PT: a ficha cai

Tereza Cruvinel (Correio Braziliense)

Nem mesmo o mensalão abalou tanto o PT quanto sua exclusão das manifestações de rua em junho. Os discursos recentes dos principais dirigentes cobraram o retorno às origens e a reciclagem do partido para acertar o passo com o novo tempo.

Foi o que se ouviu de Lula e Ruy Falcão no ato da semana passada. Nas reuniões internas, a autocrítica já não é pecado. “ Um partido como o PT jamais poderia ter jogado com as regras da velha política. Mas jogou e vacilou na explicação do caixa dois, permitindo a versão do caixa três, muito mais danosa” , diz o líder no Senado, Wellington Dias, pregando empenho total pela reforma política.

Mas como aprová-la sem apoio dos aliados conservadores? PT e esquerdas insistem no plebiscito mas agora o tempo acabou. Melhor aperfeiçoar o que for possível nas regras para o pleito de 2014.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “PT: a ficha cai

  1. Os principais dirigentes do PT estão delirando. Acham que é possível o retorno às origens moralistas e a reciclagem do partido.
    É como se uma mulher da vida, depois de 30 anos na atividade, voltasse a ser virgem.
    Ninguém acredita nisso. Nem o Sarney. Nem o Jader Barbalho. Nem o Maluf. Nem o Marcos Valério. Nem o papa …

  2. O PT conseguiu mostrar-nos que a classe política só se diferencia pelas siglas que, ao fundo e ao fim, são todas iguais. Tudo falácia. Palavras, nada mais que palavras. Quem nos salvará?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *