Quando os deuses do Olimpo visitam o Rio, todo mundo cai no samba

Arlindo Cruz é um dos compositores do samba olímpico

Deu em O Globo 

Os deuses ficaram na roda de samba até clarear. Ficaram de perna bamba de tanto sambar. Essa é uma das cenas míticas-lúdicas evocadas em “Os grandes deuses do Olimpo visitam o Rio de Janeiro”, samba de Arlindo Cruz, Rogê e Arlindo Neto, que se tornou a canção-tema da cidade das Olimpíadas de 2016. “A ideia era ter uma música que pudesse ser um hino informal do Rio. Algo pop, não saudosista — conta Kassin, produtor da canção, que foi escolhida entre 16 concorrentes, compostas  por nomes que vão de Pedro Luís a Marcos Valle.

Arlindo Cruz revelou que, quando ele e os parceiros começaram a compor a canção, pensaram logo em uma visita imaginária dos deuses gregos ao Olimpo carioca. Kassin conta que os sete cantores que interpretaram a canção foram escolhidos de forma a dar um painel representativo da música carioca: o próprio Arlindo, Zeca Pagodinho, Mart’nália, Thalma de Freitas, Diogo Nogueira, Mr. Catra e Ed Motta. Mais de cem outros artistas compuseram o coro. Já a base contou com a participação de músicos como Lincoln Olivetti (nos teclados e arranjos de metais) e Davi Moraes (guitarra).

— O clima no estúdio foi de celebração, de curtição. O pessoal do Fundo de Quintal colou com o Arlindo e logo começou o pagode — diz Kassin.

Estevão Ciavatta, diretor do clipe da canção, conta que, logo após ouvi-la, ficou pensando quem seriam os deuses encarnados no Rio.

— Fiz, então, um casting dos deuses — brinca ele, que montou seu Olimpo com Fernanda Montenegro (a Hera que “se encantou com a lua do Arpoador”), Martinho da Vila (o Zeus que “mandou dizer que os Jogos estão pra chegar”), Rodrigo Santoro (Apolo), Carolina Dieckman (Afrodite), Helio de la Peña (Poseidon), Regina Casé (Artemis), entre outras figuras bem conhecidas e com agendas para lá de cheias.

OS DEUSES DO OLIMPO VISITAM O RIO DE JANEIRO
Arlindo Cruz, Rogê e Arlindo Neto

Os grandes deuses do Olimpo chegaram na nossa cidade
E o Rio continua lindo, um Panteão de verdade
Apolo adorou o som, o pôr do sol e a tarde
Poseidon olhou o mar e disse: “é isso é que é felicidade!”

Ficaram na roda de samba até clarear
Ficaram até de perna bamba de tanto sambar
Ficaram na roda de samba até clarear
Ficaram até de perna bamba de tanto sambar

Ô, ô, ô, ô!
Os deuses do Olimpo
Ô, ô, ô, ô!
Chegaram na nossa cidade
Ô, ô, ô, ô!
Ficaram até de perna bamba
Ô, ô, ô, ô!
De tanto sambar

O Hermes Mensageiro falou pro pessoal
Que o Rio de Janeiro é sempre Carnaval
Até o Dionísio saiu na Bateria
Afrodite era a Rainha da Folia
E Hera se encantou com a lua do Arpoador
Atena se encantou com a vista lá do Redentor

Ô, ô, ô, ô!
O Rio de Janeiro continua lindo
Ô, ô, ô, ô!
Todo mundo sambando, todo mundo curtindo. Alô Vila Isabel!
Ô, ô, ô, ô!
Rainha da Folia, Afrodite!
Ô, ô, ô, ô!

Os grandes deuses do Olimpo chegaram na nossa cidade
E o Rio continua lindo, um Panteão de verdade
Apolo adorou o som, o pôr do sol e a tarde
Poseidon olhou o mar e disse: “é isso é que é felicidade!”

Ficaram na roda de samba até clarear
Ficaram até de perna bamba de tanto sambar
Ficaram na roda de samba até clarear
Ficaram até de perna bamba de tanto sambar

Ô, ô, ô, ô!
Ô, ô, ô, ô!

Hércules falou “Povão Trabalhador”
Artemis na floresta se enche de amor
Hefesto disse a Ares: “O Rio é de paz!”
E todos responderam: “O Rio é demais!”

Zeus mandou dizer que os Jogos estão pra chegar

                   (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

9 thoughts on “Quando os deuses do Olimpo visitam o Rio, todo mundo cai no samba

  1. 1) Letra bela, Arlindo é um grande compositor.

    2) Parabéns à classe artística citada.

    3) Licença: em 5 de agosto de 1881 nasce no RJ, o escritor e jornalista João do Rio (nome real: Paulo Barreto), autor, entre outros de “As Religiões do Rio (1906)”, o primeiro ensaio escrito e publicado no Brasil sobre “Religiões Comparadas”.

    4) Fonte: BN, Agenda, 1993.

    5) A ideia central da obra citada é que a “Mui Leal e Histórica Cidade de São Sebastião do RJ” sempre foi acolhedora, ecumênica e inter-religiosa. Pena que agora, vez por outra, vemos casos de intolerância … inclusive aqui, no espaço da “incomparável” TI.

  2. ““Pensamos nos deuses como turistas”, diz Rogê, sobre a música-tema da Olimpíada” Assim ficou o cenário que embalou a música de Rogê seus parceiros Arlindo Cruz e Arlindo Neto. Assim os compositores armaram o cenário : Zeus chegado no Rio para os jogos e com ele, Apolo o deus do Sol, Hera que se apaixona pela Lua do Arpoador e não podia faltar Afrodite a rainha do amor que gosta também de uma folia. Vamos a ver se cola este Hino.

      • Orquestra temerônica….
        UOL Olimpíadas 2016
        Protesto contra governo Temer tem até maestro e orquestra em Copacabana 05/08/2016 12h39

        As seis faixas da Avenida Atlântica na altura do Copacabana Palace estão fechadas por centenas de pessoas que protestam contra o presidente interino Michel Temer. A manifestação ocorre em frente aos arcos olímpicos colocados na orla da praia. A Polícia Militar apenas observa.

        Em meio a multidão, uma orquestra tocava uma versão do clássico O Fortuna, de Carmina Burana, adaptado com a frase “Fora Temer”. Um maestro redigia a orquestra em pleno calçadão do Rio.

        Os músicos começaram a se reunir no dia em que Eduardo Cunha foi afastado da presidência da Câmara pelo STF e tocam em protesto ao atual sistema político. A orquestra remete ao passado, quando as bandas de música marchavam em frente às tropas pra intimidar o adversário.

        O grupo é formado por músicos profissionais e amadores que se reúnem a partir de uma comunidade no Facebook

  3. Nosso Rio de Janeiro, amado e maltratado, belo e poluído, alegre, apesar das tristezas cotidianas.

    Todos sabem do pão escasso e do circo armado, do esgoto aberto e do portão fechado para o trabalhador. Do superfaturamento e da esmola disfarçada de legado.

    Ontem, hoje, amanhã, sempre é tempo de amar este imenso país, sua cultura e diversidade, sua gente guerreira que tudo enfrenta com ânimo forte.

    Brasil sintetizado nas emoções em relação ao ponto de acumulação em longa história, linda cidade cultural em nossa pátria memória.

    Ninguém melhor do que Vinícius de Moraes para presenciar e expressar o que sentimos neste momento.

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a pluma
    Que o vento vai levando pelo ar
    Voa tão leve
    Mas tem a vida breve
    Precisa que haja vento sem parar

    A felicidade do pobre parece
    A grande ilusão do carnaval
    A gente trabalha o ano inteiro
    Por um momento de sonho
    Pra fazer a fantasia
    De rei ou de pirata ou jardineira
    Pra tudo se acabar na quarta-feira

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a gota
    De orvalho numa pétala de flor
    Brilha tranqüila
    Depois de leve oscila
    E cai como uma lágrima de amor

    A felicidade é uma coisa boa
    E tão delicada também
    Tem flores e amores
    De todas as cores
    Tem ninhos de passarinhos
    Tudo de bom ela tem
    E é por ela ser assim tão delicada
    Que eu trato dela sempre muito bem

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A minha felicidade está sonhando
    Nos olhos da minha namorada
    É como esta noite, passando, passando
    Em busca da madrugada
    Falem baixo, por favor
    Pra que ela acorde alegre com o dia
    Oferecendo beijos de amor

    Vinicius de Moraes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *