Reflexões de um ateu sobre o cristianismo e o protestantismo

Paulo Solon

O protestantismo se iniciou com um cisma promovido por um frade agostiniano no século dezesseis, Martinho Lutero, o qual queria se casar com uma monja. Foi ser agostiniano sabendo que havia a exigência de celibato. Virou a cabeça depois que viu a monja, com quem teve seis filhos.

Sou ateu, mas não sou tão ignorante a ponto de achar que o renegado Lutero e o assassino Calvino eram dignos de crédito. Sou ateu, mas sei que Cristo fundou a Igreja de São Pedro declarando que “o que ligardes na terra será ligado no céu e o que desligardes na terra será desligado no céu”.

E mais importante. Fundou a Igreja de São Pedro, mas sem declarar que não haveria o que chamou de “portas do inferno”. Mas declarou que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

Para mim, o protestante Calvino, o qual levou Michel Servet para ser queimado vivo na fogueira da “Santa Inquisição”, é uma das portas do inferno. Os próprios papas que promoveram a Inquisição são outras “portas do inferno”. Outro papa do século dezesseis, no entanto, levou uma vida santa como bom sucessor de São Pedro. O corpo desse papa não se corrompeu, apesar de morto há cinco séculos.

O número de católicos no mundo inteiro, e aqui nos Estados Unidos, está aumentando, talvez em vista dessa constatação. O protestantismo se fracionou, cada corrente com seu criador ególatra querendo faturar, não pagar impostos e enriquecer. Batistas, Anabatistas, Presbiterianos (do assassino Calvino), Pentecostais, Testemunhas de Jeová, Adventistas do Sétimo Dia (os quais seguem o judaísmo), e uma pletora de outras seitas menores (como a Universal do espertalhão Macedo), todas, claro, “portas do inferno”.

###
“CORPOS INCORRUPTOS”

Se vocês entrarem no google com o verbete “corpos incorruptos”, poderão ver que existem corpos de pessoas que levaram uma vida inteiramente santa, algumas falecidas há mais de mil anos, sem terem se corrompido. Os supracitados corpos parecem que estão vivos. Já foram feitos testes de incisão e os especialistas constataram a existência de sangue não coagulado até os dias de hoje. Tudo parece indicar que Jesus de Nazaré, que fundou também o socialismo, está querendo mostrar que de fato tem poder eterno, e que as “Portas do Inferno” de fato não prevalecerão sobre a ssua Igreja.

Mas o interessante é notar que, entre mais de dois mil corpos incorruptos com o passar dos séculos, não se encontram os do apóstata e renegado frade agostiniano Martinho Lutero, do assassino Calvino, ou de qualquer outro protestante. Nem mesmo o daquela ultravaidosa e pretenciosa criadora da Adventista do Sétimo Dia, a americana Ellen G. White, uma impostora que os adventistas consideram “santificada”.

Todos os corpos incorruptos são de santos, ou beatos da Igreja Católica. O catolicismo está aumentando de adeptos em todo o mundo, principalmente aqui nos Estados Unidos.

Sou ateu, mas não tão ignorante. Pensei que, com a idade, a existência de Deus fosse ficar mais evidente. Não ficou. Mas sei que Jesus de Nazaré fundou a Igreja de São Pedro declarando que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

2 thoughts on “Reflexões de um ateu sobre o cristianismo e o protestantismo

  1. CONCORDO COM VC MAX EVANGELISTA…E REALMENTE O SENHOR PAULO SOLON E UMA PIADA SEM GRAÇA !!! ADORA FALAR MAL DO QUE NAO CONHECE QUER MESMO E APARECER CHAMAR A ATENÇAO !!PARECE ATE QUE TEM RAIVA DO MUNDO !!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *