Recluso em casa, Pezão retoma velhos hábitos e se concentra na própria defesa

Pezão foi fotografado na primeira escapada que deu em público

Juliana Castro e Maiá Menezes
O Globo

Livre há dois meses, depois de ficar mais de um ano preso na Lava-Jato, acusado de participar do esquema de corrupção comandado por Sérgio Cabral, o também ex-governador Luiz Fernando Pezão tentou no domingo, dia 9 de fevereiro, retomar um velho hábito: andou alguns metros de sua casa até o bar preferido em Piraí, de nome Rei do Torresmo.

Apesar do calor daquela tarde, usava calça comprida para esconder a tornozeleira eletrônica na perna esquerda. O aparelho faz parte da nova rotina de Pezão. Tem que estar sempre com bateria, o que só é possível se ele ficar três horas com o objeto conectado à tomada. E nem dá para aproveitar para fazê-lo na hora de dormir porque pode resultar em alguma avaria.

MEDIDAS A CUMPRIR – Economista, Pezão gosta de números. Repete algumas vezes: passou um ano e 12 dias preso no Batalhão Especial Prisional (BEP). Ganhou a liberdade em dezembro por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas tem que cumprir algumas medidas.

A tornozeleira serve para garantir que ele estará em casa todos os dias de 20h às 6h, como impôs o Tribunal. Fora desse período, pode rodar por onde bem entender. O aparelho não é impeditivo de usar a piscina de casa, embora ele diga que isso quase não acontece. “Mas, eles indicam que não entre no mar e eu prefiro praia”, diz ele, resignado.

RECLUSO – Apesar de ter deixado o BEP em dezembro, o advogado Flávio Mirza indicou que ele não saísse de casa antes de depor à Justiça, o que só aconteceu este mês. Foi só depois disso que foi tomar a cerveja no bar preferido na cidade em que foi prefeito duas vezes. Pezão não esconde a decepção de ter sido fotografado na primeira escapada que deu em público.

No período em que estava preso, as bebidas eram geladas em um cooler de 25 litros que ficava na sala em que estava preso. Não havia grades nela. O gelo era levado pela mulher, Maria Lúcia, às quartas-feiras e aos fins de semana. Comidas podiam ser guardadas na geladeira, dividida com outros 11 detentos, localizada em um espaço coletivo que chamam de rancho.

SALA PARA OFICIAIS – Pezão ficou preso na sala para oficiais da Polícia Militar. O BEP tem duas dezenas delas para que nenhum policial de alta parente divida espaço com ninguém. Vez ou outra, Maria Lúcia era quem organizava o espaço.”Eu chegava lá e limpava tudo, levava bucha e detergente”, lembra.

Havia uma cama, pia, vaso sanitário e chuveiro. Ali, o emedebista tinha que ficar de 20h às 9h. No mais, podia circular pelo batalhão. “De dia, não podia trancar a porta, toda hora tinha batida”, conta.

ORDEM UNIDA – Usou a camisa branca, bermuda e chinelo e participou da chamada Ordem Unida, cerimônia em que se canta o Hino Nacional e há o hasteamento da bandeira.  Nas muitas horas de tempo livre, Pezão aproveitava para se exercitar: “Caminhava de manhã e à tarde. Jogava bola, lia jornal, li livro, incluindo da Miriam Leitão. Li muitos livros espíritas. Lá, tinha um grupo espírita que ia fazer palestra aos domingos, de 17h às 19h. Eu assistia muito”.

Pezão estudou e fez Enem para cursar geografia. À noite, retomou um hábito que abandou há décadas. Passou a assistir às novelas. Gostou muito de “Bonsucesso”, a última que passou no horário das 19h. A última que ele disse ter acompanhado passou há 45 anos: “O Bem-Amado”. O protagonista era Odorico Paraguaçu, prefeito de Sucupira que representa o estereótipo dos políticos.

DEFESA – Agora, em casa, deu um tempo dos capítulos. Diz que se concentra na própria defesa. Vê todos os vídeos dos depoimentos, lê as peças do processo e repassa seus argumentos ao advogado. Maria Lúcia também ajuda. Criou pastas e guarda em plásticos reportagens, cópias de diários oficiais e recibos que auxiliam a contar a versão do marido.

Passam o tempo juntos na casa para onde foram levados muitos dos santos que, antes, ficavam no gabinete do Palácio Guanabara. Incluindo “São Pidão”, que desde 1997 se tornou seu companheiro inseparável. Se antes, na mesa do palácio, São Pidão ouvia os pedidos para que o dinheiro entrasse nos cofres de um estado em crise, agora fica na cabeceira da cama, para escutar as preces de quem quer se livrar das mãos da Justiça.

11 thoughts on “Recluso em casa, Pezão retoma velhos hábitos e se concentra na própria defesa

  1. Ms que barbaridade!

    Ladrão do nível do Pezão, recluso em sua “residência”, podendo se dirigir ao boteco da sua preferência para uma cachacinha!

    Os tribunais superiores são as instituições encarregadas de testar a nossa paciência hoje em dia.
    Não bastasse o ministro Lacto Purga, Gilmar Mendes, que solta muita merda presa, ainda temos o STJ para assessorá-lo nessa cruzada de libertação!

    Che, o Brasil não só não tem mais solução, como virou o país da impunidade, e onde o crime mais do que compensa, enriquece!

    A coisa tá feia, muito feia, horrorosa!

  2. Enquanto isso o jornalismo-oficial-fakenews caminha a passos largos (em direção ao descrédito total):

    “Marcelo Bretas
    #fakenews.
    A informação é falsa e difamatória.
    Jamais participei de conversas como indicado no texto e, pela “enésima vez”, NÃO SEREI CANDIDATO A NENHUM CARGO POLÍTICO. https://twitter.com/laurojardim/status/1231514031535595522
    Lauro Jardim
    @laurojardim
    Ala bolsonarista quer Bretas candidato pelo partido de Edir Macedo. https://glo.bo/38OYJ7f
    Que alegria viver…

  3. Para completar o tempo vago de Pezão, sugiro a leitura de:
    “Alerta de Notícias de 20/2/2020: (1) ”
    “Finalmente, os especialistas estão usando as palavras “Pandemia Global” para descrever o coronavírus. (2) O bilionário Bill Gates continua a propor novas vacinas que envenenem as pessoas, em seu esforço de reduzir a população mundial. (3) MasterCard nos leva mais para perto do “Sinal da Besta”, ao anunciar planos de usar seus batimentos cardíacos e as veias em sua mão como um modo de confirmar que é você mesmo quem está usando o cartão. (4) A revista globalista The Economist admite que a menor imigração torna os americanos mais ricos e a economia mais forte. (5) A progressista e esquerdista emissora de televisão MSNBC adverte os Democratas que o presidente Trump vencerá em 49 estados, se seu adversário for Bernie Sanders! Novo em 21/2!!”
    PS. Onde? Oras pois, lá!

  4. Caro Bendl, justo e perfeito teu comentário. Adorei esta parte do texto:

    “Não bastasse o ministro Lacto Purga, Gilmar Mendes, que solta muita merda presa, ainda temos o STJ para assessorá-lo nessa cruzada de libertação!”

    Como “cruzada de libertação” entendi libertação de bosta, cruzada laxativa.

    E tudo ocorreu em Brasília, a capital mundial da corrupção e da impunidade, localização dos tribunais superiores (tudo minúsculo) do Brasil.

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *