Quem é o verdadeiro parasita no cinema e no mundo real do Brasil de nossos dias?

Resultado de imagem para filme parasita

Pobreza e riqueza não podem conviver pacificamente

Joel Pinheiro da Fonseca
Folha

“Parasita”, vencedor dos principais prêmios do Oscar no domingo (dia 9), não foi o meu filme favorito do ano. (Eu ficaria com “Era uma Vez em… Hollywood” ou “1917”.) Seja como for, o quadro das relações sociais traçado pelo vencedor vem bem a calhar num momento em que a desigualdade desponta como um dos grandes problemas globais.

Em “Parasita”, a extrema desigualdade social faz com que o único caminho para a família Kim sobreviver seja se infiltrar pouco a pouco como serviçais da família Park. Entre fraudes e pequenos golpes para aproveitar algumas das benesses da vida dos Park, que permanecem — em sua inocência — alheios aos planos dos Kim, estabelece-se uma relação parasitária.

DISPUTA DE POBRES – O conflito, contudo, não se estabelece entre parasita e hospedeiro, e sim entre os Kim e outra família pobre com quem disputam as migalhas que caem da mesa dos patrões. Destroem-se mutuamente sem reconhecer o verdadeiro beneficiário de sua situação precária.

Coloca-se, evidentemente, em questão quem seriam os verdadeiros parasitas. Afinal, os Park, que desfrutam uma vida de ócio e prazeres, só o fazem porque contam com o trabalho incessante de desesperados como os Kim, cujo abandono social os leva a se sujeitar a qualquer exploração.

E, para completar, com a exploração econômica vem o desprezo humano, no completo desinteresse dos patrões pela vida dos empregados e seu incômodo com o cheiro deles. Conforme a tensão cresce, um desfecho de violência brutal torna-se inevitável.

UM ESTORVO – Quando rotulamos uma classe ou grupo social de “parasita”, estamos dizendo que ele é um peso, um gasto extra que não gera retorno e que, por isso, pode e deve ser combatido.

Na URSS, o “parasitismo social” era crime previsto em lei, punindo quem não trabalhasse (não raro, intelectuais críticos do regime). Na Alemanha nazista, estigmatizava povos que não tinham um território próprio, como os judeus e os ciganos.

No discurso atual, os “parasitas” podem ser qualquer um: beneficiários de programas sociais, banqueiros, políticos, sindicalistas, imigrantes, artistas, funcionários públicos (como na fala recente de Paulo Guedes).

GRUPOS INTEIROS? – Não há nada de científico aí: em cada caso, faz-se um recorte tendencioso em que o grupo é pintado como uma corja de malandros ou preguiçosos que suga recursos da sociedade. Podemos até aceitar que alguns indivíduos são, com justiça, descritos como parasitas. Mas no caso de grupos inteiros a atribuição é sempre descabida.

Ela é útil para criar ódio: para nos colocar no estado de espírito em que nos dará prazer ver um membro do grupo “parasitário” sofrer. E também nos garantirá um inimigo incondicional, do qual não poderemos esperar colaboração, mesmo para objetivos em comum.

Criticar o termo não é negar a existência de problemas distributivos: seja por setores do funcionalismo que têm salários e reajustes automáticos muito acima do mercado, seja por multimilionários que pagam menos impostos que um trabalhador comum.

JUSTIÇA SOCIAL – Elaborar regras que produzam uma sociedade mais eficiente e justa é um trabalho complexo e muito diferente do mero desejo de punir funcionários públicos ou banqueiros.

O uso do termo pode se prestar à mobilização política, mas não nos ajuda a entender melhor as relações sociais em sua complexidade e nem a resolver os problemas que delas surgem.

Entre os Kim e os Park, quem são os verdadeiros parasitas? Ficar preso a isso só perpetua as relações desiguais que, em última análise, são destrutivas a ambos.

35 thoughts on “Quem é o verdadeiro parasita no cinema e no mundo real do Brasil de nossos dias?

  1. …”Entre os Kim e os Park, quem são os verdadeiros parasitas?” – no brasil, já estão identificados, mas não há inseticidas que os eliminem… há uma audácia de projeto de lei para acabar com prefeituras e vereadores em pequenos municípios (utopia!)… encolher a câmara, o senado, os vereadores, os deputados federais e estaduais = utopia 2…

  2. -Na minha opinião, os verdadeiros VERMES parasitas são os MINISTROS do SUPREMO, verdadeiros Schistosomas mansoni que atrasam a aplicação da Justiça e fazem com que os brasileiros percam a esperança de terem os seus recursos roubados, a sua vida melhorada, de saírem às ruas com segurança e de preferirem um acordo com os bandidos do que procurar os seus direitos em uma Justiça política, parcial e com barriga d’água.

    -Portanto, eles não são apenas INÚTEIS. São totalmente PREJUDICIAIS ao povo brasileiro, uma instância desnecessária criada especialmente para beneficiar os grandes saqueadores desta pobre Nação.
    Graças a eles, ainda vale a pena ser bandido no Brasil.

    Bom dia a todos.

  3. Neste país o parasita tem um nome: é o nosso estado socialista-fascista (capitalista de compadres entre governos e empresas), copiado por Getúlio da Itália de Mussolini.

    Paulo Guedes está fazendo de tudo para exterminá-lo, mas o verme já se transformou num monstro praticamente invencível com o congresso e o STF como seus principais defensores, junto com a esquerdinha, que detesta o capitalismo puro, o de mercado, o que dá melhores resultados econômicos e sociais, pois nele ela perde as boquinha que torna ricos muitos de seus parasitas adeptos.

  4. O filme que ganhou a estatueta como o melhor produzido, Parasita, seria uma perfeita alusão à situação do povo brasileiro catando migalhas para comer caídas das mesas fartas das castas do legislativo e judiciário, que vivem nababescamente às custas daqueles que roubam, exploram e manipulam, e que ainda nos consideram parasitas!

    Jamais este país dará certo com legisladores corruptos, ladrões, incompetentes, traidores, irresponsáveis e perdulários como são os nossos, desgraçadamente!

    Não há como um poder gastar tanto e inutilmente, enquanto não se tem dinheiro para ser investido na saúde, educação e segurança, o tripé que mantém qualquer sociedade assim denominada.

    Os vencimentos absurdos, incompatíveis com a realidade brasileira que se concedem, comprova o escárnio contra o povo, o trabalhador, o aposentado, os assalariados, idosos e crianças.
    Um parlamentar nunca, em momento algum, poderia receber 200 mil mensais como são remunerados deputados e senadores, pois uma afronta!

    Agora, surpreendente, é saber que somos 200 milhões de pessoas que são lesadas e prejudicadas por esta casta imoral e antiética, indecente e desonesta, e ficarmos impassíveis, assistindo a nós mesmos sendo trucidados como ratos e baratas em busca de comida!

    Temos 594 pessoas entre senadores e deputados federais contra duas centenas de milhão de seres humanos, que aceitam pacífica e covardemente serem tratados como vermes, que devem ser esmagados porque esse é o destino do parasita.

    Em qualquer outra nação deste planeta essas injustiças clamorosas e imperdoáveis jamais existiriam. Aliás, é somente o brasileiro que admite pagar fortunas para os tais “homens públicos”, que se prostituem por dinheiro, por desvios de verbas, propinas, venda de votos, trocas de partidos.
    Caso compararmos essa “atividade parlamentar”, o roubo, por excelência, com uma prostituta que vende o seu corpo por alguns instantes, a mulher tem muito mais honra e dignidade que os prostitutos parlamentares, que trocam ética e moral por dinheiro e posição!

    Enfim, eis os parasitas brasileiros, fortes, resistentes, imunes a quaisquer remédios contra o mal que ocasionam nos cidadãos deste país, e que poderíamos até mesmo conseguir um apelido:
    OS PARLASITAS OU PARAMENTARES.

  5. Agora, se queremos mesmo definir especificamente os parasitas do Brasil, os Angiostrongylus cantonensis e Ascaris lumbricoides, então me refiro aos petistas!

    Desde que este partido de ladrões foi fundado, e se agarraram nas tetas do governo de tal forma, que quase mataram a vaca de tanto mamar sofregamente!
    O PT ocasionou até a Mastite bovina ou matite, de tanto sugar o leite do pobre animal, inflamando as glândulas mamárias com tal gravidade, que por um triz quase que morreu!

    Ainda em lenta recuperação, a vaca nacional continua sendo sugada impiedosamente, e existem cidadãos que apostam que ela não vai sobreviver.
    Eu sou um dos que não acredita que o precioso animal consiga se restabelecer por culpa dos parasitas lulistas, pois com amplo índice de letalidade!

  6. Peraí, peraí, afinal de contas esse filme é gringo, ou é luso-tupiniquim-agregados, feito sob medida para a república tipo 171 do Brasil ? Até porque, nesta o Mister HMM, o HoMeM do livro O Mapa da Mina, já detectou, identificou e deu nomes aos maiores parasitas do lombo, sangue, suor e lágrima da população operosa do Brasil (pobres, ricos e remediados), pagadora de tão desumana carga tributária, escorchante e extorsiva, que já consome quase 6 meses de trabalho por ano de cada extorquido, para sustentar legiões e mais legiões de parasitas, que para não “imprecionar” o mundo com o tamanho da boiada, fiquemos apenas nos parasitas maiores e seus tentáculos, todos insaciáveis, e haja carga tributária e trouxas para sustentá-los no bem bom, bem como aos delírios financeiros dos mesmos, principalmente os psicopatas, loucos por dinheiro, poder, vantagens e privilégios, sem limite$, e os portadores de hábitos burgueses, que são os sócios-proprietários da república tipo 171, salvo exceções, os privilegiados do golpismo ditatorial, do partidarismo eleitoral e dos seus tentáculos, velhaco$, à paisana e fardados. Todavia, o dia D dos mesmos está chegando, com Deus na causa, tudo se encaixa, com o universo conspirando contra os mesmos. Portanto, os parasita$ que se cuidem, o deles agora está tb na reta, agora ele$ tb entraram na Berlinda mundial, e quem não se achar parasita porque faz jus ao que cobra e ao que recebe pelos seus bons préstimos, que não vista a carapuça, simples assim.

  7. Gostei muito do filme. Para mim é uma crítica inteligente às diferenças sociais existente em Seul. Pela definição, parasita é aquele que se alimenta de outros, sendo o único beneficiário. A relação da família pobre com a família rica já seria uma espécie de comensalismo.

    Por que o filme foi batizado de parasita?
    Será devido aos atos das famílias que vivem escondidas na casa da família rica? Ou será porque o marido da antiga empregada vive escondido na casa? Pode ser esse o caso, pois num grupo grande onde todos trabalham, o único que só faz se alimentar, sem dar nada em troca é ele.

    Levando o tema à vida real da sociedade, há muitas pessoas que só se alimentam de recursos, sem nunca ter dado nada em troca. Será que eles são os culpados de serem parasitas? É uma questão difícil de definir o porquê. Qualquer resposta simplista não serve para nada.

    Voltando ao filme, será que não foram as circunstâncias sociais que levaram primeiro parasita a agir dessa forma? Já o segundo parasita não tinha alternativas. Tinha que ficar escondido ou ser preso e aí também seria parasita, como tantos outros presos.

  8. Desculpe voltar a questão que ninguém quer abordar:

    Se a fala de Guedes , citando os parasitas que sugam a arvore (mesmo sem energias, quase à morte) four usada no sentido amplo, dirigida a todo o sistema publico brasileiro, suas estruturas, seu funcionamento, os milhares de órgãos inuteis e superpostos, os poderes e estruturas que simplesmente não funcionam ou se justificam, os privilégios, os custos e benesses desenfreados etc……..não está correta???

    Não perdemos uma oportunidade de discutir corretamente o que fazer com todo este absurdo que chamamos de “Estado” no Brasil??

    Não fizemos o mais fácil, de utilizar a parte sofrida dos funcionários públicos e nos indignarmos com este malvado que quer acusar o coitado do barnabé (ainda se diz isso???) e com esta atitude “piedosa” mantemos tudo como está???

    OU foi estratégia pensada do Guedes para não mudar nada, ou foi muita má vontade ou incompetência e visão estreita m as o fato é que ninguém deu qualquer chance para prosperar o debate….

    Todo mundo quer mudança, desde que nao seja nos funcionários, nas estatais, os direitos adquiridos, nos conselhos inuteis, na “independência dos poderes”, na representação do meu estado ou da minha cidade, na verba do meu projeto…etc…etc.etc…etc

    Qual a opção???

    Lamentar a situação e dizer que o filme tal nos representa??

    Como votou, como se comportou, nos principais temas o seu deputado e o seu senador?

    os meus tenho acompanhado e posso dormir tranquilo.

    Sugiro que façamos um levantamento dos temas, projetos, decretos, leis, resoluções que transitaram ou morreram na intenção e cada um coloque seus representes dentro dele.

    Verifique o desempenho e aprenda a votar

    È o primeiro passo.

    Com dor no peito, tenho encerrado discussões com meus amigos esquerdistas ou centristas, com uma simples pergunta?

    Como votou teu deputado ou senador na questão tal?
    O voto representa preocupação com o Brasil e todos nós ou apenas uma mostra de poder?

    Infelizmente algumas amostras que fiz são terríveis.
    Existem deputados e senadores , que não tem um único voto a favor de projetos de interesse minimo do Brasil.

    Não sao representantes do Brasil, são soldados para destruir o outro lado , mesmo que isto custe o nosso presente e nosso futuro

    E chamam isto de democracia representativa e com camisetas de ” ele me representa” o reelegem na próxima eleição.

    Então como primeiro passo, vamos cuidar de como anda a raposa que colocamos para cuidar do galinheiro

    O resto é consequência

  9. Um parceiro parasita de Lula (que também foi um parasita como toda a corja do PT e agregados – mas não só eles, porque temos outras “autoridades” parasitas no Brasil -) parceiro parasita de Lula porque Lula investiu dinheiro do erário a fundo perdido a favor de “obras” fraudulentas em Angola, presidida desde sua independência pelo MPLA, tendo como Presidente de Angola o ladrão José Eduardo dos Santos, que lavava dinheiro, e muito , através de sua filha Isabel dos Santos, e se diziam “comunistas” , finalmente foi desmascarado. E caiu em desgraça após quase 40 anos de ditadura em Angola.

    O arresto dos bens da filha de José Eduardo dos Santos, a ladra Isabel dos Santos, em Portugal, foram pedidos pela Justiça de Angola, como mostra a reportagem do jornal português “Público”, de hoje, 12/02/2020. Vejam, no link abaixo, como aquele ex-guerrilheiro, que se tornou um tirano ladrão com seus generais, como o MPLA roubou dinheiro do erário de Angola, e dizendo-se cinicamente que eram “comunistas”:

    https://www.publico.pt/2020/02/11/economia/noticia/justica-portuguesa-congela-contas-bancarias-isabel-santos-avanca-expresso-1903722?utm_term=Partidos+travam+referendo+a+eutanasia%3B+contas+de+Isabel+dos+Santos+congeladas%3B+Benfica+sofre+mas+vai+ao+Jamor&utm_campaign=PUBLICO&utm_source=e-goi&utm_medium=email

    • Se não me engano, Angola já pagou sua dívida e em dólares. Como as exportações de bens e serviços àquele país foi feito pagando reais aos exportadores, quando o dólar estava desvalorizado em relação ao Real, o Brasil lucrou com essa operação. Aliás indepedente do governo de plantão sou favorável a esse tipo de operação. Com boas garantias, o Brasil ganha.

    • Tenho acompanhado a saga desta bandida e do seu bando. Esta e a trupe gatuna da cabranagem do MPLA, da gatunagem que é Angola, foram os responsáveis pelo saque nunca antes visto, nem sequer durante a colonização, de Angola e particularmente da queda abrupta daquela economia desde 2014 (estive lá entre 2011 e 2017), mas particularmente desde janeiro de 2016, altura em que proibiram toda e qualquer transferência bancária entre Angola e outros países (proibiram para os outros, para estes gatunos não, naturalmente). Diziam que se devia à queda do preço do petróleo. Sacanas! Só lamento que as autoridades portuguesas tenham colaborado na lavagem de dinheiro com esta gente. Agora fazem de conta que não sabiam! Vários sectores: cimenteiras, energia, telecomunicações (a zabelinha, como lhe chamo, e seus correligionários estavam em todas!). Uma lavandaria autêntica. Sempre soubemos disto. Não é novidade nenhuma. Só não acreditei que pudesse assistir à “queda” (entre aspas porque têm muito do que roubaram guardado que lhes dá para 30 encarnações) desta canalha, tão cedo. O zezinho (chamam-lhe Zedu, por lá) é o grande controlador disto tudo. Dos maiores caras de pau que já vi. Nem sei se o Lula (tenho acompanhado o Brasil, também) conseguirá ser assim… O zezinho vai tratar-se a Madrid onde tem uma residência de 6 milhões de dólares; a zabelinha tem uma residência de 14 milhões de dólares no centro de Londres. O Sindika, pulha “marido” desta esterca negocia em diamantes e tinha galerias de arte (dizia ele). Há poucos dias, antes deste congelamento de contas, o Sindikazinho foi apanhado no aeroporto de Lisboa por uma reportagem da CMTV quando veio delegar poderes aos advogados para o safarem desta enleio e dos dinheiro que tem a rodar na lavandria portuguesa. Havia de vê-lo: mochila às costas, óculos postados nas trombas, parecia um pedinte, do mais discreto que havia. Nem uma palavra aos jornalistas O Mal atrai-se: Sindikas, zabelinhas, zezinhos, a putaria toda à volta desta canalhada (portugueses, angolanos e outros).
      Boa notícia nisto tudo: um miúdo português, Rui Pinto, acho que é o nome, hacker de informática, a braços com a justiça portuguesa agora, está identificado como tendo sido o libertador da documentação entregue ao consórcio de jornalistas de investigação, sediado em França, responsável pela posse de mais de 700 000 documentos que provam as canalhices da zabelinha e correligionários. Um puto de 20 e poucos anos, que estava na Hungria e agora enfrenta prisão preventiva e possível julgamento por causa do roubo e documentos ao Benfica e sua venda ao Futebol Clube do Porto (rivais). No meio disto, soubemos que foi ele quem levou ao Luanda Leaks e é precisamente o consórcio francês de jornalistas que mais pugna pela libertação e protecção do miúdo uma vez que a justiça portuguesa, naturalmente, sabe que nos negócios da zabelinha estão muitos graúdos da política e não só que com ela e com o regime corrupto de Luanda colaboraram.

  10. Data vênia caro JPF, vocês mente quando afirma que os servidores públicos tem reajustes automáticos, de onde você tirou isto? Não se esqueça de que nem todos os servidores públicos pertencem ao Judiciário ou do Legislativo, estes poderes zeraram a inflação, os do Executivo não. E a média dos salários dos servidores públicos em geral é de R$2.500,00 , não de R$25.000,00. Sou contra qualquer tipo de privilégio e de parasitismo também.

  11. O Brasil haverá de melhorar quando a péssima e aviltante distribuição de renda, que perdura há décadas e se acentua, aprovar uma “Reforma Tributária” que distribua entre os entes federativos quinhões proporcionais às necessidades dos municípios, Estados e Governo Federal.
    A maioria da população brasileira mora em cidades, quando antigamente era em áreas rurais. O grosso da arrecadação tributária concentra-se no Governo Federal, mas a massa populacional vive nas cidades.
    Parasita é quem não produz e vive encostado nos outros, ou seja, pra que isso mude urge que tenhamos ensino público de qualidade e acessível a todas as classes sociais e que a elas, sejam dadas noções de civismo e ÉTICA, esse último totalmente desconhecido dos 6 integrantes das 2 famílias retratados no filme sul-coreano PARASITA.

    • Caro Duarte, no teu link eu destacaria:

      “Na divisão por Poderes, quem ganha mais são os que trabalham para o Judiciário. Em valores corrigidos, a remuneração na esfera federal passou de R$ 7,4 mil em 1986 para R$ 14,1 mil em 2017, um crescimento anual médio de 2%.”

      Abraços.

  12. Desatualizado o texto. Hj a Finlândia, como outros países, teve diminuída a natalidade e houve aumento da isade da população. Então, o sistema de Previdência e de saúde está exigindo mais e mais recursos. É um problema grande.

    • Vidal, tem um detalhe que nunca é dito: os funcionários públicos continuam pagando aposentadoria depois de aposentados (não sei se todos eles).
      Com a reforma, pensei que tal “direito” também fosse estendido a todos.

      Abraços.

      • Salvo engano, esse desconto começou na era PT. E nem sei como está hoje, mas era sobre o valor que ultrapassava o teto do INSS. E a partir de 2003, os servidores públicos federais que ingressam no governo não ganham mais a integralidade de salários quando se aposentam. Alguns estados já copiaram esses ajustes e até ampliaram o desconto..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *