PT perde mais uma, e oposição comandará reforma política

Ranier Bragon e Márcio Falcão
Folha

Depois de ficar fora da Mesa Diretora da Câmara e do comando das principais comissões da Casa, o PT também não terá papel de destaque na comissão de reforma política foi instalada na tarde desta terça-feira (10) na Câmara dos Deputados.

Em acordo com o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi eleito para o comando da comissão o deputado Rodrigo Maia (RJ), ex-líder do DEM na Câmara e ferrenho opositor das gestões do PT no governo federal.

A relatoria da comissão ficou com o deputado Marcelo de Castro (PMDB-PI). O PT ficou apenas com a primeira vice-presidência.

Cunha afirmou que o acordo para que o DEM comande a comissão parte do pressuposto de que é preciso que a oposição tenha papel de destaque nas discussões para que não tente inviabilizá-la.

“Se você quer ter um planejamento para votar, você não pode restringir a comissão à maioria. Você não ache que vamos começar um processo delicado desse com obstrução [da oposição] por ser uma comissão constituída apenas da base governista”, afirmou o presidente da Câmara.

ATÉ SETEMBRO

Na sessão de instalação, Cunha voltou a defender que as modificações no sistema políticos sejam aprovadas e promulgadas até setembro com o objetivo de já valer para as eleições municipais de 2016.

A derrota do PT é mais uma sofrida na composição dos postos-chave da Câmara na gestão de Cunha. Aliado visto como pouco confiável pelo Palácio do Planalto, o peemedebista foi eleito para o comando da Câmara no dia 1º derrotando o PT e o governo.

Logo de início, elegeu a reforma política como prioridade. Entre outros pontos, o PMDB irá defender mudanças na forma como são eleitos os deputados federais. Hoje isso ocorre por meio de uma fórmula que leva em conta a votação de todos os candidatos do partido e da coligação, além do voto na legenda. O PMDB quer mudar o sistema para o chamado “distritão”, em que são eleitos os mais votados.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Eduardo Cunha continua humilhando o governo, que está praticamente sem liderança na Câmara. O líder escolhido por Dilma, Mercadante e Pepe Vargas é José Guimarães (PT-CE), que é conhecido com o deputado dos dólares na cueca, e o líder do PT é Sibá Machado, um parlamentar limitado e sem carisma. Resultado: Eduardo Cunha inverteu o polo do poder, formou seu próprio bloco, com 227 deputados e liderado pelo PMDB, isolou o PT com a maior facilidade e agora está nadando de braçada, enquanto o governo vai se afogando. Esta é a realidade. (C.N.)

9 thoughts on “PT perde mais uma, e oposição comandará reforma política

    • lido alhures na velha internet:

      “” … aquela funcionária que, dizem, envolta na maciez dos lençóis de algodão egípcio, enfrentou com denodo a dureza de ser íntima do poder… “”

    • Depois que a CUT mostrou a sua verdadeira cara nem nos sindicatos . Basta ver o que o Berboini e o Vaccari fizeram com os seus ex colegas bancarios , mutuarios da Bancoop. So restou a Papuda mesmo.

  1. O PT é tão safado que estão transformando Dilma em cachorro morto, ou, anta morta. Vai se desvincular totalmente para que ela afunde sozinha e eles tenham discurso novo em 2018. Esquecem todos que Lula foi quem armou a bomba (não a Dilma, digo sua herança), e querem culpá-la por tudo. Da cabeça de Dilma não sai nada, um completo poste, agora sem energia.

  2. Até que minha futurologia não estava de todo errada. Só não imaginava que o DEM – muito menos o Rodrigo Maia (!!) – fosse encabeçar alguma coisa. Pelo jeito até o tucanato está em baixa com as Melindrosas do Brasil (como chamam por aqui) no comando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *