Ramos diz que Bolsonaro ameaçou interferir em “todos os ministérios” e que Moro pode ter se equivocado

Ramos minimizou e disse que Bolsonaro ameaçou Heleno de demissão

Aguirre Talento e Bela Megale
O Globo

Em depoimento prestado nesta terça-feira, dia 12, o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) apresentou novas informações sobre a reunião gravada em vídeo no último dia 22 de abril e disse que o presidente Jair Bolsonaro ameaçou “interferir em todos os ministérios” para melhorar a qualidade dos relatórios de inteligência recebidos por ele.

Ramos ainda afirmou que, na referida reunião, Bolsonaro não se referiu à troca do superintendente da Polícia Federal no Rio, mas sim sugeriu que trocaria o chefe da sua segurança pessoal  — versão repetida pelos outros dois ministros ouvidos nesta terça-feira e também pelo presidente.

RELATÓRIOS – “Nessa reunião, o presidente Jair Bolsonaro se manifestou de forma contundente sobre a qualidade dos relatórios de inteligência produzidos pela Abin, Forças Armadas, Polícia Federal, entre outros, e acrescentou que para melhorar a qualidade dos relatórios, na condição de presidente da República, iria interferir em todos os ministérios para obter melhores resultados de cada ministro”, diz o depoimento de Ramos.

Ramos afirmou ainda que Bolsonaro não direcionou a ameaça de demissão ao então ministro da Justiça Sergio Moro, mas sim ao ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional.

TROCA DE MINISTRO – Segundo ele, Bolsonaro citou “a título de exemplo, se ele não estivesse satisfeito com sua segurança pessoal realizada no Rio de Janeiro, ele trocaria inicialmente o chefe da segurança e, não resolvendo, trocaria o ministro, e nesse momento olhou em direção ao ministro Heleno”.

Em seu depoimento, Ramos disse que Moro pode ter tido “interpretação equivocada” sobre o teor da declaração de Bolsonaro na reunião.

14 thoughts on “Ramos diz que Bolsonaro ameaçou interferir em “todos os ministérios” e que Moro pode ter se equivocado

  1. Inacreditável! É um colossal show de trombadas e caneladas entre ilustres generais. Quanto mais falam e se contradizem, mais ainda Bolsonaro fica desmoralizado. Correndo no fio da navalha. Os ministros generais também se humilham entre si. Mancham o currículo de bons serviços ao país. Agem melancolicamente como babá de um menino revoltado, mimado e mal educado. Francamente.

    • Old Major: Todo aquele que anda com 2 pernas é um inimigo. Todo aquele que anda sobre 4 pernas ou tem asas é um amigo.
      Parafraseando George Orwell acima, poderíamos dizer que todo aquele que vem das armas, que é da reserva, e é amigo do Bolsonaro, é um adversário de quem é contra o presidente amigo.
      Então pra quê ouvir o general da reserva remunerada, chamado para ser ministro por um companheiro da juventude e das armas. Esse ministro tem duas pernas e não tem asa! E ganha um segundo salário polpudo!

  2. Lendo esse depoimento do ilustre Ministro tentando se esquivar e sugerir novas interpretações do que foi dito lembrei da musica do Gabriel o pensador… segue um trecho…

    “Até quando você vai ficar usando rédea?
    Rindo da própria tragédia?
    Até quando você vai ficar usando rédea?
    Pobre, rico ou classe média?
    Até quando você vai levar cascudo mudo?
    Muda, muda essa postura
    Até quando você vai ficando mudo?
    Muda que o medo é um modo de fazer censura
    Até quando você vai levando porrada, porrada?
    Até quando vai ficar sem fazer nada?
    Até quando você vai levando porrada, porrada?
    Até quando você vai ser saco de pancada?”

  3. O que esperar de generalecos que batem continência para um ex-aspirante a oficial de baixa patente e nenhuma moral – que só foi “promovido” a capitão para não ser expulso por alta traição -, e posto sem honra na reserva, pois o atentado do Riocentro ainda era recente?

    O que esperar de generalecos que batem continência para um ex-coiteiro de criminosos milicianos, que na primeira oportunidade livrou-se do velho parceiro (e chefe?), capitão Adriano – assim como livrou-se de moros e bebianos?!

  4. É função exclusiva do presidente da república nomear para cargos de confiança na administração pública pessoas que sejam de sua confiança. À despeito do desespero dos saudosos da cleptocracia de outrora, essa bala de prata saiu pela culatra.
    No atual governo os ministros têm carta branca para nomear mas não salvo conduto para se contrapor a eventuais substituições por razões diversas, sobretudo, quebra de confiança ou rendimento aquém do esperado.
    Moro traiu o Brasil e foi desleal, ponto final.

  5. Até Janaína se rendeu ….

    Nada corrobora a bomba do Moro virou estalinho de festa junina …
    Balão japonês ….Aquele que sobe rápido e cai na mesma velocidade !!

    Para os esquerdopata , só resta arrumar outro Adélio !!

  6. Se era a segurança pessoal, por que o GSI ( do gen. Helena) não trocou?
    O que a Superintendência da PF no Rio tem a ver?
    Por que logo nomeado o novo Diretor da PF, tirou o Superintendente do Rio?
    E a segurança pessoal, a cargo do GSI, não trocou?

    Estão aí três generais omissos, que praticam favorecimento, prevaricam

  7. O Brasil corre o risco desmoralizante de todas as suas Instituições, terem pela Primeira Vez na História Mundial ,um Presidente da República que sofrerá Impeachment por “Não ser Ladrão e Corrupto”, provando a Total Vinculação Jurídica e Institucional, Comportamental e Psicopata dos Poderes dessa Nação com a “Perpetuação da Corrupção e Assaltos aos Cofres Públicos como Clausula Pétrea da Constituição” , claro, com um
    ” Novo Modelo Jornalístico de Adoração e Amores Eternos com os Corruptos e Ladrões do Povo e Narcoterroristas Lulopetralhas Bolivarianos” cuja “Linha Editorial será Escrita e Pensada Pelos NewsGlobalistas do Jardim Botânico” !!!!! O “Boné vai virar merda em pó”, como gostam alguns Jornalistas e Artistas Intelectualoides das noites cariocas !!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *