Quem tem medo de Lula e de Dilma?

E se Lula, de repente, resolve contar sobre os empreiteiros?

Francisco Bendl

Lula e Dilma me lembram o filme “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?”, em que marido e mulher retornam bêbados para casa após uma festa, e acolhem em sua residência um casal diante do horário avançado, pois homem e mulher moravam longe do local da reunião.

Nesse meio tempo, esposo e cônjuge discutem a sua relação através de fortes acusações, ofensas e agressões em frente aos convidados.

Elizabeth Taylor ganhou o seu segundo Oscar por esta interpretação, que foi acompanhada pelo seu marido, à época, Richard Burton.

Lula, enquanto presidente da República, deve ter virado do avesso o Brasil no que diz respeito a fuçar nos segredos que havia entre a nação e seu mundo empresarial; parlamentares e seus comportamentos baseados em dividendos sobre contratos aprovados com a União; aparelhamento do Estado, compromisso dos ministros nomeados ao STF, e que devem ter se comprometido com o ex-presidente de uma forma ou de outra como agradecimento ao tão sonhado posto.

BOCA NO TROMBONE

Imaginem se Lula, e ele não precisa beber, resolver botar a boca no trombone e relatar essas relações promíscuas entre os poderes, com banqueiros, empreiteiros, os planos de roubos ao erário, as divisões com os aliados do produto dessas falcatruas, a maneira como o ex-presidente deixou o País à sua mercê, do seu jeito!

Assim, Lula deve soltar os cachorros sempre que se encontra com a sua colega de partido, a petista Dilma, acusando-a de colocar em risco essas relações estabelecidas fundamentalmente à base de corrupção e desonestidade, traição ao Brasil e ao povo, em face do dinheiro vultoso obtido explorando e extorquindo a população e País.

DELÍRIO

Dilma e a sua incompetência, confusão mental e comportamento que beira o delírio, deve deixar Lula temeroso de que a parcela de conhecimento que Dilma possui desses escândalos venha à tona, tanto pela paciência que ela pode perder em qualquer momento, quanto pela maneira de ter supostamente encontrado uma fórmula para amenizar sua culpa pelas sandices praticadas e sua omissão sobre os ilícitos cometidos pelo PT, certamente a pedido de Lula, em face do objetivo traçado de amealhar um patrimônio formidável durante o período que o PT está no poder, e cuja concessão se estendia aos amigos que colaboraram neste sentido.

Pois estava o ex-presidente tão tranquilo quanto à impossibilidade de o seu nome ser envolvido em qualquer processo, que não pensou no Plano B, de ser denunciado por cúmplices, diante da sua certeza de que Dilma faria um bom governo, receita para qualquer crise ser esquecida ou escândalo denunciado.

DEU TUDO ERRADO

Acontece que não somente o petrolão veio à baila, como o desempenho da presidente tem sido o pior possível, justamente os dois vetores que, unidos, poderão acarretar sérios e graves problemas ao petista pelo desvio de rota, antes um pouso programado em grande aeroporto, hoje uma descida de emergência, e sabe-se lá onde vai aterrissar!

Mas quem tem medo de Lula? Empreiteiros? Banqueiros? STF? Parlamentares? BNDES? Partidos aliados? As Instituições Brasileiras? Os governadores e ex-governadores do PT? Por fim, a quem Lula mais causa medo, pavor, a quem mais amedronta, na eventualidade remotíssima – mas uma possibilidade, por que não? – de chutar o balde e confessar como foi o seu governo e como escolheu Dilma à sua sucessão e para quê?

Bem, caso Lula tenha um ataque e decida contar a sua história, o Brasil virará de cabeça para baixo, e salve-se quem puder!

 

20 thoughts on “Quem tem medo de Lula e de Dilma?

    • Juca, meu caro,
      Ontem estive fazendo exames, e não me senti muito bem, então não respondi aos comentários imediatamente às suas postagens.
      Peço perdão, mas faço-o neste momento.
      Obrigado sempre pelo apoio e incentivo.
      Um forte abraço.

  1. Mais um sensacional artigo do Chico Bendl.

    O tamanho da destruição que esse canalha – da foto acima – já causou a este Brasil certamente já entrou na casa dos trilhões de reais.

    Levaremos décadas para nos recuperarmos.

    • Isac, meu amigo,
      Grato pelas palavras quanto ao artigo.
      A respeito de continuarmos sendo arrasados pelo PT, indiscutivelmente os danos e prejuízos ao povo e à Nação serão imensuráveis, absolutamente inalcançáveis por qualquer método matemático para se avaliar os roubos e a destruição que os petistas deixarão o País ao entregá-lo para o sucessor de Dilma em 2018.
      Aliás, pobre deste sucessor, que deverá governar com o Papa Francisco ao lado e este requisitando a presença de anjos e santos para auxiliá-lo nesta tarefa gigantesca que terá para nos reerguer.
      Um abraço, meu amigo.

  2. QUE DILMA NÃO SE ENTREGUE PARA A ‘FÓRMULA JOBIM’
    http://jornalggn.com.br/noticia/lula-e-jobim-avaliam-que-dilma-nao-renuncia-nem-cai-diz-colunista#.VgsGyjq8Tv1.facebook

    Os presidentes do Senado e da Câmara, Renan Calheiros e Eduardo Cunha, desafiam a Dilma Rousseff com pautas que só aprofundam a crise; de outro lado, a grande mídia estimula divisionismo entre a presidente e seu vice Michel Temer, e alguns jogam como ‘solução de governabilidade’ a ideia de restringir as ações da presidente. E visam o que? Meras vantagens, ou adotariam ações mais elevadas e significativas.

    O jornal Folha de S. Paulo noticiou que Lula e Nelson Jobim sentaram-se pra conversar e teriam concluído que a presidente precisa de um ‘nome forte’ para comandar o governo. Assim, Dilma cuidaria apenas de cerimônias e política internacional, mais ou menos nos moldes do antecessor. Aí tem, que a história não cale: Jobim foi o gestor do ‘superávit primário’, que já leva quase 50% do PIB e poucos se importam.

    Para que não pairem dúvidas, juntemos os pontos: 1. Jobim violou a Constituição inserindo nela o dispositivo do ‘superávit primário’ que usurpa a economia e trava o desenvolvimento; 2. Lula desprezou a Constituição deixando o Brasil à deriva enquanto fazia 240 viagens pelo mundo; 3. Ambos repercutem como ‘solução’ que Dilma Rousseff recrute um ‘nome forte’ e se ausente do governo como fazia o antecessor.

    A propósito, é oportuno resgatar o “tijolaço” assinado por Leonel Brizola como presidente do PDT Nacional e publicado nos jornais Folha de S. Paulo, O Globo, Extra, Zero Hora e Correio Braziliense (09/10/2003):

    A insólita revelação do sr. Nelson Jobim de que, na promulgação da constituição de 1988, ele próprio participou de uma fraude para introduzir no texto constitucional artigos que não foram votados pelos constituintes, deixa o hoje ministro do Supremo em posição ética e jurídica delicada, para não dizer insustentável, como integrante da mais alta corte constitucional deste país. Como pode alguém que deliberada e conscientemente violou, no nascedouro, a Carta Magna, ser agora aquele que vai julgar, no Supremo Tribunal Federal, as questões constitucionais?

    O absurdo é maior ainda que Sua Excelência diz que não apenas um, mas dois artigos foram introduzidos na Constituição sem o voto daqueles que, legitimamente, tinham o poder de fazê-lo. E mais: numa atitude chocante, julga-se no direito de nem mesmo revelar qual foi o segundo enxerto que praticou, dizendo que só o fará em livro que irá lançar! O que pretende o sr. Ministro? Vender mais livros? O país e outros ministros do STF devem esperar o que mais de falso na Constituição?

    Francamente, em qualquer país sério, um ministro do Supremo envolvido em tal episódio estaria, a esta altura, apresentando sua renúncia e pedindo desculpas ao país e à consciência jurídica. Alguém tem dúvidas de que seria assim nos EUA, na Inglaterra ou na França? Mas aqui o ministro Jobim ainda se julga no direito de pavonear-se, quase que afirmando que é graças à burla da qual participou que a Constituição aperfeiçoou-se! Depois desta revelação chocante, o que pensar dos escrúpulos do ministro Jobim em relação à verdade, ao rigor jurídico? Como pode a consciência nacional aceitar tais procedimentos?

    Pior, como alguém pode se sentir seguro quando Sua Excelência foi, de forma ativa e exorbitante, o patrocinador da recente abolição dos sistemas de impressão que poderiam impedir as possibilidades de fraude na urna eletrônica? O PDT, depois desta revelação, mais que nunca sente-se no dever de impugnar a intervenção escandalosa do ministro, num processo que culminou com a revogação da única garantia de que nossas eleições não possam vir a ser eletronicamente fraudadas. Por muito menos, pela violação do sigilo do voto dos senadores, que é um nada perto da violação do texto constitucional, vimos o processo de condenação pública que se abateu sobre seus responsáveis, que os levou à renúncia.

    A violação cometida pelo sr. Jobim é de natureza muito mais grave, porque alterou o próprio texto da Constituição em vigor, a cujo cumprimento todos se obrigam. Ou a pretensão de Sua Excelência é tanta que se julga acima da ética e da lei, e que ter fraudado a Constituição deve ser algo impune apenas porque o fraudador é ele próprio? Se as instituições políticas e jurídicas deste país aceitarem que isto fique sem conseqüências, então estarão estimuladas as práticas de todo tipo de fraudes, porque nenhuma poderá ser maior que a que se fez contra a Lei das Leis.

    EM TEMPO: A presidente acertou em cheio no veto à ingerência do setor privado na política, mas errou feio ao vetar a impressão do voto eletrônico, que Leonel Brizola defende no texto acima como “garantia de que nossas eleições não possam vir a ser eletronicamente fraudadas”.

  3. Gostoso de ler este seu artigo, sr. Bendl. Mas não tenho nenhuma ilusão quanto ao desfecho aí exposto, pelo simples motivo que lula é da elite faz tempo. Como tal, aplicará a fórmula Malluf até seu último dia: não sei; não fui eu.

    • Prezado Tarciso,
      Alegro-me que tenhas gostado do que escrevi, obrigado.
      Quanto ao desfecho do PT, podemos ter apenas uma única certeza:
      O Brasil está sendo destruído, e sequer temos a ideia de como o sucessor de Dilma receberá esta Nação em 2016.
      Afora os déficits nas contas do País, imagina, Tarciso, a situação do povo.
      Desemprego, inflação, juros que podemos classificá-los como obra de estelionatários, o cidadão brasileiro e sua família cada vez mais endividado porque não tem como fazer frente aos juros que lhe são cobrados pelos bancos e atrasos em suas contas, até mesmo as contratações temporárias para o fim de ano estão paralisadas, as filas à procura de vagas para qualquer trabalho são imensas, as pessoas para obterem qualquer tostão se encaminham à informalidade e, desta forma, a diminuição da receita da Previdência, menos receita da indústria e comércio, um Brasil simplesmente estagnado e sem qualquer perspectiva de futuro!
      Um abraço.

  4. Excelente artigo, apresentando exclusivo protagonismo local para tudo que vem ocorrendo no Brasil da “Era PT”! Torçamos se comprove que, de fato, todas as delinquências que estão vindo à tona, tenham sido praticadas exclusivamente por iniciativa independente dessa gangue de “farabuti”! Me parece pouco provável, mas das ameaças possíveis à nação, seria a menor!

    • Zaratustra,
      Grato pelo registro que fizeste do artigo em tela.
      Apelo para a tua sabedoria para nos mostrar o caminho que devemos percorrer para que encontremos a saída desta situação de desespero que nos encontramos, de ver as nossas economias sendo dilaceradas por juros escorchantes e extorsivos, desemprego, inflação, um País que se encaminha célere à ruína.
      Além dessa administração caótica, incompetente, desonesta e corrupta, não bastam as denúncias contra nossas autoridades civis, Lula, Dilma, Cunha, cujas informações da Suíça comprovam depósitos bloqueados nos bancos helvéticos, pois seguem comandando o Brasil como se nada tivessem feito de errado, de terem praticado crimes nunca antes registrados na História do Brasil, comprovando que somos mesmo um povo de segunda classe, lamentavelmente!
      Um abraço, Zaratustra.

    • Caríssimo Werneck,
      Uma honra quando comentas algo escrito por este escrevinhador.
      Muito obrigado pela consideração.
      Nessas alturas, e diante dos crimes cometidos pelos petistas, acho quem deve ter medo de Lula e Dilma, o casal maligno, é o povo.
      Nada explica ou justifica atribuir à população a incompetência deste desgoverno em forma de impostos elevados, aumentos nos combustíveis, gás, inflação, desemprego, juros em níveis de agiotagem explícita, endividamento do cidadão e eliminação gradativa da classe média, de modo que se aproxime dos pobres e, o casal demoníaco, divulgue que os brasileiros finalmente pertencem agora à tão sonhada classe almejada.
      E tem gente que faz questão de exigir provas contundentes para que a Dilma sofra o impedimento.
      Mais provas que essas?!
      De arrasar com o povo?
      Destruir o Brasil?
      Aumentos nos combustíveis que desencadearão reajustes nos preços dos alimentos, principalmente, e demais produtos porque todos estão intimamente ligados ao transporte via rodovia, os juros a cada dia aumentam, transformando a vida do brasileiro em uma saga interminável de sofrimento, injustiça e falta de futuro?
      O que este casal infernal pensa do País e população?
      Olha, caro Werneck, não vejo solução através de meios considerados legítimos e pacíficos para o Brasil.
      Ou reformamos a Constituição e, em consequência, os três poderes ou, então, ali adiante seremos uma Síria, Líbia, Egito … e estou me baseando nesta violência indiscriminada que toma conta do Brasil, que mata assassinadas mais de quinze mil pessoas por ano, e que poderá nos levar para reações inimagináveis quando o povo não tiver mais como se sustentar, de ganhar um salário por menor que seja, mas apenas se defrontar desde que acorda até ir dormir com extremas dificuldades de sobrevivência, enquanto que o Legislativo – culpado maior desses problemas insolúveis – paga nababescos salários para ladrões – que tal as denúncias vindas da Suíça contra o nosso nada mais nada menos presidente da Câmara Federal?! -, corruptos, desonestos, perdulários e vagabundos parlamentares, traidores da Pátria, reles criminosos.
      Deves perceber que perdi a paciência, e que estou me lixando para esta lei que um vagabundo e ladrão quer instituir de proibir que as “autoridades” sejam ofendidas pelas redes sociais.
      Legal. Eu até concordaria, desde que esta lei criada por um dos cúmplices dos criminosos que nos comandam, fosse extensiva aos roubos e más gestões de nossos governantes, que deveriam ser presos imediatamente, e não continuarem à testa do Brasil como se as denúncias simplesmente não existissem e as provas apresentadas meros desenhos feitos por crianças em folha de papel.
      Convenhamos, caro e célebre advogado e jornalista, assim não há quem aguente!
      Um abraço afetuoso, Werneck.
      Uma excelente quinta-feira.

  5. A professora de Direito Constitucional Samantha Meyer-Pflug disse nesta quarta-feira, em audiência pública da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, que a falta de regulamentação da atividade de lobby no Brasil prejudica a atuação do agente público.

    A audiência foi realizada para a discussão do Projeto de Lei 1202/07, que regulamenta a atividade de lobby.

    Samantha, que estuda as relações entre o lobby e o governo, disse ainda que, apesar da má reputação que a atividade de lobista tem no Brasil, existe tipificação criminal para a corrupção e o tráfico de influência – que não devem ser confundidos com lobby.

  6. Blog
    Reinaldo Azevedo

    03/06/2015
    BNDES cobrou juros “de pai para filho” em 70% dos empréstimos feitos no exterior

    Por Eduardo Gonçalves e Ana Clara Costa, na VEJA.com:

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) cobrou taxas de juros menores do que as aplicadas em operações brasileiras para financiar obras de infraestrutura em países da América Latina e da África. Levantamento do site de VEJA feito com base nos dados divulgados nesta terça-feira mostra que 70% dos 11,9 bilhões de dólares emprestados entre 2007 e 2014 foram operações a juros abaixo de 5% ao ano. Isso equivale a 58% dos 516 contratos firmados no exterior neste intervalo.

    No período em que os empréstimos internacionais foram concedidos, os juros praticados pelo BNDES para grande parte das operações no Brasil variaram de 5% a 6,5%, acrescidos de uma taxa que leva em conta o risco país. O custo dos financiamentos em território nacional tem como base a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), que também é usada para corrigir a rentabilidade do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), uma das principais fontes de financiamento do banco de fomento. Trimestralmente o governo revê o porcentual da TJLP. Caso ela seja elevada, como vem acontecendo desde outubro do ano passado, os juros atrelados à taxa também aumentam. Ou seja, a TJLP é variável mesmo para contratos já firmados.

    Diferentemente do Brasil, as condições oferecidas pelo BNDES a países como Argentina, Venezuela, Angola e Cuba não só incluem juros menores, como também fixos. Do total de 682 milhões de dólares que a instituição liberou para a construção do Porto de Mariel, na ilha dos irmãos Castro, 400 milhões de dólares foram cedidos a um custo de 4,4% ao ano – abaixo da TJLP e do custo de captação do FAT. Ou seja, o BNDES pagou mais para obter recursos junto ao fundo dos trabalhadores do que recebeu dos clientes cubanos. No caso da Venezuela, a operação foi semelhante. O banco de fomento liberou 865 milhões de dólares para que Hugo Chávez construísse uma usina a um ganho 4,45% ao ano. Trata-se de uma opção de investimento que torna até mesmo a caderneta de poupança – uma das piores aplicações de renda fixa do mundo – atrativa.

    Países – Apesar de o caso cubano ser o mais emblemático, porque carrega a herança ideológica dos governos petistas, a ilha está longe de ser o maior destino dos recursos do banco. Enquanto Cuba recebeu 846 milhões de dólares, Angola foi o país campeão em concessão de crédito, abocanhando 3,38 bilhões de dólares em financiamentos para obras de infraestrutura e saneamento básico. Somente a construtora Odebrecht foi responsável por obras no país africano cujo financiamento alcançou 2,53 bilhões de dólares. Entre as principais empreitadas está a construção da hidrelétrica de Cambambe, que custou 464,4 milhões de dólares aos cofres do banco de fomento. Reportagem de VEJA revelou, em fevereiro deste ano, que a obra tinha entre seus prestadores de serviço a empresa Exergia Brasil, de Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho do ex-presidente Lula.

    O segundo país que mais recebeu recursos do banco foi a Venezuela, com 2,25 bilhões de dólares em apenas quatro contratos executados pela Andrade Gutierrez e também pela Odebrecht. Na República Dominicana, terceiro maior beneficiário das torneiras abertas do banco, foram 2,20 bilhões de dólares em empreendimentos de infraestrutura executados majoritariamente pela Odebrecht – a empreiteira abocanhou 15 dos 19 contratos no país. Metade das operações de financiamento do BNDES na República Dominicana tiveram juros abaixo de 5% ao ano.

    A Argentina é o caso mais curioso. Apesar de não ser o principal destino de recursos, o país fechou 414 contratos com o BNDES, o equivalente a 76% de todas as operações do banco com países estrangeiros. A soma dos empréstimos, contudo, é de ‘apenas’ 1,9 bilhão de dólares. A Odebrecht, novamente, é a maior executora: foi responsável por 348 contratos no país, no valor de 1,6 bilhão de dólares. O grande volume de operações contrasta com os baixos valores descritos em cada uma delas: o menor contrato, de apenas 4.500 dólares, prevê obras de engenharia na planta de tratamento e no sistema de distribuição de água da cidade argentina de Paraná de las Palmas.

    Construtoras

    A Odebrecht é, de longe, a empreiteira que mais recebeu recursos do banco para empreender fora do Brasil: foram contratos de 7,4 bilhões de dólares, ou 62% do total. Em seguida, vem a Andrade Gutierrez, com 2,62 bilhões de dólares. Já a Queiroz Galvão abocanhou 388 milhões de dólares em contratos, enquanto a Camargo Correa ficou com a fatia de 194 milhões de dólares.

    • Prezado Ednei Freitas,
      Grato pelo comentário.
      Imagino o dia que o BNDES passar por uma auditoria e o povo tomar conhecimento dos prejuízos que Lula e Dilma nos acarretaram com empréstimos a fundo perdido, afora juros que escreveste terem sido de “pai para filho”, diferente dos que são cobrados de nós, do cidadão brasileiro, simplesmente os mais elevados do mundo no momento!
      Que dupla do mal este casal de petistas, que mais parece uma praga que nos rogaram, e temos agora de suportar sofrimento e padecimentos nunca antes experimentados pelo povo.
      Um abraço.

  7. Caro Francisco Bendl,
    Seria muito bom para o país se Lula falasse toda a verdade sobre esse
    tremendo esquema de corrupção, mas isso só vai acontecer quando a
    galinha criar dentes. Os que apoiam o Lula só pode ser por medo ou por agradecimento.

  8. CNN en Español
    16 julio, 2015

    Lo más importante
    Lula es investigado por acusaciones de haber influido en estatal Banco Nacional de Desarrollo Económico y Social para que le concediera créditos a la constructora OdebrechtLos hechos ocurrieron después de que Lula terminara su mandato en Brasil

    (CNN Español) – CNN confirmó este jueves que el Ministerio Público Federal de Brasil abrió una investigación penal contra el expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva para averiguar si incurrió en delito de tráfico de influencias para favorecer una constructora.

    Lula es investigado por acusaciones de haber influido en estatal Banco Nacional de Desarrollo Económico y Social, el BNDES, después de concluir su mandato, para que le concediera créditos a la constructora Odebrecht destinados a financiar obras en otros países latinoamericanos y africanos.

    Por su parte, la asesora de prensa del Instituto Lula dijo a CNN que: “recibimos con sorpresa la apertura de la investigación, ya que entregamos las informaciones la semana pasada a la Procuraduría de la República, y consideramos que ha pasado poco tiempo. Estamos seguros de la legalidad y sinceridad de todas las acciones del instituto.”

    Lo que se investiga es una supuesta labor de Lula como consultor cuando ya no era presidente. Esto fue en el periodo entre 2001 y 2014. El trabajo del expresidente consistía, según los investigadores, en favorecer a la constructora y, a cambio, Lula recibía algún tipo de compensación que lo llevó en varias ocasiones a viajar por varios países de América Latina y África para dar conferencias en las que lo presentaban como una persona afín a la empresa.

    Estos hechos son los que están serán investigados en este proceso que comienza este jueves en el seno de la Procuraduría de la República en el Distrito Federal. El cargo que se le imputa es de tráfico de influencias con actores políticos internacionales. Las investigaciones intentarán esclarecer si Lula utilizó su renombre internacional como expresidente para conseguir cuantiosos contratos para Odebrecht.

    La revista Epoca reportó en mayo de este año que Lula era sospechoso de usar su nombre y poder político para otorgarle contratos a Odebrecht en América Latina y África entre 2011 y 2014.

    La Procuraduría de Brasil confirmó en ese entonces que había una investigación preliminar para determinar si Lula usó su influencia política para llevar a Oderbrecht —la mayor empresa de ingeniería de construcción brasileña— a ganar contratos en obras de gran magnitud en países como República Dominicana, Ghana y Cuba.

  9. Meu caro Jacob,
    Infelizmente tens razão.
    Vejo também como impossível Lula ter um rasgo de consciência como homem, pelo menos, e trazer à tona o esquema elaborado à manutenção do poder pelo PT e as formas que planejou de assaltar as estatais, além da instituição da corrupção como moeda vigente no País.
    Apesar de que não há necessidade de Lula vir a público e confessar os seus crimes, diante da avalanche de testemunhos e documentos que comprovam a sua participação no petrolão e outros atos ilícitos levados a efeito pelos petistas, grupelho de traidores da Pátria e do povo brasileiro.
    Enfim, Lula e Dilma se constituem a nossa doença terminal, o mal que nos levará irremediavelmente ao desaparecimento como Nação, ocasionando a divisão deste País entre seus compatriotas, e quanto à possibilidade mesmo que remota, porém palpável, de esta separação não motivar o enfrentamento entre irmãos, liquidando de vez com o Brasil!
    Um abraço, Jacob, meu caro.

Deixe um comentário para Francisco Bendl Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *