Reação enérgica de militares contra Gilmar Mendes teve o aval de Bolsonaro

Defesa e as Três Forças pressionarão a PGR por representação

Vicente Nunes
Correio Braziliense

A nota divulgada nesta segunda-feira, dia 13, pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e os chefes das Três Forças — Marinha, Exército e Aeronáutica — confrontando o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), teve aval do presidente Jair Bolsonaro. Ele concordou que os militares partissem para cima de Mendes.

Já no sábado, dia 11, à noite, Azevedo e Silva estava disposto a dar uma resposta ao ministro do STF, depois de ele declarar que o Exército estava se associando ao genocídio, diante da falta de ação do Ministério da Saúde para conter o número de mortes no país pela covid-19. A pasta da Saúde é chefiada hoje por um general três estrelas, Eduardo Pazuello.

NOTA GENÉRICA – Mesmo indignado com Gilmar, o ministro da Defesa preferiu soltar, no sábado à noite, uma nota mais genérica ressaltando todo o trabalho feito pelas Forças Armadas no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Ao mesmo tempo, Azevedo e Silva esperava uma retração pública do ministro do STF.

Gilmar até tentou se desculpar pelo uso do termo “genocídio”. Numa mensagem nas redes sociais, disse que respeitava as Forças Armadas, mas, logo adiante, voltou a atacar o Ministério da Saúde, criticando a militarização da pasta, sem se desculpar pela declaração anterior.

No domingo, dia 12, começou a se definir uma ação mais contundente contra Gilmar. Em vez de só o ministro da Defesa assinar uma nota de repúdio, os comandantes das Três Forças endossaram a posição, com o intuito de ressaltar que o repúdio é geral. A determinação do ministro e dos chefes das Três Forças é de levar o caso adiante e pressionar para que a Procuradoria-Geral da República (PGR) insista numa representação contra Gilmar. Os militares querem uma retratação pública do ministro do STF.

AÇÃO ENÉRGICA – Como o caso se institucionalizou, com as Três Forças endossando o documento preparado pelo ministro da Defesa, Bolsonaro foi acionado e deu completo aval para a nota divulgada nesta segunda. Ele concordou que o momento exigia uma ação enérgica contra o ministro do Supremo, que, na visão dos militares, passou dos limites.

“Comentários dessa natureza, completamente afastados dos fatos, causam indignação. Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e, sobretudo, leviana. O ataque gratuito a instituições de Estado não fortalece a democracia”, diz a nota assinada por Azevedo e Silva e pelos comandantes do Exército, general Edson Pujol; da Marinha, almirante Ilques Barbosa Junior; e da Aeronáutica, brigadeiro Antônio Carlos Moretti Bermudez.

16 thoughts on “Reação enérgica de militares contra Gilmar Mendes teve o aval de Bolsonaro

  1. O EXERCITO SE OMITE FRENTE A PANDEMIA SILENCIA SOBRE A INOPERANCIA DO GENERAL DA ATIVA NO MINISTERIO E AGORA SE OFENDE COM A DECLARAÇÃO DO GILMAR MENDES E SILENCIAM FRENTE ATOS IRRESPONSAVEIS DE BOLSONARO.

  2. É bem provável que seja esse o tamanho do nosso atraso, 231 anos. Lembrem-se que há 228 anos a Coroa Portuguesa aterrorizou e assassinou no Brasil, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, como expressão de um movimento de intelectuais que de certa forma tinha alguma conexão com o movimento pré-revolucionário francês que eclodiria tb no Brasil, caso a Coroa portuguesa bandida, escravocrata, espoliadora, não tivesse praticado a crueldade que praticou contra os nossos sonhadores e revolucionários da época, que tudo leva a crer sonhavam não só com a independência do Brasil mas tb com algo que no futuro poderia se tornar aquilo há mais de de 20 anos estamos propondo ao Brasil, tal seja uma Confederação, uma comunidade solidária de regiões independentes, unidas porém independentes. Sonho esse que, portanto, teve o seu embrião abortado a ferro, fogo e sangue há 228 anos. Aliás, nesse sentido, a eleição de um ser tão abjeto, xucro, que discursa no sentido da matança de pelo menos mais uns 30 mil seres humanos, me parece sintomática, me remete à crueldade portuguesa de 1792, com a “Corte Portuguesa” já sentindo a água pelo peito, disposta a segurar na violência o trem da história, impedir a evolução da ordem natural das coisas, abortar um parto cujas crianças (7 lindas crianças, com sotaques próprios) estão prontas para ganhar a luz. Portanto, foi exatamente aí, há 228 anos, pertinho da Revolução Francesa, que impuseram ao Brasil o rumo errado, o original foi vencido pelo fake, o idealismo foi vencido pelo oportunismo, e o Brasil tornou-se esta gigantesca bomba-relógio prestes a explodir. Bomba-relógio essa que não precisa necessariamente explodir à moda Revolução Francesa, hoje démodé, porque a nossa bomba-relógio, não obstante o adiantado da hora, ainda pode ser desarmada com inteligência, pacificamente, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, o Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, ao estilo Gandhi, em homenagem a Tiradentes e a todos os emancipacionistas, idealistas, abnegados, desprendidos, injustiçados, que sonharam, ousaram enfrentar os podres poderes, lutaram e deram até mesmo as suas próprias vidas por um Brasil melhor para todos. https://www.esmaelmorais.com.br/2020/07/revolucao-francesa-a-tomada-da-bastilha-ocorria-ha-231-anos/?fbclid=IwAR0tK43pT_pQ4QeEBuuQgRo_N_zU1RTWltlQcTP6PcgYigWEtfQOovxV8FQ#.Xw2nil0H5Qw.twitter

  3. Essa pocilga do STF é fruto de Sarneys Collors FHCs Luladrãos Dilmas Temers todos vivos todos soltos todos corruptos todos imbecis. Sabem que defende esses vagabundos do STF? Kakay Podval Sepulveda Nelson Jobim Arruinaldo Azedo os jornalistas canalhas da folha de São Paulo do Estadão do Globo todos políticos com foro privilegiado. Cadê que essa imprensa desgraçada fala do PROPINEIRO MENSALEIRO AMIGO DO AMIGO DO MEU PAI? Silêncio mortal cúmplice impatriótico.
    Ah país vagabundo.

  4. Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:
    I – zelar pela guarda da Constituição, das leis e das instituições democráticas e conservar o patrimônio público;
    II – cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência;

    O STF simplesmente aplicou a Cidadã … sds.

    • Não sou contra Bolsonaro … foi eleito e deve exercer o Executivo.

      Entendo que a fala de Gilmar é um alerta … visto que é noticiado o que Governadores e Prefeitos fazem … enquanto a nível federal é pouco noticiado … … … e Gilmar alerta que não cabe aos militares cuidar da Saúde …. e sim da Defesa da Democracia – como está na resposta, certo???

  5. Esse STF é uma instituição forjada nos governos Sarney, Collor, Lula, Dilma e Temer… É necessário dizer algo mais? Se bem que o aparelhamento político do STF e seus erros não justificam o governo Bolsonaro, que é um desastre em todas as frentes. Só espero que em 2022 a PTralhada comandada pela alma mais honesta do planeta não retome o poder como aconteceu na Argentina. Tudo indica que Bolsonaro está a repetir por aqui os erros do governo Macri… Enfim, ainda existe Sergio Moro para votarmos.

  6. A canalha – fardada e de pijama -, que bate continência para um criminoso boçal e perverso, julga-se no direito de se sentir ofendida pela associação com o genocida?!

    Pior, bem pior já foi tratada pelo guru terraplanista.

    Quanto mais se “indigna” seletivamente, mais demonstra o comprometimento genocida com o zero zero da familícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *