho dito.

  7. Este é o padrão do brasileiro, querer sempre achar um culpado, mesmo que a falha seja dele.

    Porque o PSDB não pergunta sobre as besteiras que fez nos governos FHC e a sua postura nos governos Lula+Dilma+PT como oposição?

    Só pra lembrar:

    Palavras do presidente de Honra do PSDB:

    “Fiz a reforma da Previdência para que aqueles que se locupletam da Previdência não se locupletem mais, não se aposentem com menos de 50 anos, não sejam vagabundos em um país de pobres e miseráveis”
    Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente, maio de 1998

    “Eu não estou aqui para ver o PT se arrebentar. O Brasil precisa de partidos que tenham uma certa história, e o PT tem.”
    Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente
    2005

    “Quem perde eleição, tem que ter humildade de que perdeu porque perdeu. Ganhar ou perder, é a pessoa, o desempenho. Acho ruim ficar jogando a culpa nos outros”.
    Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente, no programa do Jô
    (16/09/2008)

    “Minha opinião é a de que a maconha pode ser tratada de forma diferente. Isto é, regulada como é o álcool e o cigarro”
    Fernando Henrique Cardoso, ex presidente, PSDB-SP
    Fonte: Trip
    21/05/2011

  8. Demoraram muito para perceberem essa situação. Agora provavelmente já seja tarde. A estratégia política deveria ter sido desde o início atacar e atacar, tática da metralhadora, mostrando as contradições do atual governo. O eleitor brasileiro comum é emotivo, gosta de palavras bonitas, ou uma fala enérgica, de ouvir o candidato “dizer umas verdades”. Em todos os debates se perderam imensas oportunidades de se colocar em xeque as afirmações inverídicas da presidente. Aécio teria plenas condições de atacar e revidar com inteligência, mas sem usar bom-mocismo. Porém, deve-se sempre escolher as batalhas que se quer vencer, assim o foco deveria ser só a Dilma e seu partido. Atacar Marina é fazer o que o PT quer. E isso inviabiliza um apoio no segundo turno. Na guerra política não dá pra ficar no meio termo.

  9. Valeu,senhor Moderador, trazer esta matéria, hoje, 5 de setembro, para a Tribuna da Internet.
    Ela é sumamente importante por se tratar de assunto que já foi abordado anteriormente por muitos comentaristas, e que já mostrou o quanto está ERRADA a divulgação do programa de governo do candidato Aécio Neves.
    Inclusive, pelo modesto escriba que ora redige este texto, criticando em outros momentos, a estratégia adotada pelo marqueteiro de Aécio, que sabemos agora ter nome, Paulo Vasconcelos, e o detalhe de que o presidente estadual do PSDB, Marcus Pestana, de Minas Gerais, trouxe o tema à tona, ontem, em crítica, que procede, contra alinha adotada na condução da campanha.
    Para Aécio, felizmente, que ganha novos rumos quase um mês antes das eleições.
    Daí, os senhores Wagner Pires e Caio Efrom devem reavaliar que, antes tarde do que nunca, há como o candidato ainda recuperar o tempo perdido… vamos acompanhar para saber…
    Em eleições, não existe outro objetivo senão esse, de NÃO VOU PERDER ESSA ELEIÇÃO…
    O núcleo da campanha de Aécio têm de dispensar todos que não estão focados com o objetivo da eleição, começando por mandar para casa o Coordenador José Agripino Maia (DEM), e mais um monte de “aspones”, que mais prejudicam do que ajudam à campanha de Aécio Neves, sem dúvida alguma, disparado, o melhor candidato para enfrentar, com a alternância, a herança maldita que virá em 2015.
    Ainda há tempo para reverter esse quadro… que não depende só do candidato, que faz o que pode e não pode para alavancar a candidatura.

  10. Olha que vou votar no Aécio por 2 razões principais. A 1ª é que acho o candidato mais preparado e a 2ª uma espécie de voto útil anti-petista na esperança de que ele suba e dispute com a Marina o 2º turno.Mas tá dificil.
    Mas as criticas tem que ser feitas: O PSDB está acovardado, tinha mais era que estar entrando com os 2 pés no peito dos petralhas, questionar a bandidagem presente na Petrobrás, a ligação PT-PCC, a morte do Celso Daniel, até aí era só dar algum espaço pro filho do Tuma, mas nada disso está acontecendo.
    Mas o pior para o Aécio é perder em Minas ou mesmo ganhar por uma margem muito apertada, aí no caso o único nome que restará para os tucanos em 2018 será o Alckmin que está com grandes chances de se reeleger no 1º turno em São Paulo. O certo agora, ao menos para se ter uma derrota menos desonrosa, é aceitar os acenos da Marina, e não fustigá-la. Quem sabe fundar as bases de um entendimento que permita uma melhor governabilidade em caso de vitória da Marina e do PSB e dentro de uma reforma politica, facilitar a implantação do parlamentarismo que a meu ver é a melhor maneira superar esse falido presidencialismo de coalizão que só vem trazendo desgraças para o país.

  11. O único problema do “homem do aeroporto” é o mesmo dos políticos brasileiros.
    Primeiro pudinzinho nunca trabalhou na vida e segundo se atolou em CORRUPÇÂO…
    Agora como diz o velho deitado.: “a cobrança veio antes da hora”….
    eh1eh!eh

  12. A grande verdade é que a oposição à Dilma é a oposição que todos gostariam de ter, o PSDB está sendo substituído, como oposição, pela Marina, já que o partido dela não é oposição à Dilma. Fica evidente que o candidato tucano não tinha cacife para disputar uma eleição presidencial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *