Qualquer forma de amor, segundo Manoel Bandeira

O crítico literário e de arte, professor de literatura, tradutor e poeta Manuel Carneiro de Sousa Bandeira Filho (1866-1968), conhecido como Manuel Bandeira,  no soneto “Desencanto”, diz que faz versos inspirados nas angústias do desamor.

DESENCANTO
Manuel Bandeira
Eu faço versos como quem chora
De desalento , de desencanto
Fecha meu livro se por agora
Não tens motivo algum de pranto

Meu verso é sangue , volúpia ardente
Tristeza esparsa , remorso vão
Dói-me nas veias amargo e quente
Cai gota à gota do coração.

E nesses versos de angústia rouca
Assim dos lábios a vida corre
Deixando um acre sabor na boca

Eu faço versos como quem morre.
Qualquer forma de amor vale a pena!!
Qualquer forma de amor vale amar!

 (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “Qualquer forma de amor, segundo Manoel Bandeira

  1. E a imprensa brasileira tenta nos convencer com coisas que tá mais pra ficção do que realidade.
    Exemplos:
    Andam dizendo por aí que o folclórico roqueiro Serguei namorou a Janis Joplin.
    Dizem também que o Jorginho Guinle que foi o mais famoso playboy do Brasil, na sua juventude seduziu beldades como Marilyn Monroe e Rita Hayworth.
    Tem nas livrarias um livro com a biografia da Marilyn Monroe e lá tem os casamentos, amores e amantes da mesma e não citam o playboy brasileiro.
    Num programa de TV se comentava sobre as loucuras do Jim Morrisson e daí aparece o Serguei dizendo que certa vez no apartamento da Janis Joplin alertou o Jim Morrisson sobre seu uso exagerado de drogas.
    Segundo ele, falou para o Jim Morrisson: – Jim, Jim você vai se acabar nas drogas!
    Jim Morrisson era um cara mal humorado e tiradão. Iria ter contato com Serguei?!
    Bom, que um playboy brasileiro pode ter um Love com a Marilyn Monroe pode, é normal…
    Seguei namorar a Janis, até que é normal…
    mas o problema é que estes caras inventam suas histórias e o papel da mídia é vender jornal e revista.

    Nossa mídia divulgou que Ocimar Versolato era um dos maiores estilista do mundo e que o mundo da moda o respeitava e sempre lhe requisitava.
    O incrível é que a Claudia Schiffer esteve por aqui e ao lhe perguntarem sobre o nosso estilista, ela disse que não conhecia o mesmo.

    Arranjaram uma pesquisa tentando mostrar que o Ronaldo chutador de bola é a 3ª pessoa mais conhecida do mundo.
    Mike Tyson deve ser ignorante, pois o mesmo foi no México lhe vestiram uma camisa da Seleção Brasileira e lhe perguntaram sobre o Ronaldo e ele respondeu que não conhecia o mesmo e que já ouviu falar do Maradona.
    Então Tyson não conhece o 3º rosto mais conhecido do mundo?

  2. AQUI O DELÍRIO DE UM GUITARRISTA:
    Em 1988 Pepeu Gomes falou esta pérola: “Estou fazendo música instrumental, o brasileiro ainda não tem o hábito de ouvir música instrumental como o americano. O futuro da música universal será a música instrumental e daqui a 5 anos a música americana estará decadente e a música brasileira vai ser a melhor do mundo”.
    As palavras do Pepeu não foram iguais, mas foram + ou menos como escrevi.
    Aliás, ele errou feio na sua previsão, pois lá se foram 25 anos e a música brasileira está cada vez mais capenga e o brasileiro não aderiu à música instrumental.
    Nesta mesma época ele falou: – Quando o Gil me apresentou ao Jimi Hendrix!…
    Ora, ora, ora! Que intimidade é esta? Onde Jimi Hendrix ouviu falar de Gilberto Gil?
    A bem da verdade a Guitar Play colocou o Pepeu em uma das suas páginas e falou que ele era o Jimi Hendrix brasileiro.
    Será que esta revista não foi uma versão para a América Latina?

    SEMPRE A IMPRENSA NOS FAZ NOS CRER QUE SOMOS ADMIRADOS PELOS GRINGOS, SERÁ MESMO?
    No Rock in Rio de 1985 o Ozzy Osbourne falou no Rio que era preferível o Ronald Biggs (Assalto ao trem inglês) viver numa prisão inglesa do que no Rio de Janeiro. Que quis ele dizer?

    No final dos anos 80 o Mike Tyson foi entrevistado pelo SBT (lá nos EUA) e ao lhe perguntarem sobre nosso país e a possibilidade dele vir nos visitar ele falou + ou – assim: Oh yes! Contaram-me sobre as praias, muita mulher pelada!

    Anos passados o Otávio Mesquita entrevistou nos Estados Unidos o Charles Bronson.
    Sobre o Brasil o ator americano falou que não sabia onde ficava este país.
    A respeito, o Ratinho bradou muito no seu programa.

    Quem leu as revistas Rock Brigade dos anos 80 deve ter visto por lá músicos estrangeiros falando coisas tipo: Eu pensava que ia encontrar cobras nos banheiros dos hotéis.

  3. Em 1987 a revista Veja entrevistou em suas páginas amarelas a escritora Marion Zimmer Bradley que escreveu “As Brumas de Avalon”.
    O ENTREVISTADOR LHE PERGUNTOU: Qual a sua opinião sobre a literatura brasileira?
    ASSIM ELA RESPONDEU: Não acredito que existam grandes escritores que tenham escrito em língua portuguesa. Os espanhóis têm uma enorme literatura dramática, mas não sei muito sobre o português.
    VEJA- Já leu algum livro de um escritor latino-americano?
    BRADLEY – Não, apenas alguns poemas de Garcia Lorca, que era espanhol. E escritores brasileiros, desculpe minha ignorância, eu nem sabia que existiam.

    ISTO QUE ESCREVI AQUI, TAMBÉM ESCREVI NUM BLOG DO IBEST. (Blog do Pedro Dória e que não mais existe)
    LEIA O QUE UM CARA ESCREVEU NESTE MESMO BLOG FALANDO A RESPEITO DO MEU COMENTÁRIO:
    “Infelizmente o João está certo. Quem vive neste mundinho, que é o Brasil e sua mídia, acredita que este é um país amado por todo o planeta. A única coisa que os estrangeiros amam aqui são nossas reservas minerais, nossa biodiversidade e nossas mulheres as quais imediatamente associam a sexo fácil.
    No mais, é tudo exotismo. Procurem se informar como Carlinhos Brown é conhecido na Espanha. Pura cena para “inglês” ver. Quem aqui assistiu a entrevista que Roberto D’Avila e Caetano Veloso fizeram com Mick Jagger? Aí foram perguntar ao último o que pensava de Caetano, ao que sem exitar respondeu: “um ilustre desconhecido”. O Paulo Francis disse em seguida que Caetano tinha inveja de Jagger e esse então se limitou a falar mal de Francis.
    E assim vamos construindo um mundo imaginário onde acreditamos que os franceses adoram uma escola de samba desfilando pela Champ D’Elysee. Ficam é horrorizados com a baderna. E por acreditarem nessas bobagens é que nossos compatriotas chegam lá fora achando que são donos do pedaço e sujando a barra para os que viajam respeitando os limites impostos por outros povos como já aconteceu comigo”.
    Hamilton (@) | 09/09/05

  4. Pingback: Qualquer forma de amor vale amar. O verso de Manuel Bandeira que Caetano Veloso fez ecoar - Pagina do E

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *