Reflexões históricas: como a Revolução Russa amedontrou os governos ocidentais

Paulo Solon

Quando Joseph Stalin surgiu no cenário russo, nos Estados Unidos já tinha ocorrido uma série brutal de varredura anticomunista organizada em parte pelo procurador-geral A. Mitchel Palmer no final de 1919 e começo de 1920.

A Revolução Russa havia amedrontado os governos ocidentais, alguns deles tomando medidas drásticas e imediatas para prevenir qualquer revolta trabalhista em seus países. Se na Alemanha, por exemplo, os comunistas puritanos não tivessem hostilizado os socialistas chamando-os de “fascistas sociais”, é certo que o nazismo não teria triunfado.

Joseph Stalin, em 1930, estava exibindo um acelerado progresso da Rússia que abalou a aparentemente sólida repressão americana. Sólida, mas porosa. Mais ou menos como está ocorrendo hoje em relação à China, com a secretária Hillary Clinton tendo sido impedida de falar com o provável futuro presidente. Impedida pelo Partido Comunista Chinês. Com Stalin, naquela época, havia planejamento e ordem.

Com o triunfo nazista em 1934, o fascismo se espalhou por todo canto, muitos vindo para o Brasil e criando rebentos aqui. Não exagero quando uso o termo. O comunismo puritano que atacava o socialismo foi um desastre na Alemanha. Tal pureza ideológica impediu a formação de uma esquerda bem maior e mais poderosa que o nazismo, o que teria evitado a liderança de Hitler.

Graças a tal constatação, no Sétimo Congresso Mundial do Comunismo Internacional na Bulgária, o delegado George Dimitrov clamou por uma mudança, propondo uma união entre socialistas e outros progressistas para lutar contra a ameaça fascista. O único jeito encontrado pela União Soviética em benefício do socialismo foi o pacto de não agressão com os nazistas. Só que Hitler aproveitou esse pacto para invadir a Polônia. (A bem da verdade, é bom lembrar que Stalin fez o mesmo mais tarde).

Churchill, Roosevelt e Stalin

O gordo e tabagista Churchill, incapaz de enfrentar o nazismo, como se sabe, foi recorrer a Stalin, formando a coligação Soviético-Anglo-Americana. Seria Stalin também dotado de premonição? (como não sou religioso, não uso o termo “profeta”).

A 9 de fevereiro de 1946, Stalin fez um discurso durante o congresso do Partido Comunista (Soviético) no qual declarou que os países capitalistas representavam mais grave ameaça ao socialismo do que a Alemanha Nazista havia sido. Ele previu que uma guerra contra o capitalismo era inevitável, quando a tais países estariam envolvidos em grande depressão.

Um mês mais tarde Churchill cunhou o termo “Cortina de Ferro”, dando início à guerra fria. Cortina de Ferro por impedir que o imperialismo britânico lá penetrasse?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *