Queda de braço na questão indígena

Gelio Fregapani

A pressão indigenista recrudesce. O lado nacionalista, sob pressão, dá mostras de fraquejar, mas a população está sendo esclarecida e terminará por colocar um freio nas ações apátridas da Funai.

Apesar de a presidente manter a decisão de rever o processo de demarcação de novas terras indígenas e de acabar com o monopólio exercido pela Funai na atividade,  incluindo outros órgãos (Embrapa e os ministérios da Agricultura e Desenvolvimento Agrário), o Ministro da Justiça  José Eduardo Cardoso afirma que a presidente deixou claro que não pretende esvaziar a Funai, mas fortalecer esse órgão”.

Os indígenas, claro, se posicionaram contrários à inclusão dos outros órgãos e entregaram à Presidente um documento com 11 reivindicações e recebendo a promessa de que os seus pedidos serão atendidos.

À MARGEM DA LEI

Enquanto isto a Funai está promovendo, à margem da Lei, a demarcação de nova Terra Indígena em Santa Catarina e funcionários da Funai estariam empenhados em ampliar a reserva Xapecó e ainda índios de diversas etnias bloqueiam a estrada de ferro de Carajás. Os casos simultâneos de SC e do MA são típicos da questão indígena.

A Funai e o aparato indigenista que a apóia se concentram em demarcações de terras indígenas em áreas mineralizadas ou no mínimo produtivas e habitadas por não índios, fazendo o jogo do estrangeiro ambicioso e solerte. Torna-se evidente que, no Norte da Amazônia, o objetivo é a criação de novas nações dóceis e totalmente controladas, e ao Sul da Amazônia é prejudicar a concorrência agrícola.

Por esses e outros motivos, é mais que urgente uma ampla reformulação na política indígena, para que o Estado brasileiro possa assegurar plenamente os direitos reais, tanto dos índios como dos não-índios.

Algo indica que, enfraquecida, Dilma também cederá nesse importante setor, como já o fez na questão dos juros. Caso continue cedendo, nosso País estará realmente mal. Entretanto, por enquanto, ainda resta uma esperança.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “Queda de braço na questão indígena

  1. A questão indigína passa por uma mudança na visão do pobre irmão e sim um cidadão como outro qualquer, o índio tem direito a terra, colégios, universidades, servir a pátria, produzir, lucrar e consumir, sem a mão amiga, a questão é que o Congresso Nacional, sem pressão popular não vai da sua contribuição, que é o tamanho da terra que cada brasileiro pode possuir, o resto vem naturalmente.

  2. Não podemos esquecer que os mesmos gananciosos que ardilosamente macomunados com brasileiros entreguistas que fatiam o Brasil a fim de reservar virgem a terra para sua exploração,são os mesmos que outrora mandavam o Gen. da 7ª cavalaria matar os indios enquanto colocavam os trilhos das ferrovias e aprisionavam os fragilizados indios que sobravam.

  3. Fregapani. Depois que deste apoio ao grileiro-arrozeiro Paulo Sergio Quartieiro na Raposa Serra do Sol. Tuas ideias são suspeitas. Ainda tem a morte de 21 índios que estão investigando. Quem estiver envolvido vai perder a farda. CUIDADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *