Recado para o PT: são possíveis a autocorreção e o recomeço

Leonardo Boff
O Tempo

Nem toda crise, nem todo caos são necessariamente ruins. A crise acrisola, funciona como um crisol que purifica o ouro das gangas e o libera para um novo uso. O caos não é só caótico; ele pode ser generativo.

A atual crise política e o caos social obedecem à lógica descrita acima. Oferecem uma oportunidade de refundação da ordem social a partir do caos social e dos elementos depurados da crise. Como no Brasil fazemos tudo pela metade e não concluímos quase nenhum projeto (Independência, Abolição da Escravatura, República etc.), há o risco de que percamos novamente a oportunidade atual de fazermos algo realmente profundo e cabal ou continuaremos com a costumeira ilusão de que, colocando esparadrapos, curamos a ferida que gangrena a vida social já por tanto tempo.

Antes de qualquer iniciativa nova, o PT deve fazer o que até agora nunca fez: uma autocrítica pública e humilde dos erros cometidos. Sabemos que a direita explorará o fato, mas eu creio na força intrínseca da verdade e da sinceridade. O povo entenderá.

FREI BETTO

Cito Frei Betto, que esteve dentro do poder central e idealizou o Fome Zero. Ao perceber os desvios, deixou o governo, comentando: “O PT, em 12 anos, não promoveu nenhuma reforma da estrutura, nem agrária, nem tributária, nem política. Havia alternativa para o PT? Sim, se não houvesse jogado sua garantia de governabilidade nos braços do mercado e do Congresso; se tivesse promovido a reforma agrária; se ousasse fazer a reforma tributária recomendada por Piketty; se houvesse, enfim, assegurado a governabilidade prioritariamente pelo apoio dos movimentos sociais. Se o governo não voltar a beber na sua fonte de origem – os movimentos sociais e as propostas originais do PT –, as forças conservadoras voltarão a ocupar o Planalto”.

E, agora, concluo eu: temos posto a perder a revolução pacífica e popular feita a partir de 2003, quando ocorreu não uma troca de poder, mas a troca da base social que sustenta o Estado: o povo organizado, antes à margem e agora colocado no centro. O PT pode suportar a rejeição dos poderosos. O que não pode é defraudar o povo e os humildes, que tanta confiança e esperança colocaram no partido. E muitos, como eu e Frei Betto, que nunca nos inscrevemos no PT, mas sempre apoiamos sua causa, por vê-la justa e afim às propostas sociais da Igreja da Libertação, sentimos abatimento e decepção. Não precisava ser assim.

Nem por isso desistiremos. No espectro político atual não vemos nenhum projeto que fuja da submissão ao capitalismo neoliberal, que faça a sociedade menos malvada e que apresente lideranças confiáveis que tornem melhor a vida do povo. A vida nos ensina e as escrituras cristãs não se cansam de repetir: quem caiu sempre pode se levantar.

HUMILDE A ABERTO

O PT tem que recomeçar lá embaixo, humilde e aberto, a aprender dos erros e da sabedoria do povo trabalhador. Valem ainda os ideais primeiros: inclusão social, desenvolvimento social com distribuição de renda e redistribuição da riqueza, cuidado com a natureza. Mas tudo isso não terá sustentabilidade se não vier acompanhado por uma reforma política e tributária e pesado investimento na agroecologia.

Para que isso ocorra, precisamos acreditar na justeza dessa causa, nos fortalecer face à batalha que será travada contra o PT por aqueles que vivem batendo panelas cheias porque nunca querem mudanças por medo de perderem benefícios. Jamais usar as armas que eles usam – mentiras e distorções –, mas usar a verdade, a transparência, a humildade e a vontade de melhorar. Vale o que dom Quixote sentenciou: não devemos aceitar as derrotas sem antes dar as batalhas.

34 thoughts on “Recado para o PT: são possíveis a autocorreção e o recomeço

  1. Não foi por falta de aviso, Teólogo, desde o primeiro governo Lula, várias cabeças pensantes afastaram-se e embriagados pelo marketing do Poder vcs respondiam que estas então boas cabeças estavam fazendo o jogo da direita, dos fascistas… Só um milagre salva o PT e se o povo pobre continuar Trouxa, mas na Baixada Fluminense, por onde ando o povão lá já sabe que mais uma vez perderam… caíram no conto dos milhões que ascenderam à nova classe média… conta outra Teólogo… essa já está manjada…

  2. Parece que os eternos defensores da quadrilha tem memória curta. Vejam o que o hoje também ‘esquecido’ Frei Betto disse em 2005….
    “Nem sob os anos da ditadura a direita conseguiu
    desmoralizar a esquerda como esse núcleo petista fez em tão
    pouco tempo. Na ditadura, apesar de todo sofrimento,
    perseguições, prisões, assassinatos, saímos de cabeça erguida e
    certos de que tínhamos contribuído para a redemocratização do
    país. Agora, não. Esses dirigentes desmoralizaram o partido e
    respingaram lama por toda a esquerda brasileira.”
    (Frei Betto, amigo histórico de Lula, em entrevista ao jornal
    O Estado de S. Paulo, em 24/8/2005)

  3. “Jamais usar as armas que eles usam – mentiras e distorções…”
    Este é um recado dirigido diretamente à dilma e ao PT nas últimas eleições e sua gigantesca fraude eleitoral com promessas mentirosas e facciosas.
    Parece que o frei está fazendo uma inconsciente mea culpa.

  4. ” Jamais usar as armas que eles usam – mentiras e distorções –, mas usar a verdade, a transparência, a humildade e a vontade de melhorar. ” …kkkk…. Demagogia demais fede Frei….

  5. AVANÇOS CONTIDOS SÃO MAIORES E VÊM DESDE 1980

    A presidente Dilma Rousseff quebra ovos pra fazer omelete, é até fácil entender se graduados petistas como Frei Betto afirmam que em 12 anos nenhuma mudança estrutural foi feita.

    O lulismo paga seu preço por erro maior cometido nas décadas de 1980/90, quando embarcou em canoas furadas da grande mídia e de grupos econômicos contra a ascensão de Leonel Brizola. As concessões que Lula fez pra subir foram bem mais nocivas, sob lógicas concretas e históricas diante do que evitou avançar em 20 anos de táticas dóceis ao conservadorismo, comparando com vícios só revelados em seus anos dourados de poder. Nem os fins poderiam justificar certos meios.

    Diante do diagnóstico de Frei Betto Sem Censura, se a coisa vinha ruim pior não pode ficar, desde que agora pensem mais no Brasil e menos nas concessões desses 35 anos, não só dos doze anos de consequências, não é verdade? Lula que o diga (ou disse) pelo tom desesperado de sua aparição no programa do PT, como nunca antes na história recente sem a presença de Dilma ou qualquer menção à figura da presidente, como se nada de positivo tivesse a dizer http://www.facebook.com/photo.php?fbid=1614720872077511&set=t.100006188403089&type=3&theater

  6. A única coisa boa dessa crise criada por este governo é que o povo alienado
    que votou no PT deve acordar e nunca mais votar em candidatos do PT.
    Quem bate panela não são os banqueiros, empreiteiras, multinacionais, todos
    privilegiados pelo PT e os que têm intere$$es próprios. Quem bate panela é o eleitor esclarecido que não aguenta mais a roubalheira, as mentiras e as gastanças irresponsáveis desse governo, que gerou essa crise.
    O PT foi antes de ser governo a esquerda teórica, no poder transformou-se na direita, o
    governos das elites. Basta ver quem mais ganhou dinheiro nesse governo. Agora mesmo está o governo a tirar dinheiro de quem menos tem , dos necessitados, para cobri seus erros financeiros.

    • Como se dizia antigamente “o pt não vale um traque”, concordo plenamente. Mas, me desculpe, amigo, quem bate panela é porque não tem propostas pra verbalizar. É apenas bucha de canhão da quadrilha q está fora do poder

  7. ????????????????????????????????????????????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    ????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

  8. Belo texto, idéias claras e reflexões profundas. O que mais? O reconhecimento que as bandeiras foram rasgadas; que os ideais fora esquecidos; que os seguidores, mais humildes, foram enganados.
    Recomeçar é sempre possível, claro que sim! Mas, para tudo acontecer novamente, será preciso mais do que vontade, muito mais do que palavras.
    No caso do PT, será preciso uma higienização completa: um expurgo enorme.
    E a eliminação de algumas figuras emblemáticas é o primeiro passo. alguma dúvida de quem serão os primeiros a terem de ser atirados do caminhão?
    Quem usou o partido, contaminou-o, minou e detonou a história, as bandeiras e os ideais petistas foram suas maiores lideranças. A militância foi apenas usada.
    Resta saber se terão coragem e forças para tomar tais decisões e aplicá-las.

  9. Admiro Leonardo Boff, repito.
    Inteligente, culto, escreve muito bem, mas, sendo humano tanto quanto uma pessoa oposta à sua inteligência e nível cultural, Boff se contradiz, e se perde na sua própria verborréia.
    Leonardo se mostra injusto ou de má fé quando pede por uma sociedade “menos malvada e que apresente lideranças confiáveis que tornem melhor a vida do povo”.
    Ué, Lula foi o quê?
    Um sonho de uma noite de verão?
    Não foi um líder que saiu exatamente do povo?
    E não sucumbiu às tentações do poder?
    Não se aliou mais ainda aos poderosos?
    À elite mais perniciosa do Brasil, os banqueiros, que nunca antes lucraram tanto em qualquer governo desde a Proclamação da República?
    De que maneira Lula tornou a vida do povo melhor, se, em seguida, a cobrança que fez deste mesmo povo foi à base da corrupção institucionalizada pelo seu governo, do escândalo, do endividamento do cidadão porque ofereceu aos bancos os proventos do trabalhador?
    Outra frase que me surpreendeu no artigo de Boff foi a citação do livro de Cervantes, Dom Quixote de La Mancha.
    Ora, o título escolhido pelo célebre escritor espanhol é considerada a melhor obra de ficção de todos os tempos!
    Desta forma, ao registrar que, “não devemos aceitar as derrotas sem antes dar as batalhas”, frase proferida pelo INSANO Dom Quixote, Boff nos empurra goela abaixo um combate fictício, apenas imaginável, um delírio, pois como combater um governo que se diz popular, mas que usa seus poderes para roubar a população e o País?!
    Quer o ex-frei que combatamos moinhos de vento?
    E quem a população usaria como Sancho Pança?
    O problema extremamente grave que enfrentamos neste momento, depois da vida “melhor” que Lula deu à população (que mentira deslavada!), e do sonho que tivemos de nos tornar um Brasil finalmente desenvolvido e sua sociedade ter progredido, agora vem o que mais importa:
    DESPERTAR!
    A realidade cruel que nos espera, desespera, pois queremos nos manter pelo menos de olhos fechados para não ver a catástrofe que nos rodeia criado pelo PT.
    Boff, que isenta o PT, que o defende, que o enaltece, que o perdoa pelos seus crimes diários e, sabe-se lá quando irão terminar ou, pelo menos diminuir, dá entender exatamente o que dizia Sartre, que o inferno são os outros, e não os petistas, corroborando de maneira fidedigna ao enunciado de seu louco herói, Quixote, citado pelo ex-frei, acima!

    • Estimado comentarista Bendl:

      Tinha decidido me recolher para a garagem, após algumas estocadas de alguns comentaristas que se consideram a última flor do lácio e detentores das verdades definitivas, entretanto, creio que devo combater o bom combate, mesmo que as compreensões ocorram. Os cães ladram e a caravana passa.

      Por isso, pontuo sobre seu esclarecedor texto, cada vez mais carregado de substância política. Conheço a história de Leonardo Boff, perseguido por próceres da Igreja pela sua luta em favor da Teologia da Libertação em pleno regime ditatorial, onde as liberdades democráticas eram um sonho de uma noite de verão. Hoje todos podemos criticar a vontade e ninguém vai para a cadeia ou é massacrado pelos órgãos do Estado, como foi feito contra Hélio Fernandes e sua Tribuna da Imprensa, que foi impedida de receber anúncios das empresas do Estado e até das empresas privadas.

      Os freis Boff e Beto acreditaram no PT, em uma nova forma de fazer política pautada na ética, nos conselhos participativos e principalmente nos olhos voltados para o social, na tentativa de minimizar o sofrimento das pessoas mais humildes, que vinham sendo humilhadas desde o nascimento da República. No entanto, no decorrer do caminho, os desvios de natureza ética foram sendo mais importantes, do que a plataforma de governo ensejadora da vitória do PT em 2002.

      A partir da famosa Carta aos Brasileiros, o PT se transformou em mais um Partido com as práticas habituais de todos os outros que já empalmaram o Poder. Por falar em Poder, passou a ser prioritário a permanência nas estruturas de Poder, do que as transformações sociais, nelas inclusas, o investimento na educação visando preparar o país para a competição tecnológica contra os gigantes da China e dos EUA. Preferiu-se apostar nos empresários campeões nacionais, concedendo-lhes empréstimos fabulosos a juros de 5%, enquanto o Estado se endividava captando a 12% no mercado financeiro. A contrapartida não veio como os cientistas pensavam, os empregos não foram criados a partir do montante despendido na infraestrutura e os poucos que foram estão se perdendo na sazonalidade da economia.

      Perdido o tempo, agora se voltam para o caminho ortodoxo, em busca do tempo jogado fora. A indústria brasileira experimenta um período de estagnação e o comércio dá sinais de queda no consumo. Os brasileiros estão pessimistas e não sabem o que acontecerá no horizonte mais próximo. Já se fala em recuperação somente em 2017.

      Os escândalos de corrupção, que estamos lendo nos jornais, do Mensalão, da Lava Jato da Zelotes, essas operações da PF e do MP, que tanto nos causa ojeriza, em si é um avanço para o país. Por que? Porque eles estão vindo a público e os envolvidos presos e tendo que devolver o dinheiro surrupiado dos cofres públicos. Bendl, em mais de 60 primaveras é a primeira vez que vejo membros da elite desse país com medo da prisão. Nunca em tempo algum li nos jornalões, que um empreiteiro passou a noite no cárcere, nem no regime militar, que podia tudo. Somente os pobres eram punidos e raramente os opositores dos regimes chamados de Revolução de 30 e de 64.

      O que não posso suportar, por já ter vivido os tempos escuros, é ler críticas ácidas, violentas e de baixo calão, impróprios para menores e damas, de um patrulhamento invulgar para esses tempos de liberdade, que devemos preservar a todo custo. Ninguém pode ser execrado somente por ser comunista, socialista, liberal, centro direita ou esquerda ou conservadores literais, como meu amigo Aristóteles Drummond, por quem nutro uma profunda amizade.

      Leonardo Boff e frei Beto são homens da mais alta envergadura. Todos nós temos o direito de errar, até porque isso é uma característica do humano. Mas, o erro de acreditar em um sonho não tornado realidade, não tira deles a história de vida em defesa dos menos assistidos, luta aliás, que levou um deles para a prisão e o outro expurgado da Igreja Católica. São homens de muita coragem e por isso tenho pelos Freis o maior respeito, assim como para Dom Casalgalida, Dom Tomas Balduino, e Dom Helder Câmara, Arcebispo de Olinda e Recife.

      Desculpe o desabafo, mais tenho certeza que você compreenderá o arrazoado, pela sua sensibilidade várias vezes demonstrada em seu texto.

      • O Roberto falou muito bem, muito, muito bem mesmo.
        Odeio o PT, é o mínimo que tenho a dizer. Mas respeito profundamente o Boff, de quem assisti três palestras e li vários ensaios. O erro do Boff é imaginar que as pessoas desta Terra são puras, puras como ele, de fato, é. Quem assiste a uma palestra dele, parece que sai do ambiente com 20 quilos a menos. Parece que ouviu Jesus Cristo falando. E digo isso sendo absolutamente agnóstico. É impressionante. Há pessoas assim.

        Não falo de habilidades de oratória, de carisma por carisma, não. Lula, aquele bandido que nunca me enganou, todos reconhecem que tem carisma. E tem. Mas, tem o que, além disso? Nada. Nunca me passou verdade.

        Brizola, sim. Um político que tinha a visão do frei Leonardo Boff, a esperteza (pelo que tem de bom) do Maluf, a empatia do Lula, a iniciativa de um JK, a capacidade política de Getúlio, por isso mesmo temido pelo Sistema Goebbels.

        Bem disse aí em cima o Valmor Stédile: “O lulismo paga seu preço por erro maior cometido nas décadas de 1980/90, quando embarcou em canoas furadas da grande mídia e de grupos econômicos contra a ascensão de Leonel Brizola. As concessões que Lula fez pra subir foram bem mais nocivas, sob lógicas concretas e históricas diante do que evitou avançar em 20 anos de táticas dóceis ao conservadorismo, comparando com vícios só revelados em seus anos dourados de poder. Nem os fins poderiam justificar certos meios.”

        Acertaram em cheio, tanto o Roberto Nascimento pela compreensão profunda do caráter do nosso Leonardo Boff, quanto o Stédile, pela sua visão política.

        (O que falta para o impeachment, seguido da destituição do Temer?)

      • Caríssimo Roberto Nascimento,
        Receber um texto de tua autoria endereçado a mim, alegra-me e honra sobremaneira.
        Tu és um dos meus mestres neste espaço democrático. Aliás, a maioria é de professores que me ensinam, repreendem-me, orientam-me e me colocam nos trilhos porque sempre estou descarrilando.
        Assim, se fui causador da tua participação neste tema ou por ter errado a minha abordagem ou por não tê-la feito com sensatez, meu equívoco foi compensado pela tua presença, de um comentarista admirado, respeitado, inteligente, culto e extremamente educado.
        Se me permites, seguem minhas humildes explicações:
        Se carreguei nas cores políticas, entendi que a mensagem de Leonardo Boff não fora diferente.
        Não enxerguei outro recado que não fosse a possível recuperação do PT, diante de seus ávidos e insaciáveis apetites pelo poder e, em consequência, que a população tivesse paciência e compreensão com os petistas, que jamais nutriram o mesmo por qualquer governo quando oposição, pois eram simplesmente intolerantes!
        jamais critiquei a pessoa de Leonardo Boff, e nem poderia, pois não o conheço. Se lutou contra a ditadura, se adotou como meta a Teologia da Libertação, se foi até mesmo momentaneamente calado pela Igreja, jamais dei importância a essas questões, pois de foro íntimo, pessoal, opcional.
        E inicio o meu comentário, como de resto os anteriores que comentei sobre artigos de Leonardo, elogiando-o.
        Reconheço nele um homem brilhante, de posições claras, mesmo que equivocadas, conforme demonstra a realidade do momento com a tendência política que o identifica, a esquerda, o socialismo, igualmente o assistencialismo, paternalismo, considerando o pobre como o injustiçado pelos demais seres humanos e que deve ter a atenção dos governos em detrimento até mesmo do resto da população e do País!
        Bom, é onde começam as nossas diferenças.
        A começar pela participação ativa de Frei Beto, no Projeto Fome Zero, não percebi depois de o PT eleito e satisfeito as aspirações dos dois ex-religiosos, incluindo Leonardo, que além do Bolsa Família, que aumentava o contingente atendido pelo governo em mitigar a fome de milhões de brasileiros, elaborações de planos que resgatassem concomitantemente a fome quase resolvida, por mentes analfabetas em pessoas alfabetizadas.
        Não constatei outros movimentos, após a eleição do PT, a esquerda que tanto alegrou aos dois ex-freis, campanhas de incentivo ao trabalho e estudo, de modo que o pessoal dependente dos benefícios, fossem deles se se separando, mas preenchendo suas dignidades com a independência e capacidade individuais para crescerem por suas próprias forças, e não permanentemente levados pela mão de um governo que viu nos pobres também a chance de cooptá-los como eleitores, bastando que apenas o corpo fosse alimentado, desprezando a mente e anseios naturais do ser humano, inclusive o próprio alerta de Cristo:
        Nem só de pão vive o homem.
        Então, meu caro Roberto, diante desta grandiosa inteligência e luta que Boff empenhou para vencer as forças conservadoras do Brasil, como ele as denomina, afora continuarmos com milhões de brasileiros dependentes da caridade alheia, o aumento do analfabetismo, do analfabetismo funcional, o PT instituiu a corrupção, cometeu crimes que jamais haviam sido praticadas pelo conservadorismo, pelos ricos, a classe odiada pelos petistas!
        Ao contrário, Lula e asseclas brindaram os bancos com as maiores faixas de lucros da história.
        Ora, de onde advinham as fortunas contabilizadas a cada ano pelo Itaú, Bradesco, as duas instituições bancárias maiores do Brasil, se não do povo, dos juros cobrados do povo, das taxas absurdas debitas em conta corrente?
        Não me leves a mal, Roberto, eu te peço, mas aonde estavam os ex-freis que não começaram a berrar contra esta contradição, justamente uma daquelas que mais combatiam antes de se tornarem governo?!
        Se Leonardo e Beto têm uma história de vida exemplar, admito, aplaudo, reconheço, reverencio, no entanto, quando decidiram enveredar para a política, lamento, mas a escolha que fizeram ontem, hoje se mostra absolutamente criticável, e que deve ser combatida porque tenta amenizar a gravidade das ilicitudes cometidas pelos petistas, e ainda nos pede que estejamos ao lado do PT!
        Não, Roberto, nego-me.
        Na razão direta que fui enganado por governos anteriores, e que até me roubaram dinheiro pessoalmente, como o tal do Collor, que confiscou dinheiro e poupança do povo, ISENTANDO OS VERDADEIROS CULPADOS PELA INFLAÇÃO, tornando-me um crítico ácido e áspero contra qualquer parlamentar e ex-governante, não posso ser brando com Leonardo e Beto em termos políticos porque já deveriam ter deixado o PT, se de fato estivessem ao lado do povo, que dizem tanto defender e apoiar, simples.
        No entanto, Boff acusa a turma do panelaço que suas panelas estão cheias, dando a entender de forma deturpada e, até mesmo mal intencionada, que se tem comida a sendo feita no fogão é obra de Lula e Dilma, do PT que tanto adora!
        Uma espécie de renovação do maná, agora não mais caindo do céu, mas entregue pelas mãos divinas de Lula, o salvador da pátria e pai dos pobres!
        Ora, se não achei que ao abraçar a Teologia da Libertação Boff não cometera nenhuma blasfêmia, desta vez ele atingiu os limites da insanidade do seu herói, Quixote, quando proferiu esta frase digna de um delirante, de um fundamentalista político, então que seja combatido ou apoiado da mesma forma.
        E quando assisto religiosos participarem da política com o mesmo ardor de suas crenças e fé, me preocupa seus radicalismos, capazes de aceitar os crimes mais danosos ao País e povo em nome de uma ideologia que mistura espiritualidade e materialidade, ora um ora outro ou ambos ao mesmo tempo, e se torna um caldo azedo, de sabor intragável, pois o discurso é permanentemente calcado nas questões materiais, a pobreza, a riqueza, bens, dinheiro, fortunas, moradias, injustiças de tão poucos com muito e muitos com tão pouco, a compensação em terras, benefícios, auxílios, ajudas, amparos, cotas nas Universidades …. mas nenhuma palavra com relação à dignidade da pessoa, a honra de um homem, a necessária e justa educação, saúde quando precisa, segurança à sua vida!
        Apenas aborda-se a diferença social, quem tem mais dinheiro, e aqueles que, lá pelas tantas, o próprio Deus assim decidiu que viessem a este mundo na forma de carentes de bens materiais.
        Roberto, meu caro, pois é esta a interpretação que faço sobre as atuações de Boff politicamente mas, nada, absolutamente nada, em termos pessoais.
        Agora, da mesma maneira, deploro as ofensas, as agressões contra esta pessoa maravilhosa, encantadora, que eu muito gostaria de um dia ouvi-la pessoalmente, pelo muito que eu aprenderia com a sua cultura e convicções ou, lá pelas tantas, reforçar os meus frágeis conhecimentos a respeito do que estou comentando e tentando humildemente responder ao registro que fazes ao meu primeiro comentário.
        Se me permitires, um forte abraço, meu caro.
        Muito obrigado pela deferência, professor.

        • Prezadíssimo Bendl

          Minha admiração por você é igualmente grande.

          Frei Beto ainda no primeiro governo Lula abandonou a sigla inconformado com os rumos do PT. Quanto a Leonardo Boff, nunca foi filiado a nenhum Partido Político.

          Creio firmemente, que determinadas laranjas podres não podem comprometer todo o laranjal. Integrantes da sigla cometeram erros e vão pagar por eles, inclusive alguns estão pagando, agora juntar todos no mesmo grupo que se beneficiou do Poder, não acho justo. Seria como punir todos os integrantes do Partido Comunista da URSS pelo massacre de Stalin contra seus opositores, inclusive a ordem para assassinar o líder revolucionário russo Leon Troktis, que estava exilado no México.

          Todos os Partidos quando chegam ao poder máximo das nações, cometem erros. O PT cometeu em demasia, por falta de experiência. Faltou aos seus líderes o DNA da expertise do PODER. Lembro, que no último ano do governo de FHC, o PSDB era execrado pela população, o resultado foi a derrota de Serra. Voltando mais um pouco na história do Brasil, Getúlio Vargas foi levado ao suicídio pela campanha da oposição, que denunciava diariamente o suposto “mar de lama” no governo eleito do caudilho gaúcho. Collor renunciou pela campanha cerrada da oposição, acusado de ter recebido um Fiat Elba de empresários. Seria cassado pelo Congresso, se não se antecipasse renunciando para Itamar Franco assumir a presidência até o restante do mandato.

          A vida tem essas incongruências, esses imponderáveis ao longo da história. A tragédia da revolução Francesa é um exemplo emblemático. O anciem regime monárquico foi derrubado e assumiu o Poder o triunvirato da revolução (Robespierre, Danton e Marat). Após três anos de puro terror, a partir de 1789, com cabeças sendo decepadas diariamente nas praças parisienses, Robespierre mandou executar na espada, o amigo Danton. Marat tinha um pouco antes sido assassinado na banheira de um hotel por uma mulher. Robespierre ficou sozinho e acabou ele mesmo decapitado pelo povo enfurecido. As condições econômicas do povo não tinham melhorado como sonhavam aqueles cidadãos franceses, que odiavam os monarcas absolutistas. O erro cometido pelos revolucionários franceses, abriu caminho para a tomada do Poder pelo general Napoleão Bonaparte. Os erros do PT na condução da política econômica e a guinada do modelo desenvolvimentista para a ortodoxia econômica ditada pelo FMI na linha recessiva, certamente abrirá o caminho para um novo governo neoliberal no distante pleito presidencial em 2018 ou não? Emoções fortes nos esperam até lá.

          Entendo, Bendl, que fazer um paralelo entre a vida dos povos distantes e a nossa realidade, ajuda a entender os rumos do futuro, porque como as famílias só mudam de endereço, pois vivem os mesmos problemas, a vida das nações seguem o mesmo viés, na tragédia da vida humana.

          Uma boa noite e muito obrigado por debater com maestria com esse comentarista que o admira.

          • Caríssimo Roberto,
            Em se tratando de política brasileira, o comportamento dos parlamentares e de seus partidos tem sido absolutamente condenável sob todos os aspectos.
            Assim, a meu ver, torna-se impossível que possamos separar dentro de uma agremiação o joio do trigo, ou seja, se existem membros e, em demasia, que macularam o nome do partido, e este tem sido não só conivente com tais procedimentos, mas se mantém na trilha da corrupção e desonestidade, como o PT, acredito não existir meios que possam afirmar quem é bom ou ruim, pagando o justo pelo pecador.
            Se os bons e justos pegassem suas trouxas e saíssem do partido, muito bem, palmas para esses corajosos e destemidos políticos, mas permanecendo na sigla nefasta e querer que sejam compreendidos estão pedindo muito à nossa paciência e tolerância.
            Mais a mais, Roberto, o PT não cometeu um que outro crime, não, tem sido diários e graves!
            Não preciso citá-los porque são muitos, e são do conhecimento de todos nós, então, no que tange à minha interpretação quem é petista está em dívida com o povo e Brasil, e não pode ter o seu débito perdoado.
            Quanto ao paralelo com episódios de outras nações com esta tragédia que hoje assola o nosso território, concordo com a sua utilidade como estudo das causas e consequências de certas determinações políticas e movimentos sociais. Entretanto, a cultura brasileira é mais pacata, mais tolerante, razão pela qual Executivo e Legislativo fazem conosco o que bem entendem há décadas.
            O Brasil foi dividido. Pobres, ricos, pretos, brancos, gays, héteros, políticos, parlamentares, Judiciário, membros do Executivo, todos pertencem a castas muito bem organizadas, constituídas, que se protegem, que mantém um espírito de corpo acirrado, motivo pelo qual estão cada vez mais divorciados e distantes do povo.
            Se considerarmos todos os fatores que atualmente nos afligem como Nação e individualmente, passamos por um momento de extrema gravidade que, ao mesmo tempo, não nos permite antever os próximos acontecimentos, se trágicos ou esperançosos, pois não há um setor no Brasil que se possa afirmar categoricamente que funcione a contento ou que esteja um deles se movimentando para corrigir os erros clamorosos que estão nos prejudicando.
            Desta forma, se chegamos a patamares de dificuldades inúmeras causadas pela classe política, um Executivo igualmente corrupto e incompetente, um Judiciário insensível frente aos ganhos de um trabalhador, reivindicando permanentemente mais ganhos e regalias, o povo se sente acuado, pior:
            Não tem forças para alterar o caos instalado em nossas instituições porque desorganizado, apático, separado, e pela falta de líderes verdadeiros que neles acreditamos, confiamos.
            Somos duzentos milhões de almas pontas soltas, Roberto, ao sabor do vento.
            Só mesmo uma intervenção divina para nos salvar ou, então, soluções radicais, extremamente radicais, caso contrário, amargaremos por muito mais tempo a corrupção, desonestidade, imoralidade, que se tornaram nossas características tanto aqui quanto mundo afora.
            Portanto, meu caro, a minha indignação quando percebo que homens do quilate de Boff e Beto, defendem um partido que decepcionou, mentiu, enganou, ludibriou, roubou e não parou de roubar!
            Um excelente domingo.
            Outro abraço.

    • Mais uma vez o falso brilhante?
      O impostor, o ladrão à espreita da vítima?
      O indivíduo covarde, que se usa da falsidade ideológica para opinar?
      Quem és tu, verme?
      Que não mereces estar neste blog de gente que deseja o bem, que quer a harmonia, que deseja colaborar.
      Aqui não é o teu lugar.
      O teu destino é viver na podridão, na mentira, enganando e sendo enganado.

      • Prezadíssimo Bendl:

        Tu estás com carradas de razão. Os bons deveriam sair, quando os rumos da legenda colidem com a plataforma do Partido. Nesse sentido, o deputado Chico Alencar do Rio de Janeiro fez a sua parte, assim como Heloisa Helena de Alagoas e Marina Silva do Acre, só para citar esses três quixotes da vida pública. A senadora Marta Suplicy está se desligando e os senadores Paulo Paim do Rio Grande do Sul e Valter Pinheiro da Bahia, parece que serão os próximos a sair.

        Bendl, no tocante a propalada passividade e tolerância do povo brasileiro, a história do nosso país contraria essa tese, que leio com frequência. A primeira tentativa de revolução social brasileira ocorreu na Bahia. A revolução farroupilha ocorreu aí no seu Estado, de gente valente e vibração incomum no combate em todas as frentes de luta. A Balaiada, Canudos, a Revolta da Chibata, a Revolução Constitucionalista, os Quilombos. Recentemente o povo brasileiro foi as ruas pedir mudanças no Executivo e no Legislativo. Foi em junho de 2013, na denominada Primavera Junina. Predominantemente um movimento de jovens, mas, gente de todas as idades foram vistas nas passeatas. Devo ter esquecido outros movimentos sociais, demonstrando o viés guerreiro do povo brasileiro.

        Um grande abraço.

  10. Se este senhor está reclamando do rumo que o PT tomou, claramente permeado da sempre presente incompetência econômica do lado esquerdo, imaginem o que não estaríamos vivendo hoje em dia, se tivessem ouvido o tal frei e este senhor? Lamentável tais insanidades passarem por intelectuais.

  11. Típico do PT:
    Dá segunda chance, prisão domiciliar, reinserção social, indulto de natal, saidão do dia das mães e/ou passada de mão na cabeça de BANDIDO, nem que para tal FANTASIA seja realizada tenha que se esconder as estatísticas reais e serem vitimadas outros milhares de inocentes.
    Anualmente.
    -Quer dizer que se os bandidos do PT se arrependerem, devemos esquecer os milhões roubados e as milhares de órfãos e viúvas produzidos pelos fora-da-lei?

  12. Essa narrativa é para ludibriar a consciência ou os outros?
    A Sagrada Escritura tem razão quando diz que ” tem olhos e não enxergam, ouvidos e não escutam”
    o expediente desonesto de culpar os outros para livrar as culpas é cretino. Nunca admite os erros, isso é de uma arrogância enorme. Os esquerdistas em geral acreditam piamente na sua “superioridade moral” e do alto da sua soberba enxergam [?] os seus criticos que seja qual for o argumento apriori esta descartado. Não enxergam nem escutam os fatos mais obvios…aonde deu resultado o projeto socialista ? tudo promessa projetada para um futuro indefinido onde somente a palavra “utopia” cabe, não no sentido positivo mas pelo contrario, negativo: a utopia significa “lugar nenhum” Que tal o Sr Boff reconhecer os crimes dos petistas? aquela propaganda enganosa da candidata Dilma? a patria educadora? a manutenção das conquistas dos trabalhadores? propaganda enganosa. Para o partido da quadrilha [apenas começa a abrir a caixa preta do PT do Pimentel em Minas…] resta apenas o arrependimento e pedir perdão, atitude cristã não Seu Boff, mas ai já é pedir demais, não?

  13. Frei Beto ainda no primeiro governo Lula abandonou a sigla inconformado com os rumos do PT. Quanto a Leonardo Boff, nunca foi filiado a nenhum Partido Político.

    E A POPULAÇÃO TUNGADA PELA
    QUADRILHA PETRALHA TEM QUE
    DAR MAIS UMA CHANCE AO PT ???

    Kkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkk

    Vade retro

  14. Caros Senhores, cada um tem seu “papel à executar na comunidade”, a primeira é a “FAMÍLIA”, cujo “Chefe” deve prover o bem estar e progresso em todos os campos das “ações, que chamamos vida”, que se amplia de forma direta ou indireta, até a formação do “ESTADO/GOVERNO”, nos tornando responsáveis pelas “OBRAS” dessa dualidade, pelo “RETORNO” DO BEM OU DO MAL; ESSA “responsabilidade é infinita, no “REGIME DA DEMOCRACIA”, quando à “individualidade” escolhe seu representante, para gerir o “ESTADO”.
    Infelizmente, a HIPOCRISIA, do eleitor e do eleito, que visam suas individualidade e não à “COLETIVIDADE”, leva ao “CAOS EM QUE VIVE À NAÇÃO”, E O ROUBO AO COFRE PÚBLICO DOS BILHÕES: SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, TRANSPORTE, DIREITOS BÁSICOS DA CIDADANIA, TORNA-SE UMA “UTOPIA”.
    PÓS “DITADURA”, O ÚNICO GOVERNO, QUE ESCAPOU DA MESMICE DA CORRUPÇÃO DESENFREADA, NEM RECEBEU O “VOTO DIRETO” O DE “ITAMAR FRANCO”, O RESTO, E´”MAR DE LAMA”, QUE CRESCEU TANTO, QUE ADENTROU O “OCEANO”, CREMOS QUE, JÁ SAIU DO ATLÂNTICO, E AFUNDA NO PACIFICO.
    O “PT-SONHO”, AO VIRAR GOVERNO, TORNOU-SE “PT-TRAIDOR”, SACRIFICANDO O TRABALHADOR, NEM DIGO QUE JÁ CHEGOU AO “AUGE”, POIS, AO ACORDAR A CADA DIA, MAIS UM ESCÂNDALO, MOSTRANDO A PODRIDÃO QUE ESTÁ NOS 3 PODERES.
    FREI BOFF, GOSTO DAS SUAS “ESCRITAS”, POIS, ME LEVA, A REFLETIR, SOBRE O “CÓDIGO DA VIDA”, O “EVANGELHO DE JESUS”, NA CONVERSA COM NICODEMOS, DR. DA LEI JUDAICA.
    QUE O MESTRE JESUS, E DEUS PAI NOS ABENÇOE, ILUMINANDO NOSSAS MENTES E CORAÇÕES, PARA IM BRASIL DECENTE E JUSTO.

  15. Os petralhas não são como o Fênix da mitiologia que rensce. Este partido vai desparecer da face da terra como o PRN. O pt é um câncer que tem que ser eliminado em todos os níveis.

  16. ESSE BOFF EH REALMENTE UM BOFE, MELHOR DIZENDO UM PORRE DE TAO RIDICULO! QUER QUE OS PETRALHAS SEJAM PERDOADOS? PRA QUE? PARA CONTINUAREM MENTINDO, ROUBANDO ETERNAMENTE? ACHO DESNECESSARIO DIZER UM BELO PALAVRAO QUEESTAH NA PONTA DA LINGUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *